09/06/16 - 05:55:51

SENADORES SOLICITAM CREDENCIAMENTO DE CLÍNICA EM ESTÂNCIA

Os senadores Eduardo Amorim (PSC-SE) e Ricardo Franco (DEM-SE) participaram no início da noite da quarta-feira, 8, de audiência com o ministro da Saúde, Ricardo Barros. Os parlamentares trataram de emendas a serem pagas aos diversos municípios sergipanos, principalmente, os municípios de Frei Paulo e Simão Dias. Outro ponto abordado pelos senadores com o ministro Barros esteve relacionado ao credenciamento de uma clínica em Estância para oferecer o serviço de nefrologia no município.

Para o senador Eduardo Amorim, as audiências nos ministérios efetivam as reivindicações dos gestores municipais. “O prefeito tem que andar para conquistar recursos para seus munícipes. Não basta apresentar o projeto, tem que acompanhar”, disse o senador que estava acompanhado dos prefeitos José Arinaldo Filho (Frei Paulo) e Marival Santana (Simão Dias).

Serviço de Nefrologia

Os senadores acompanharam, ainda, o diretor presidente da Clínica Nefroes de Estância, Paulo Tarcisio Azevedo Melo, que busca o credenciamento da unidade para ofertar o serviço de Nefrologia no município. “Esse é um procedimento que, no contexto do SUS, envolve tecnologia e custo, objetivando propiciar à população acesso a serviços qualificados, integrando-os aos demais níveis de atenção à saúde”, explicou Eduardo.

Segundo Eduardo, cerca de 50 mil brasileiros morrem por ano vítimas de algum tipo de doença renal crônica. “Muitas delas, com certeza, poderiam ser evitadas. Por isso, se faz necessário o credenciamento do serviço nos municípios, para que, juntos, possamos encontrar soluções, pois é inadmissível que mais vidas continuem sendo perdidas”, disse o senador.

O parlamentar também apontou outros problemas a serem enfrentados por doentes renais crônicos. Como exemplo, citou a defasagem dos repasses do Sistema Único Saúde (SUS) para clínicas de hemodiálise, o que resulta na inviabilização da continuidade do atendimento. Segundo Eduardo Amorim, a informação é uma maneira de chamar a atenção para as doenças que afetam o órgão, já que o número de pacientes aumentou 300% nos últimos 15 anos e o número de clínicas teve uma alta de apenas 34%.

Assessoria de Imprensa