28/05/16 - 16:59:45

Maio está indo embora em os servidores públicos seguem sem o PCCV! Mais uma promessa não cumprida da gestão de Jackson Barreto!

Há anos que os servidores públicos de Sergipe aguardam com ansiedade a aplicação, pelo Governo do Estado, do Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos (PCCV). Está tem sido a principal reivindicação do funcionalismo e uma promessa antiga do Executivo Estadual. Para conseguir a reeleição, em 2014, o governador Jackson Barreto  (PMDB) prometeu a aplicação do mesmo, mas depois, para justificar o injustificável, alegou que só poderia atender aos trabalhadores quando o Estado conseguisse atender o limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Hoje Sergipe está muito mais próximo de romper a barreira do limite máximo.

E todos nós nos acostumamos com a “mesmice”, vendo o governo prometendo aquilo que não tem condições ou que não tem intenção de cumprir e os trabalhadores anunciando greves e promovendo atos públicos em defesa do Plano de Cargos. No mais recente anúncio feito pelo governador, meses atrás, para conter a insatisfação do funcionalismo, ficou garantido que neste mês de Maio o PCCV seria implantado. Era mais uma garantia dada por Jackson Barreto, um compromisso firmado com a diretoria do Sintrase (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe).

O mês de maio acaba na próxima terça-feira e até agora o governo do estado não sinalizou em nada sobre a aplicação. Em recente entrevista, Jackson anunciou que reuniria sua equipe de assessores para começar a tratar do assunto. É evidente que o mais importante para o funcionalismo é que o Plano seja implantado. Mas o que é lamentável é que mais uma promessa do governador, de inserir o PCCV em Maio, parece ter sido tão vazia quanto as anteriores. Ainda dá tempo para JB correr contra o tempo, mas ficará a lição de que “em boca fechada, não entra mosca!”.

Bomba!
Politizando tomou conhecimento que o repórter secreto do Fantástico, da Rede Globo, esteve essa semana em Aracaju e teria procurado informações no Ministério Público. A coluna está apurando o teor da investigação.

Operação
Politizando tomou conhecimento que está para acontecer em Sergipe uma megaoperação da Polícia Federal sobre a Fundação Hospitalar de Saúde. Graças a um dossiê que teria sido elaborado pelo ex-controlador Geral do Estado, Adinelson Alves, e entregue em seguida ao presidente do TCE, Clóvis Barbosa.

Convite
Politizando tem a informação que Clóvis Barbosa, muito amigo de Adinelson, diante de sua exoneração da CGE, trabalha para leva-lo para o Tribunal de Contas.

Alô TCE!
É bom que o Tribunal de Contas fique de olhos bem abertos para o pregão eletrônico 18/2016 de 05/02 da Fundação Hospitalar de Saúde. Politizando está investigando se a condução da licitação e a respectiva contratação estão comprometidas com vícios insanáveis e sob suspeição de fortíssimos direcionamentos. Ano de eleição e com muita chuva, rima com “contrato guarda-chuva”. Estamos de olho…

Alô JB!
O governador está apostando todas as suas fichas em seus candidatos a prefeito da capital (Zezinho Sobral) e de Socorro (Padre Inaldo) e está deixando todo o interior de lado. Já tem aliado chateado e lamentando o “esquecimento”…

Julgamento I
Durante o julgamento do processo do deputado estadual Luciano Bispo (PMDB), essa semana, pelo pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um aspecto chamou a atenção de Politizando : o pleno do TSE é constituído por três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF): Gilmar Mendes, Luiz Fux e Rosa Weber.

Julgamento II
Esta última que, inclusive, tomou posse como membro definitivo do TSE no mesmo dia 24. O detalhe é que o ministro Luiz Fux, mesmo tendo prestigiado a posse, estranhamente não participou do julgamento do deputado. Foi substituído pelo ministro Teori Zavascki.

Maria do Carmo
A senadora licenciada Maria do Carmo Alves (DEM), está sempre atenta aos reclamos e pronta para receber a todos que a procuram em casa, no escritório ou na sede da Secretaria da Família e Inclusão Social. “Temos que ter humildade e respeito, independente de bandeira política, gênero, raça ou credo. Nesse cenário menos favorecido, economicamente, estão pessoas de bem, trabalhadoras e que lutam por oportunidades de emprego e renda”.

Boa iniciativa
Projeto de Lei do senador Ricardo Franco (DEM), propõe alterar a Lei de Responsabilidade Fiscal vedando a utilização de empresas controladas pelo setor público, com o objetivo de alterar preços de mercado, exceto por meio de criação de subvenção econômica de caráter geral. Segundo ele, a intervenção no sistema de preços deve ocorrer mediante políticas tributárias e subvenções econômicas que preservem a igualdade de condições entre as empresas estatais e as empresas privadas.

CRÍTICAS E SUGESTÕES:
habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com