12/04/16 - 03:05:24

COMO FICA DEPOIS DO IMPEACHMENT

Diógenes Brayner – plenario@faxaju.com.br

Um novo Brasil virá após o impeachment. Passando ou não. A presidente Dilma, mesmo se mantendo no Planalto, perde a confiança e ficará isolada da sociedade pela sua incompetência e imaturidade. Não terá coragem de por a cabeça de fora e jamais voltará a adquirir a popularidade de um líder de Estado.

Será Dilma. Sempre a Dilma, que escondeu dados da economia para reeleger-se a presidente. A mesma Dilma que está sempre sob a desconfiança de que sabia do assalto à Petrobras e cruzou os braços para a corrupção. Assim como, ainda hoje, ninguém é capaz de acreditar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não sabia do mensalão, ou que Fernando Henrique Cardoso conseguiu aprova o projeto da reeleição sem melar a mão de parlamentares.

A corrupção é um cancro que corrói o Brasil há séculos e é muito desejada por aqueles que nunca tiveram oportunidade de chegar próximo a ela.

Em almoço sábado, num restaurante em Aracaju, a opinião de dois políticos era de que Michel Temer (foto) será um grande presidente. Ilusão que cheira a debilidade. Michel não tem liderança e o máximo que fará é negociar bondades para uma elite política que vive eternamente pendurada nos galhos rechonchudos do Poder. Temer não tem projetos para o Brasil e vai tratá-lo como casa de tolerância para acalmar ânimos daqueles que, de cima, manuseiam os de baixo.

Há informação de Brasília que Temer estaria chateado com Sergipe e, se caso assumir a Presidência, pode intervir no Diretório Estadual de partido, em razão da posição do PMDB estadual contra a decisão da legenda. O que não é convincente. Segundo o presidente atual, João Augusto Gama, a intervenção na é pratica do PMDB.

Mas, se acontecer o impeachment, a legenda será outra.

BRIGA FEIA

Registra-se uma briga do mais baixo nível no whatsapp, entre o advogado João Fontes e o conselheiro Clovis Barbosa, presidente do Tribunal de Contas.

João acusa Clovis de pagar Auxilio Moradia retroativo a membros do TCE.

NEGA TUDO

Pelo que João e outras pessoas falam houve o pagamento, é um escândalo que merece ser investigado, porque fora feito antes da lei.

Até o momento não houve resposta do presidente do TCE.

RESPOSTA

Clovis Barbosa pediu a “João Fontes que aguarde resposta”. E mais: “você tem o direito de ser ignorante, covarde e pusilânime”.

– Mas não tem o dinheiro de levar para a lama o que você é e sempre foi: leviano.

VALADARES

O senador Valadares (PSB) nega que tenha assinado nota na bancada se posicionando contra o impeachment nesse momento em que o processo se encontra na Câmara.

– Isso se trata de uma grande mentira…

SAMUEL

Do meio governista Capitão Samuel: votei contrário ao projeto que aumenta desconto dos servidores para o Ipes Saúde, infelizmente foi aprovado por maioria.

Ele apresentou duas emendas sempre.

IPES SAÚDE

A Assembléia Legislativa aprovou o projeto do Ipes Saúde para aumento de taxas de contribuintes. Dos 20 votos, o Governo obteve 11.

Ana Lúcia (PT), definitivamente está na oposição.

REUNIÃO

Todos os précandidatos a vereador pelo PSC se reuniram domingo, com o presidente estadual André Moura. Tudo começou com clima muito tenso.

Razão o grupo não aceita Pedrinho Barreto e coronel Yunes.

HARMONIA

O encontro terminou em harmonia, diante da garantia de André Moura de que o PSC não fará coligação e não aceita mais nenhuma candidatura fora da chapinha.

– Temos um grupo harmonioso com todas as vagas devidamente preenchidas.

ENCONTRO

O PMDB em peso se encontra hoje no Mercury. São précandidatos a vereador de Aracaju que vão indicar por unanimidade Zezinho Sobral para vice pelo partido.

A partir de agora o nome do partido está lançado.

RÁPIDO

O deputado federal Valadares Filho (PSB) teve uma conversa com o deputado André Moura (PSC) sobre sucessão em Aracaju, mas muito rápida.

Marcaram uma nova reunião para depois da votação do impeachment.

SEM JEITO

Já está bem definido que o PSB deixou a base aliada e praticamente não participa do Governo, inclusive deixando de votar em interesses de JB na Assembléia.

Para o Palácio dos Despacho o PSB é oposição.

EDVALDO

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) continua na base e tem certeza que será o nome do Governo, em razão da distância percentual que está do concorrente Zezinho Sobral.

Acha que Jackson não trocará o certo pelo duvidoso.

EDUARDO

Quanto a Eduardo Amorim há um problema: por mais que ele diga que vai disputar a Prefeitura, seus aliados demonstram não acreditar.

Mesmo assim ele se acha bem junto ao eleitorado.

CHATEADO

Chega de Brasília a informação de que o presidente nacional do PMDB, Michel Temer, estaria muito chateado com o governador Jackson Barreto, que se pôr a favor de Dilma.

A mesma chateação também com o deputado Fábio Reis.

INDECISO

O deputado Adelson Barreto (PR) não esconde que está “indeciso”. O seu partido ainda não se decidiu contra ou a favor do impeachment.

Tem dito que o seu voto vai seguir orientação do povo.

REUNIÃO

Foi realizada reunião ontem do PPS sobre a formação da chapinha/2016 e o nome de Armando Batalha foi aceito, inclusive podendo disputar a Prefeitura de Aracaju.

Nenhum vereador aceitou o nome de Celma França.

COMEMORA

O deputado federal André Moura (PSC) comemorou ontem o resultado da Comissão do Impeachment contra Dilma e o fato do PP apoiar o impeachment.

– Acho que agora não tem mais jeito…

QUADRO

Para André Moura, dento do quadro que se apura sobre a votação do impeachment, já existem quase 400 deputados favoráveis à deposição de Dilma.

A folha diz que o Governo conta com 190 deputados.

Notas

Minimiza – Ante protesto contra o impeachment de presidente Dilma Rousseff, realizado na noite de ontem no Rio de Janeiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva minimizou o resultado negativo obtido na comissão do impeachment, que decidiu aprovar o relatório de Jovair Arantes (PSDB-GO).

0x0

Mercado – O mercado brasileiro prossegue em sua escalada positiva, com queda do dólar e dos juros futuros e alta da bolsa. O investidor opera com um olho na votação de ontem do relatório do impeachment e outro nas expectativas para a votação em plenário, no próximo domingo.

0x0

Equívoco – O vice-presidente Michel Temer disse que a gravação feita por ele e divulgada ontem, na qual apresenta propostas que pretende discutir, caso assuma o governo, foi um “equívoco” e que foi em resposta a alguns “companheiros”, que perguntaram a ele se estava preparado para ocupar a Presidência da República.

0x0

Denúncias – A PGR lançou aplicativo para celulares e tablets para receber denúncias de qualquer tipo de crime. O programa SAC MPF pode ser baixado de graça nas lojas virtuais dos aparelhos Apple e Android. O objetivo do órgão é aproximar o cidadão MPF, principalmente onde não há unidades físicas.

0x0

Frágil – O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (CE), acusou, ontem, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) de ter produzido um parecer frágil e sem fundamento para justificar a abertura do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff por crime de responsabilidade.

0x0

Emendas – O governo destinou R$ 6,6 bilhões para a compra de votos de deputados e senadores. A manobra foi feita por meio de recursos que serão direcionados a emendas apresentadas por parlamentares. Apesar de cortes no orçamento, presidente Dilma Rousseff manteve os recursos para as emendas individuais.

Conversando

Diógenes – O senador Eduardo Amorim (PSC) acompanhou, ontem, posse do juiz Diógenes Barreto, como desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe.

Sonho – De Clovis Silveira: Se você acredita no seu sonho, não importa como, nem dia, nem hora. Você será capaz de realizar.

Ao lado – Ao lado do presidente da Comissão Especial do Impeachment, Rogério Rosso, o deputado André Moura (PSC) acompanha os debates.

Impeachment – Executiva Nacional do PSB decide pelo apoio ao impeachment. Partido orienta bancada a votar pelo afastamento.

Planalto – Dessa forma, o senador Valadares Filho (PSB) não pode abrir de votar conta a permanência de Dilma no Planalto.

Cunha – João Augusto Gama diz que o PMDB não aceitará suposta interferência do deputado Eduardo Cunha em Sergipe.

Pesquisa – Zezinho Sobral questiona credibilidade de pesquisas que o colocam abaixo nas intenções de voto para PMA.

Renuncie – Laércio Oliveira sugere à presidente Dilma que renuncie como um verdadeiro guerreiro que sabe a hora de baixar a guarda.

Parado – Chico Dantas destaca que o Brasil está parado até o próximo domingo quando será votado o impeachment de Dilma. Tudo está parado.