24/05/16 - 17:54:46

Ana Lúcia diz que caso Jucá para estancar Lava Jato, escancara o golpe

A deputada Ana Lúcia repercutiu na tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe, na manhã dessa terça-feira, 24, a notícia do vazamento das gravações da conversa entre o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, e o senador e agora ex-ministro do Planejamento do Governo interino de Michel Temer, Romero Jucá.

Ana Lúcia reafirmou as denúncias que ao longo dos últimos meses tem feito sobre a articulação de um golpe de estado no país e defendeu a presidenta Dilma Rousseff. “Duas coisas ficaram clara no diálogo entre Jucá e Machado. A primeira é que o golpe foi construído para estancar a Lava-Jato e a segunda é que quem realmente tem interesse no prosseguimento das investigações e na punição de todos os envolvidos é a presidenta Dilma. Desde março que venho denunciando isso na tribuna dessa Casa, mas com o vazamento dessa conversa, o golpe ficou escancarado”, reiterou.

Ana Lúcia ainda afirmou que deseja que o Ministério Público Federal (MPF) se manifeste a respeito desse vazamento. “Eu espero que MPF, através do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, responda a sociedade brasileira se ele tinha conhecimento dessa gravação desde março, porque isso é muito grave. É muito grave que todos os procedimentos do golpe travestido de impeachment tenham sido tomados mesmo com o MPF tendo o conhecimento desse material que faz parte da delação premiada do Sérgio Machado”.

A deputada também parabenizar os movimentos em defesa de resistência contra o golpe que explodiram no país nas últimas semanas. “Ocupo a tribuna também para enaltecer a trincheira de luta e em defesa da democracia, por parte dos nossos artistas, da nossa juventude e do movimento popular do nosso país. Se não fosse a resistência desses três segmentos da nossa sociedade, nós já estaríamos vivendo em outra ditadura, com o respaldo do Congresso Nacional”, afirmou.

Ana Lúcia ainda fez um apelo para os parlamentares que participarão da votação final que aprovará ou não a manutenção de Michel Temer na presidência da República. “Esperamos que os senadores tenham maturidade política e reconheçam que quem teve 54 milhões de votos foi a presidenta Dilma e não o golpista Michel Temer. O mesmo golpista que em menos de sete dias acabou com praticamente todos os programas sociais, já demonstrou que pretende rasgar a CLT e os direitos trabalhistas e sociais. Esse é o momento de parar com esse golpe para que possamos permitir que a nossa democracia se consolide e a presidenta Dilma possa volta ao exercício do cargo para o qual foi eleita democraticamente”, defendeu.