Notícias | Economia | Política | Turismo | Sergipe | Brasil | Polícia | Entretenimento  
 
Brasil
       
 
11/5/2013 08:24:27
Iniciativa 2045: Empresário russo quer transferir cérebro para robô e ser imortal

Iniciativa 2045 tem como objetivo criação de avatares para estender vida. ´Androide mais humano do mundo´ será apresentado já em junho.

Iniciativa
Iniciativa 2045 desenvolveu o ´androide mais humano do mundo´ (Foto: Reprodução/Dmitry Itskov/Facebook)

Um empresário russo criou “o androide mais humano do mundo” como parte de um projeto que pretende criar um avatar que eternizaria a vida humana. O robô será apresentado oficialmente durante um congresso em junho, mas já há fotos do protótipo no Facebook.

Dmitry Itskov é o idealizador da Iniciativa 2045, projeto cujo objetivo é desenvolver a interface cérebro-máquina para que o ser humano seja capaz de controlar robôs – e até hologramas – à distância, somente com seus sinais neurais.

Cientistas de diversas origens compõem o grupo que trabalha nas pesquisas. Os representantes da equipe, formada em 2011, já enviaram até uma carta aberta ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pedindo apoio às pesquisas.

Dmitry
Dmitry Itskov (Foto: Reprodução/Dmitry Itskov/
Facebook)

As tecnologias desenvolvidas pela iniciativa, segundo definição do próprio grupo, têm como objetivo “a transferência da personalidade de um indivíduo para um portador mais avançado não-biológico, e a extensão da vida, incluindo a questão da imortalidade”.

Em outras palavras, a ideia do empresário é transferir seu cérebro para um androide e, através dele, viver para sempre.

O robô que será apresentado em 15 de junho em Nova York é uma réplica exata da cabeça de Itskov. Até 2020, segundo o cronograma do projeto, o objetivo é fazer com que uma pessoa conecte seu cérebro a uma máquina e possa controlar o robô remotamente. Isso seria útil para situações em que é necessário agir com precisão, mas em que não é seguro ir pessoalmente – conter um acidente em usina nuclear, por exemplo.

É uma linha de pesquisa que lembra a do prestigiado neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis. Recentemente, a equipe de Nicolelis conseguiu criar o “tato virtual” em macacos e conectou sinais cerebrais de roedores em continentes diferentes. O trabalho do brasileiro, no entanto, é mais voltado à recuperação de pessoas com restrições de mobilidade e não tem a imortalidade como um objetivo.

 
PUBLICIDADE
 
Canal do youtube
 
PUBLICIDADE
 
 
 
 
Notícias
Economia
Política
Turismo
Sergipe
Brasil
Polícia
Política e Cotidiano
Plenário Brayner
Politizando
Entretenimento
   
 

FaxAju © - Todos os direitos reservados 2013 Contato Comerciai: +55 79 3022.1701 - 9935.1904  / plenario.com@faxaju.com.br
Redação: faxaju@faxaju.com.br
Endereço: Rua Urquiza Leal, 15, Sala 8 - Bairro Salgado Filho