19/05/16 - 09:31:30

CSCP REÚNE PEQUENOS E GRANDE PRODUTORES DE PESCADO EM SERGIPE

O Governo do Estado de Sergipe criou nesta quarta-feira, 18 de maio, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura, formada por pequenos e grandes produtores. A Câmara funcionará no âmbito do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). O ato foi realizado no auditório da Adema e contou com palestras e debate sobre “A Pesca Extrativista”, pelo empresário Humberto Almeida e a “Produção de Camarão em Cativeiro”, pelo biólogo Péricles Guimarães.

Segundo dados da Seagri e dos palestrantes, essa é uma cadeia produtiva favorecida pela característica geográfica estadual com 13 municípios litorâneas e mais oito inseridos diretamente nas cinco bacias sergipanas, que tem importância significativa para a economia do Estado, pois mantém cerca de 3.500 empregos diretos e 8.000 indiretos, somados os setores extrativistas e criadores de pescado.

A resolução que cria a Câmara Setorial da Pesca, assinada pelo secretário da Agricultura, Esmeraldo Leal, traz como objetivo “propor, orientar e discutir políticas, estratégias e diretrizes relativas à produção, comercialização e industrialização de produtos da pesca artesanal e aquicultura, visando a competitividade e fortalecimento da cadeia produtiva, estabelecendo benefícios para pescadores produtores e população consumidora”.

Esmeraldo disse que “a Câmara já nasce forte porque tem o apoio, a sensibilidade e o acompanhamento do governador Jackson Barreto, e também porque é criado por uma provocação e participação dos próprios pescadores e produtores que, inclusive, ajudaram diretamente na formatação e estruturação da Câmara aqui na secretaria”.

Pesca Extrativista

Durante o evento, o representante da Associação Sergipana dos Armadores de Pesca Artesanal (Aseapa) e empresário, Humberto Luiz Eng de Almeida, falou da pesca extrativista em Sergipe. “Vivemos um momento feliz com a criação da Câmara da Pesca que coincide com a construção do Terminal Pesqueiro de Aracaju pelo Governo Estadual em parceria do Governo Federal. Na verdade, a pesca extrativista em Sergipe terá duas histórias: uma antes, outra depois do Terminal Pesqueiro, pela capacidade que promoverá na melhoria na logística de pesca, desembarque, beneficiamento e comercialização do pescado”, diz Humberto.

Ele explicou que a Associação é representativa do ramo pesqueiro voltada para a pesca artesanal em mar aberto. Conta hoje com 40 associados e dispões de uma frota de 70 barcos pesqueiros com capacidade de 2 toneladas por barco. A atividade envolve cerca de 500 pessoas trabalhando, dentre elas pescadores, marisqueiras que limpam e processam o camarão e o peixe, carregadores, ajudantes, geleiros e pesagem.

Camarão em Cativeiro

“A produção de camarão em cativeiro é muito significativa em Sergipe”, disse o biólogo e empresário Péricles Guimarães. Ele demonstrou que 90% da aquicultura no estado, em especial do cultivo de camarão, advém de pequenos agricultores que operam com mão de obra familiar.

Segundo a Associação dos Criadores de Camarão do Estado de Sergipe, existem atualmente 700 fazendas de camarão, produzindo 3.600 toneladas por ano, gerando 3 mil empregos diretos.

Péricles explicou que não falta mercado para o camarão. “Grande parte da produção do Nordeste vai para a exportação, mas o cultivo em Sergipe tem atendido ao mercado interno que é bastante favorável”, pontuou.

Desafios

O encontro também contou com o momento de debate e participação de vários produtores, secretários municipais de agricultura e representantes de associações de pescadores. O desafio mais explorado entre eles foi o entrave ambiental, pela falta de orientação ou por rigor na legislação em vigência.

O secretário Esmeraldo Leal destacou como encaminhamentos que a Câmara promova mais dois momentos: um para debater questões especificas dos produtores de camarão em Pacatuba, lá mesmo no município, outro em Aracaju com todos os setores estaduais e federais que cuidam da legislação ambiental para aprofundar debate com os produtores.

Integram a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura: Secretaria de Estado da Agricultura Desenvolvimento Agrário e da Pesca (coordenação), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Superintendência Federal de Agricultura Pecuária e Abastecimento, Associação Sergipana de Armadores de Pesca Artesanal, Associação de Criadores de Camarão do Estado de Sergipe e Federação dos Pescadores do Estado de Sergipe.

Por: Ednilson Barbosa Santos