25/05/16 - 11:24:19

GOVERNO ESTIMULA INTERIORIZAÇÃO INDUSTRIAL EM SERGIPE

O Dia da Indústria pode ser comemorado com o aumento no número de empreendimentos que vem sendo instalados nos municípios sergipanos em várias regiões do Estado. A interiorização do desenvolvimento tem sido uma preocupação do Governo Jackson Barreto que através de ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), em conjunto com suas vinculadas, como a Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese) que já instalou escritórios em todas as regiões de Sergipe e tem contribuído para que essa realidade seja observada. Conforme avalia o secretário Chico Dantas, o setor industrial sergipano cresceu e se diversificou consideravelmente nos últimos cinco anos, com a atração de novos investimentos e a ampliação de empreendimentos locais.

De acordo com o secretário, apesar do momento difícil na economia, Sergipe tem conseguido atrair grandes investimentos. “Isso é resultado de muita luta, de muita procura pelas oportunidades. Temos recebido os empresários, ouvido suas demandas e o governador, por sua vez, mobiliza outros órgãos para que se empenhem em ajudar a classe empresarial a solucionar vários impasses”, reforçou. “De 2011 a 2015, 308 indústrias se instalaram em Sergipe, com apoio do Governo do Estado e juntas geraram cerca de 12 mil empregos diretos”, divulgou Chico Dantas ao observar que entre elas, 19 vieram de fora para investir em Sergipe nos segmentos de metal, máquinas, têxtil, cimento, lustres, minérios, material elétrico, adubos, madeira, calçados, esquadria, fios, cabos e ração.

Um dos atrativos do Governo de Sergipe para que novas indústrias se instalem no Estado é o Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). Com o programa, empreendimentos industriais, centros de distribuição, agroindustriais, de pecuária, aquícolas, turísticos e tecnológicos podem ser beneficiados de diferentes formas, através de apoio fiscal, locacional ou de infraestrutura. “O PSDI é um instrumento de grande importância do Governo porque oferece incentivos maiores para as empresas se localizarem no interior do estado, com o intuito de proporcionar a geração de empregos e levar desenvolvimento para os territórios”, destaca dando como prova o fato de que cerca de 70% das empresas atraídas desde 2007 para Sergipe tenham se instalado em municípios sergipanos, a exemplo de Estância, Itabaiana, Itaporanga D’Ajuda, Simão Dias e Tobias Barreto, Poço Verde, Nossa Senhora Aparecida, Ribeirópolis, Carira, Santo Amaro, entre outros .

Um desses empreendimentos, a indústria têxtil Sergitex, do grupo paulista Rovach, um dos principais do ramo no país, está em fase conclusiva e no segundo semestre já deverá produzir  tecidos  tipo jeans em Estância. Na primeira fase de produção serão gerados 200 empregos na indústria que produzirão um milhão de metros de tecidos jeans ao mês. A previsão é de que sejam gerados mil novos postos de trabalho quando a unidade estiver em pleno funcionamento, após vencidas todas as etapas de implantação do projeto industrial. “Conforme informam os representantes do grupo, nessa fase a produção deverá chegar a 4 milhões de metros de tecidos jeans ao mês”, disse o secretário, ao observar que na unidade industrial já foram investidos mais de R$ 100 milhões.

Outro grande grupo empresarial, o M. Dias Branco espera ainda para este ano a construção de mais uma fábrica de cimento em Santo Amaro, por meio da subsidiária Apodi. O investimento será de R$ 1 bilhão e o projeto industrial será constituído de uma unidade que vai operar desde a mineração até o ensacamento do produto, com capacidade de produzir 4 mil toneladas/dia. Somente durante a construção da fábrica serão gerados dois mil empregos e já na fase de funcionamento devem ser criados 383 novos postos de trabalho diretos. A unidade atenderá os mercados sergipanos e de outros estados do Nordeste.

No município de Carira será implantada a Indústria e Comércio de Placas e Derivados de Borrachas de Sergipe, onde serão investidos R$ 5 milhões e criados inicialmente 300 empregos diretos. Após a implantação da indústria se espera contribuir para a abertura de várias pequenas fábricas no entorno do galpão, onde já funcionou a Azaléia anteriormente. “A interiorização do setor industrial é uma política que vem sendo explorada desde o Governo de Déda e intensificada pelo governador Jackson Barreto. Esse processo tem sido uma das mais importantes transformações pelas quais o estado tem passado nos últimos anos, aliado à diminuição da miséria”, destaca o secretário Chico Dantas ao acrescentar que o interior sergipano responde por 58,44% do PIB industrial total e que em 2009, o interior respondia por 43,09% do total de unidades fabris em Sergipe.  Porém, esse percentual passou para 47,84% em 2014.

“É um resultado bastante significativo e indica que se mantiver esse ritmo em poucos anos o interior sediará a maior parte das indústrias sergipanas, o que ajuda a desconcentrar riqueza e equacionar o desenvolvimento entre os territórios sergipanos. Cada indústria instalada no interior provoca um ciclo virtuoso na economia da região impactando positivamente em vários setores da sociedade, além disso, o Governo de Sergipe cria estrutura para que essas empresas operem de uma forma mais eficiente, facilitando a vida do empresariado nos municípios sergipanos”, ressaltou.

Jucese

Com a missão de possibilitar os usuários protocolarem a abertura, alteração ou baixa de uma empresa, sem se deslocar até a capital, foi que a Jucese instalou escritório em oito cidades sergipanas atendendo a todos os territórios do Estado. Para fortalecer essas ações, a Junta Comercial investe na expansão entre os municípios da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), que no Estado recebe o nome de sistema Agiliza Sergipe.

Segundo o presidente da Jucese, George Trindade , o Agiliza Sergipe é uma ferramenta online que fará a integração de todos os órgãos envolvidos na abertura, licenciamento e baixa de empresas com o objetivo de diminuir o tempo de abertura de empresas e consequentemente reduzir a burocracia envolvida nos procedimentos. Neste momento, já fazem parte da rede a Receita Federal e mais 19 municípios: Boquim, Canindé de São Francisco, Itabaiana, Nossa Senhora do Socorro, Nossa Senhora da Glória, Propriá, Itaporanga D’Ajuda, Lagarto, Barra dos Coqueiros, Itabaianinha, Estância, Tobias Barreto, Cristinápolis, Umbaúba, Rosário do Catete, São Cristóvão, Japaratuba, Laranjeiras e Carmópolis.

“Com a implantação de oito Escritórios Regionais em todas as partes do território sergipano, o Governo de Sergipe, por meio da Jucese, busca cada vez mais oferecer facilidades aos empresários. Além do mais, também estamos investindo na ampliação da Redesim no Interior. Somente este ano, já incluímos mais sete Prefeituras na Rede  para a Simplificação do Registro, totalizando 19. Esses municípios representam mais de 35% da economia ativa do Estado. É de salutar importância desburocratizar os procedimentos para impulsionar a abertura de empresas”, detalhou George informando que de 1º de janeiro a 30 de abril deste ano, por exemplo, do total de 1.302 empresas constituídas em Sergipe, 612 foram no Interior do Estado.

Fonte assessoria