09/06/16 - 16:25:20

Deputada cobra cumprimento de Lei que garante exames (Foto assessoria)

Aproveitando o Dia Nacional da Conscientização da Cardiopatia Congênita, a ser celebrado no próximo domingo (12), a deputada estadual Maria Mendonça (PP) cobrou hoje (9), que o Governo do Estado implemente mecanismos que garantam às maternidades públicas sergipanas a condição de realizarem o Ecocardiograma e a Oximetria de Pulso, chamada popularmente de “teste do coraçãozinho”, em todos os recém nascidos das maternidades do Estado de Sergipe.

O pedido de Maria se fundamenta em Projeto de Lei 345/2011, de sua autoria, aprovado pela Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), em 2013, instituindo e tornando obrigatória a realização desses procedimentos. “Os governantes precisam fazer cumprir a lei para garantir o direito ao diagnóstico precoce nas crianças e no adulto para que possam viver com dignidade”, ressaltou.

A doença, ressaltou Maria Mendonça, acomete crianças e precisa de prevenção. “Prevenir é mais barato que tratar. E os dados assustam”, disse, ao citar números apresentados pela Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações, segundo os quais uma em cada 100 crianças que nascem, apresenta cardiopatia congênita. “O problema é uma das principais causa de óbito relacionada à má formação do coraçãozinho”, informou a parlamentar.

Ainda, de acordo com os dados apresentados por Maria, no Brasil nascem anualmente cerca de 28 mil cardiopatas, dos quais, 23 mil necessitarão de cirurgias cardíacas; cerca de 18 mil, equivalente a 78%, não recebem tratamento, principalmente por falta de diagnóstico, ou vaga na rede pública. Por conta dessas deficiências, muitas morrem no primeiro ano de vida. A incidência, observou Maria, é oito vezes maior que a Síndrome de Down”, disse, ao pedir a sensibilidade dos governantes para evitar outras mortes.

“Os dados nos fazem perceber a necessidade da adoção de políticas públicas voltadas para essa questão”, afirmou Maria, acrescentando que algumas enfermidades congênitas são diagnosticadas com o exame de Oximetria de Pulso, exame que permite a redução em, pelo menos, 10% da mortalidade infantil.

Com atendimento adequado, destacou a deputada, a chance de uma dessas crianças ser salva e se tornar um adulto, seria de 90%. “Informação, diagnóstico precoce e tratamento adequado são fatores determinantes no enfrentamento desse problema”, destacou Maria Mendonça, ao distribuir para os deputados, servidores e colaboradores da Alese, um lacinho nas cores azul e vermelho, símbolo da cardiopatia congênita. “As suas cores lembram o fluxo sanguíneo no coração, ou seja, o vermelho representando o sangue arterial, e o azul, o sangue venoso”, explicou.

Fácil diagnóstico –  O diagnóstico precoce inclui o ecocardiograma fetal e a Oximetria de Pulso, conhecido como “Teste do Coraçãozinho”. Trata-se de um teste simples, rápido, indolor, que leva menos que cinco minutos, realizado através de uma pulseira (oxímetro), onde se mede a concentração de oxigênio no sangue, sendo possível verificar se a criança apresenta algum problema cardíaco. Deve ser realizado na maternidade após a criança completar 24 horas de nascimento e antes de 48 horas.

Katia Santana