03/06/16 - 05:27:31

SERVIDORES DECRETAM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

 

Mesmo após a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), anunciado pelo governo do estado no inicio da semana, os servidores da Administração Geral resolveram deflagrar uma nova greve por tempo indeterminado

Em assembleia realizada nesta quinta (2), prevista para debater o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), apresentado pelo Governo na última segunda, os servidores estaduais foram enfáticos ao pedir a continuação da greve da Administração Geral.

A paralisação foi suspensa durante o mês de maio, enquanto a categoria aguardava a concretização da proposta do Governo. Por decisão da maioria, a greve dos servidores vai ser retomada na próxima quarta, dia 8, por tempo indeterminado.

Em coro, os servidores reclamavam sobre os valores divulgados pelo Governo do Estado sobre o pagamento do PCCV. Segundo a categoria, a solicitação é de que o Plano deve ser implementado com o reajuste de 24,31%, que atende o índice inflacionário, já que ele foi aprovado em 2014 e possui tabelas salariais com valores defasados. Apresentando contracheques que mostravam a insatisfação coletiva, os servidores de atividades operacionais da rede estadual, como executores de serviços básicos e merendeiras, foram os principais reclamantes na assembleia. “Sabemos que o PCCV representou um ganho para alguns servidores, como os oficiais administrativos, mas outras classes não tiveram melhorias. O contracheque veio igual ou com acréscimos de R$20, R$30, e isso representou grande indignação para boa parte da categoria”, explicou a diretora administrativa, Elma Andrade. Alguns vigilantes do Estado presentes também pleiteavam o reajuste, mas, é importante destacar que esta última categoria específica recebe, desde o ano passado, o adicional de periculosidade, benefício que está previsto no PCCV e contemplou cerca de 1500 vigilantes.

Para o presidente, Diego Araujo, o PCCV pago na folha de maio representou um avanço, mas o ganho real, além de não contemplar toda a categoria, foi irrisório para uma parcela da base. “Pode-se constatar que os contracheques de muitos servidores apresentam o valor bruto acima do salário mínimo, mas com os descontos, os salários continuam na verdade abaixo de R$880,00, o que na prática não trouxe mudança significativa ou benefício”, explicou.

Insatisfeita, a categoria decretou greve por tempo indeterminado, que deve começar a partir do próximo dia 8, em respeito à legislação que prevê 72h de antecedência à paralisação.  A principal pauta de reivindicação é o reajuste na tabela do PCCV. “Os servidores querem receber ganhos reais e a tabela do Plano precisa sofrer alterações para beneficiarem os que sempre receberam menos e que, infelizmente, foram os menos contemplados no momento”, finalizou Diego.

As informações são do Sintrase