06/06/16 - 08:35:28

NÃO PODEMOS CULPAR QUEM NÃO TEM CULPA, DIZ POLICIAL MILITAR

O sargento Edgard Menezes, que na semana passada foi condenado a quatro meses de prisão, após ser acusado de “abandono de emprego”, quando em 2014, saiu no seu horário de almoço, e se deslocou para a sede da Amese, onde se discutia um projeto que seria votado na Assembleia Legislativa e que foi aprovado.

O projeto que foi aprovado, teve o apoio de todas as associações, porém teve o voto contrário do sargento Edgard. Neste domingo (05), o militar usou o seu perfil no facebook para explicar o que aconteceu à época e que teve o pleito atendido pelo governador, além de sua prisão.

Veja o que diz o sargento:

Não podemos culpar quem não tem culpa.

No ano de 2014, o governador Jackson Barreto, atendeu prontamente os pleitos de várias categorias do serviço público estadual. Os servidores da administração geral, pleitearam o PCCV, a Polícia Civil encaminhou um projeto de subsídio e promoções automáticas. A Polícia Militar, através do então comandante cel Iunes, enviou um projeto de alteração na lei de fixação efetivo, com o argumento de destravar as promoções, CLARO QUE ISSO NÃO ACONTECEU. Mas JB prontamente atendeu, afinal foi um pleito levado até ele pelo representante legal, da Polícia Militar.

Como se não bastasse o projeto ter sido enviado pelo então comandante da Polícia Militar, esse contou com o apoio de todas as Associações que representam parte dos policiais militares, exceto a Associação Única e o Sargento Edgard, à época Vice Presidente da AMESE. Portanto o governador Jackson Barreto, atendeu o pleito da Polícia Militar, em 2014. Precisamos agora é dialogar com sua excelência o Governador, e explicar ao mesmo o equívoco e o desconforto causados pelo projeto de 2014, repito, em nada o governador é culpado da situação atual. Porém como homem democrático e comprometido com os servidores públicos, que em tantas vezes e ocasiões demonstrou esse apreço, não tenho dúvida, no decorrer da mesa de negociação todo o equívoco será reparado. Como também tenho certeza que farão parte da mesa de negociação, oficiais e praças, os quais foram responsáveis por esse novo projeto, SUBSÍDIO E PTS (promoção por tempo de serviço ). Edgard Menezes