19/04/16 - 16:02:30

Com 149 pontos em 70 municípios, Telessaúde completa três anos em Sergipe (Foto Ascom)

Por Ítalo Duarte

Esta semana é de muita importância para o Telessaúde Brasil Redes em Sergipe, já que é nela que o programa completa três anos de atuação no Estado, fazendo com que os usuários possam ter um cuidado com qualidade, eficiência, efetividade, de forma humanizada e com equidade. Através de ferramentas de tecnologias da informação, os profissionais podem tirar suas dúvidas, tendo o apoio na qualificação do cuidado, reduzindo encaminhamentos desnecessários e custos para outros níveis de atenção em saúde. Em Sergipe, o Telessaúde já dispõe de 149 pontos em 70 municípios sergipanos.

No Estado, as ações do Programa são operacionalizadas pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) e pela Fundação Estadual de Saúde (Funesa). Atualmente, o Núcleo de Telessaúde encontra-se presente em todas as microrregiões de saúde do Estado, apoiando cerca de 230 Equipes de Saúde da Família (ESF) nos processos de cuidado na Atenção Primária em Saúde (APS). A previsão é chegar aos 75 municípios sergipanos, segundo informou Eneida Ferreira, coordenadora do Programa.

“Com a consolidação do Programa Telessaúde, os serviços poderão representar o fortalecimento da integração dos pontos assistenciais, sendo uma forte estratégia para a efetivação das Redes de Atenção à Saúde (RAS). Assim, será constituída uma ampla rede de comunicação entre os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da capilaridade da informação e comunicação e da aproximação entre os profissionais que a compõem”, comentou.

Eneida Ferreira, que está na equipe desde julho de 2013, acompanha de perto os avanços do Programa no Estado. “A oferta de serviços tem se legitimado perante os profissionais no fomento à educação permanente em saúde para qualificação do cuidado. O acesso aos serviços ofertados pelo Telessaúde tem aumentado gradativamente ao processo de implantação de pontos no Estado”, disse.

Reforço

Em 2016 o Telessaúde recebeu um importante reforço para a ampliação e o fortalecimento das ações, através da assinatura do Termo de Cooperação Técnica com a Universidade Federal de Sergipe (UFS), realizado no último dia 23 de março. Um dos pontos importantes na cooperação é a disponibilização pela UFS de recursos tecnológicos como softwares e ambientes virtuais de aprendizagem para potencializar a execução das atividades desenvolvidas pelo programa em Sergipe.

“Dessa forma, agregando significativos esforços para a potencialização das ofertas no Estado. Já estão sendo discutidas e construídas perspectivas futuras para o programa, através do incremento de Telerregulação, Telemedicina e Telediagnóstico”, informou Eneida.

Para a secretária de Estado da Saúde, Conceição Mendonça, implantar o acesso às redes de atenção por meio do Telessaúde integrado ao Complexo Regulatório de Saúde do Estado, prevê a melhoria na capacidade de resolutividade clínica da Atenção Primária à Saúde, a qualificação do profissional de saúde da atenção primária no ordenamento das Redes de Atenção à Saúde.

“Isso fará com que a oferta ao paciente da rede de serviços de saúde do Estado seja de forma dinâmica e positiva para melhorar a qualidade e reduzir o tempo de espera. Outros pontos positivos do Telessaúde são: a melhoria da operacionalização dos encaminhamentos para os centros especializados, a diminuição do tempo de resposta das solicitações de procedimentos nas redes de atenção e a fomentação da inclusão digital dos profissionais. As equipes e os usuários do SUS são os maiores beneficiados”, destacou.

O Diretor de Atenção Integral à Saúde da SES, João Lima Junior, disse que chegar, hoje, ao terceiro ano da implantação do Telessaúde Sergipe mostra o comprometimento de Sergipe para os avanços do SUS. “Estamos em um momento fértil em avançarmos em outros horizontes para o Telessaúde Sergipe. O Termo de Cooperação assinado pela SES, através do ex-secretário José Sobral com a UFS, oportunizará darmos os passos necessários para a consolidação do programa no nosso Estado, em prol da Regionalização, através de uma Atenção Primária em Saúde cada vez mais resolutiva e qualificada”, disse.

O diretor-geral da Funesa, Adriel Alcântara, avaliou como um serviço importante no processo de qualificação dos profissionais e que as parcerias firmadas entre Funesa, SES e UFS vieram para trazer avanços na ampliação das ofertas aos trabalhadores do SUS Sergipe.

“A Funesa cumpre um importante papel neste sentido, de potencializar cada vez mais os serviços em Saúde através da qualificação profissional”, pontuou o diretor.

Para o professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Valter Santana Filho, que desde o início acompanha o processo de implantação do Telessaúde no estado, “o amadurecimento e o comprometimento da equipe levaram o programa a outro patamar. Hoje, discutimos o Telessaúde não só como ferramenta de apoio às equipes, mas como um potente instrumento de regulação assistencial para o Estado. A SES e a Funesa estão de parabéns pela condução do programa”.

Telessaúde Sergipe

Durante esses três anos de oferta de ações de qualificação para os profissionais da APS, o Telessaúde em Sergipe vem contando com uma equipe multiprofissional e com o uso da tecnologia da comunicação e informação, já que dessa forma os profissionais podem, a partir do próprio local de trabalho e por meio da qualificação à distância, fortalecer as ações relativas ao cuidado, à promoção da saúde e à superação da barreira geográfica, efetivando uma atenção primária como ordenadora do cuidado em saúde.

Atividades do Telessaúde

Teleconsultoria: consulta entre profissionais de saúde da APS e teleconsultores por meio de uma plataforma de tecnologia à distância (www.plataformatelessaude.ufrgs.br), com o fim de esclarecer dúvidas sobre procedimentos clínicos, ações de saúde e questões relativas ao processo de trabalho. Até o momento foram solicitadas e respondidas, desde 2013, 742 teleconsultorias.

Segunda Opinião Formativa (SOF): resposta sistematizada, construída com base em revisão bibliográfica, com evidência clínica e científica, originadas das teleconsultorias e selecionadas a partir da relevância e pertinência para o SUS e publicadas na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) (www.telessaudebrasil.org.br). Atualmente, já foram publicadas 43.

Oficinas de sensibilização: realizadas presencialmente como meio de divulgar e trazer a reflexão sobre a importância do uso da Telessaúde nas práticas cotidianas do cuidado pelos profissionais da APS. Até hoje foram realizadas 134 oficinas, com a participação de 1.396 profissionais, de 142 ESF, em 63 municípios, desde setembro de 2014.

Tele-educação: uma forma de ensino que possibilita a aprendizagem à distância, com a utilização da tecnologia. Acontece no Estado através de webpalestras realizadas por profissionais, referências técnicas e/ou especialistas em áreas temáticas da saúde, trazendo para discussão temas pertinentes à APS de maior interesse em Sergipe. Até o momento, foram realizadas 17 webpalestras, desde dezembro de 2014.

Em 2016, as atividades iniciaram-se no último dia 05 de abril com o tema “Compreendendo a Dengue, Chikungunha e Zika Vírus e os seus cuidados” e estão previstos outros momentos nos dias 19 e 20 de abril e 03 e 04 de maio, para dar continuidade a essa discussão. Também está na programação do núcleo, a discussão sobre o Diagnóstico, manejo clínico, notificação e investigação, imunização da gripe influenza, com foco no H1N1, no próximo dia 26.

Da assessoria