15/04/16 - 13:49:33

Rodoanel de Itabaianinha leva mais segurança e desenvolvimento (Foto: Marcelle Cristinne)

Governo do Estado investiu R$ 11.796.607,16, recursos do Proinveste, para construção do Anel Viário Ceramista Hildebrando Dias da Costa

O solo rico em argila e a vocação empreendedora do seu povo fizeram de Itabaianinha, distante 118 km da capital sergipana, uma grande produtora de cerâmica no estado. Para facilitar o acesso aos mercados consumidores destes produtos e diminuir os transtornos que o transporte de cargas causava à população, ao circular por dentro da cidade, o Governo do Estado investiu R$ 11.796.607,16, recursos do Proinveste, para construção do Anel Viário Ceramista Hildebrando Dias da Costa, entregue à população na última sexta-feira, 08. O Anel Viário possibilitará que o tráfego de veículos pesados, que utilizavam a rodovia estadual que parte da BR-101, na altura de Umbaúba, até Tobias Barreto, seja desviado da sede municipal, garantindo mais segurança aos moradores, pedestres e motoristas.

“Imagine como era acordar de madrugada com os caminhões passando em frente a sua casa, às vezes parando e buzinando, a gente acordava assustado. Agora, espero que os caminhoneiros obedeçam e só passem por lá mesmo, porque a obra foi feita para isso”, conta a dona de casa, Elza Silva Souza, 53.

Segundo Elza, que mora há 30 anos na mesma casa no município, o vai e vem dos carros de cargas ocasionava danos à saúde e materiais. “A poeira, a poluição acaba estragando os móveis da gente. Minha filha vive com alergia. Com os caminhões Eles passando só por fora da cidade, vai ficar uma maravilha.  A gente já pedia por isso há muito tempo, agora chegou e esperamos que dê tudo certo”.

Para a comerciante Geane Santana, 40, que há 16 anos tem uma mercearia no Centro da cidade, a expectativa é que, com a entrega do rodoanel, as ruas fiquem mais seguras e fáceis de transitar. “A poeira incomoda muito, fico com a garganta irritada, minha filha é alérgica, as mercadorias ficam empoeiradas. Além da poeira, as cargas pesadas [os veículos] estouravam os canos de água e esgoto, era um grande problema. A esperança da gente é que agora melhore e eles [os caminhoneiros] comecem a transitar pelo lugar certo, até mesmo para facilitar o tráfego de carros pequenos”, explica.

Incentivo

Com 75 cerâmicas atuando no município, que produzem cerca de 30 milhões de blocos, telhas e lajotas por mês, a indústria ceramista representa um dos principais polos econômicos de Itabaianinha. De acordo com o secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo, José Ronaldo Alves, o setor movimenta aproximadamente R$ 6 milhões por mês no município, uma média de R$ 72 milhões ao ano, e é responsável pela geração de 3,5 mil empregos diretos e indiretos.

“A construção do anel viário facilitou e organizou o trânsito na cidade. A diminuição do fluxo de caminhões pesados pela cidade evita acidentes e traz maior agilidade no escoamento de insumos e mercadorias para as cerâmicas, pois com a infraestrutura do anel viário, as cerâmicas estão diretamente ligadas às estradas que dão acesso às cidades circunvizinhas”, reforça a assessora jurídica das cerâmicas Borges e Lagoas, Ana Carolina Silveira.

A Cerâmica Borges atua há mais de 30 anos em Itabaianinha. Há três anos, o ceramista Hindenaldo Borges Santos inaugurou mais uma unidade no município, a Cerâmica Lagoas, um investimento de R$ 5 milhões e área de 29,5 mil m², no Povoado Pedra de Légua. Com uma produção que vai de 1,6 a 2 milhões de unidades de blocos, lajotas e bloquinhos vendidos ao mês. Juntas, as duas fábricas são responsáveis pela geração de 166 empregos diretos e 320 indiretos (transportadores, fornecedores, entre outros).

O gerente da Borges e da Lagoas, Cleidinaldo de Santana, informou que as políticas de governo, como investimento em estradas e infraestrutura local, contribuíram para o aquecimento do mercado ceramista, o que levou o empresário Hindenaldo Borges a investir em uma nova unidade. A escolha do local de instalação da nova unidade deu-se, justamente, pela viabilidade maior do acesso. A expectativa é que a inauguração do anel viário seja mais um incentivo para o crescimento do mercado.

“Essa obra era esperada há muito tempo. O rodoanel dá acesso direto às rodovias principais, pela BR 101, principalmente aos nossos principais mercados consumidores, que são municípios da Bahia, especialmente Salvador. É um obra importante para os moradores, porque os caminhões destruíam o calçamento da cidade, colocava a população em risco, e para quem trabalha com cerâmica”, disse o gerente.

De acordo com o empresário ceramista, Abílio Guimarães Primo, o anel viário traz tranquilidade à população itabaianinhense, empresários e à gestão municipal. “O Anel Viário trouxe uma tranquilidade para nós, fabricantes, e trouxe também uma paz para os moradores. Em torno desse anel, começarão a serem montadas outras indústrias, casas, condomínios, é uma obra que agrega outros investimentos”.

O secretário municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos, Juscelino Lima, também enfatizou a economia trazida pelo rodoanel para as despesas municipais.

“Graças a essa obra, conseguimos enxergar o progresso mais próximo de nosso município. Hoje, com o desvio dos veículos pesados de Itabaianinha, a gente gera uma economia para o município. Gastávamos com reparos de pavimentação ou que a Deso fazia nas tubulações de água, em 2014 e 2015, uma média de R$ 105 mil por ano. Os reparos eram constantes, tanto que a Secretaria sozinha não dava conta das demandas e precisava terceirizar os serviços, contratar o pessoal especializado para fazer esses reparos. A população, comerciantes e lojistas reclamavam muito da poeira, dos transtornos, a cidade nunca estava esteticamente bem, sempre surgia um buraco e tinha um canteiro de obra em toda parte, de forma que dava  a impressão de desorganização. O comércio, principalmente, sentia muito”, descreveu o secretário.

Fonte: ASN