27/05/16 - 10:06:02

Cães dos Bombeiros encontraram corpo de homem assassinado (Foto: CBM)

Cães pertencentes à equipe do Serviço de Busca, Resgate e Salvamento com Cães (SBRESC)  do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) encontraram no início da tarde dessa quinta-feira, 26, o corpo de um homem que estava desaparecido há mais de uma semana.

A operação foi realizada em parceria com a Polícia Civil, que solicitou apoio à equipe dos Bombeiros para desvendar um homicídio. O corpo foi encontrado no rio Poxim, nas proximidades do bairro Jabutiana, no município de Aracaju/SE.

De acordo com informações do tenente BM Alysson Carvalho, durante a operação foi possível identificar o local do crime e uma arma branca, de fabricação caseira, utilizada para cometer o delito. “Nós iniciamos as buscas por uma margem, onde adentramos cerca de oitocentos metros com os cães e chegamos a cavar 3 pontos. Contudo, os cães sempre apontavam para dentro da água. Foi quando fomos para a outra margem do rio, onde Jimmy e Emy (os cães) identificaram o corpo”, relatou o tenente.

Canil do CBMSE está de luto

Toda a equipe do SBRESC se mostrou, mais uma vez, bastante competente e profissional durante a realização do trabalho realizado no dia de hoje. Apesar de estar bastante sentida com a perda do cão Spike, que fazia parte do canil do CBMSE e que na tarde desta última quarta-feira (25), não resistiu a uma doença conhecida como erliquiose canina, transmitida pela picada do carrapato. Uma vez na corrente sanguínea do cão, o parasita infecta os glóbulos brancos que são as células de defesa do animal, ocasionando falta de apetite, emagrecimento, sangramentos, dificuldade respiratória e fraqueza muscular.

Spike trabalhou em grandes ocorrências, e teve seu maior destaque no resgate às vítimas do desabamento de um prédio, ocorrido em 2014, no bairro Coroa do Meio. Para entendermos um pouco dessa parceria e do trabalho desenvolvido com os cães, segue abaixo o texto emocionante do tenente Alysson Carvalho, que perdeu seu grande companheiro de trabalho:

“Hoje partiu o meu grande amigo Spike. É com muita tristeza que informo que Spike não resistiu à grave doença erliquiose canina. Desde o dia 25 de abril deste ano, ele vem sendo tratado sob os cuidados da médica veterinária Dr.ª Ana Paula Barros. A ele não faltou carinho, amor e dedicação de todos que compõem o SBRESC. Passou os últimos momentos ao meu lado, na minha casa, onde passou os primeiros três meses de treinamento.

Nós cachorreiros escolhemos viver momentos incríveis ao lado desses animais espetaculares, mais que isso, escolhemos salvar ao lado deles. São anos de dedicação e treinamentos. Mas a parte ruim é que eles se vão cedo demais e levam uma parte de nós. É o preço. E quer saber? Valeu a pena cada segundo. Existem poucas coisas na vida que um homem carrega no peito com orgulho. No peito de um cachorreiro está o seu cão. No meu está Spike.

Guardo com muito carinho o olhar profundo de amor que mirava em mim. Demonstrações de amor incríveis e testemunhadas por todos que viam a minha chegada ao canil. Fazia me sentir importante mesmo. E não sou imbecil a ponto de dizer que o amei como ele me amou. Por um simples motivo: Deus não me deu o dom de ser cão para poder amá-lo com a mesma sinceridade e intensidade. Deus me deu apenas a oportunidade de ser agraciado pelo amor de Spike e assim conhecer o que é o um amor de verdade. Mas aprender mesmo a amar como eles, não.

E o motivo disso é porque sou da espécie humana e tenho defeitos demais para isso. E a arrogância e a prepotência inerente a nossa espécie escurece a possibilidade de ter por ele esse amor que ele teve por mim. Ele me amou sobre todas as coisas.

Obrigado meu Deus por Spike. Obrigado eterno e inesquecível amigo. Sempre vou te amar amigo, do meu jeito. Salvamos e resgatamos juntos.

Todos do SBRESC estão de luto. Este ano está sendo muito difícil para todos. Se foram o Spike e a Braúna. Mas nós, cachorreiros do SBRESC, não esmoreceremos, vamos juntos superar tudo, choraremos mais esta dor e dela sairemos mais fortes, a missão continua. Hão de aparecer outros Spikes, Braúnas, Brasas, Pepes, Lunas… E temos que estar aqui, sorrindo e de braços abertos para abraçá-los e quem sabe amá-los, como um cão uma vez nos amou.

Amém.

Um homem… Um cão… Qualquer missão.

BRESC!!!!”

Fonte: Ascom/CBM