27/05/16 - 16:23:27

Indústria cerâmica comemora o dia em homenagem ao profissional (Foto assessoria)

Neste sábado, 28, comemora-se o Dia do Ceramista. Uma homenagem ao profissional que trabalha com a fabricação de produtos cerâmicos a partir da argila, mineral abundantemente encontrado na crosta terrestre. Os produtos cerâmicos fabricados através da queima da argila, podendo chegar a 800°C de temperatura, vão desde a produção de blocos, lajotas e tijolos até pequenos artefatos e objetos condutores de eletricidade e semicondutores para a indústria de Tecnologia da Informação.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias Cerâmicas de Sergipe (SINDICER/SE), Joaldo Carvalho, é um dia importante para lembrar o esforço e trabalho dos profissionais ceramistas empregados em mais de 100 estabelecimentos industriais. “Uma categoria muito representativa para a sociedade. Somos cerca de cinco mil em todo o estado, sem contar os ceramistas familiares, de pequenas olarias que funcionam de forma artesanal utilizando a mão de obra da família e parentes”, comemora.

Ainda de acordo com o presidente do Sindicato, aqui no Estado, a produção da indústria cerâmica se destaca na fabricação de blocos de vedação e estrutural, elementos vazados e telhas. “Estima-se que a capacidade instalada das nossas indústrias seja de 60 milhões de peças por mês, mas devido à retração econômica dos últimos meses, principalmente no mercado imobiliário, acreditamos que apenas 40 milhões de peças estão sendo fabricadas”. O presidente explica que a fabricação das peças não utiliza aditivos ou componentes químicos, sofrendo com isso apenas um processo de transformação de baixo impacto ambiental.

A questão ambiental tem sido uma preocupação primordial para indústria cerâmica. Segundo o presidente do SINDICER, as indústrias tem buscado apoio no sentido de reduzir todos os impactos ambientais através de parcerias com os órgãos competentes e instituições.

“As indústrias e jazidas são na maioria licenciadas pela Adema, DNPM e IBAMA. Temos várias empresas de consultoria ambiental atuando em parceria com as cerâmicas desenvolvendo ações que servem de referência para outros Estados como, por exemplo, a instalação de filtros nas chaminés, os chamados lavadores de gases. Sergipe é o primeiro estado do País a utilizar esses filtros para minimizar a emissão de resíduos na atmosfera. Para este auxílio o Sindicato conta com vários parceiros como o Instituto Nacional de Tecnologia por meio do Programa de Eficiência Energética em Cerâmicas Vermelhas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e a Federação das Indústrias de Sergipe”.

Para o empresário e ex-presidente do SINDICER/SE, José Abílio Guimarães Primo, que ficou à frente do Sindicato durante 10 anos, a indústria cerâmica sergipana evoluiu nos últimos 15 anos, porém, a crise econômica vivida atualmente no Brasil tem prejudicado os ceramistas.  “As cerâmicas sergipanas evoluíram muito devido o trabalho participativo do Sindicato e instituições parceiras. Infelizmente, nos últimos anos tivemos um grande entrave devido a crise econômica. Cerca de 20 indústrias fecharam as portas de 2013 pra cá”, pontua. José Abílio ressalta ainda que desde os anos 80 as cerâmicas sergipanas só utilizam madeira/lenha de reflorestamento para a queima da argila, comprada na Bahia.

Mercado Valorizado

Além de serem vendidas ao mercado sergipano, as peças cerâmicas produzidas aqui, são vendidas também aos mercados da Bahia e Alagoas. Apesar da grave crise, as indústrias tem buscado investir em inovação dos processos de fabricação e equipamentos, buscando melhor produtividade e qualidade gerando com isso competitividade perante as indústrias de outros estados. “Nosso estado possui uma das melhores argilas do Brasil. Essa qualidade reflete no sucesso da venda e procura por outros mercados”, pontua o presidente.

UNICOM/FIES