15/06/16 - 19:15:51

Estamos perdendo investimentos! O Turismo de Sergipe já perdeu o Pré-Caju e agora já querem tirar o Forró Caju!

 

Apesar do esforço dos gestores sergipanos em tentar difundir o turismo sergipano, em especial, o de Aracaju, com ações e políticas públicas para o setor, é inegável o impacto negativo, inclusive para a nossa economia, com o fim do Pré-Caju, conhecida por ter se tornado a maior prévia carnavalesca do Brasil. Alguns setores questionaram muito a realização do evento do ponto de vista financeiro. Achavam que existiam outras prioridades para a aplicação do dinheiro público, e é verdade, mas o turismo gera emprego e renda, movimenta a economia local e é algo que também requer investimentos.

Outros questionaram a realização do Pré-Caju na 13 de Julho, em especial alguns moradores, que se sentiram incomodados com o evento. Mas olhando a coisa de uma forma “macro” deveria se usar o bom senso, procurar um local adequado, que se fiscaliza-se mais a aplicação do dinheiro público, mas os poderes constituídos precisavam entender que o Pré-Caju é uma festa de tradição popular, que fazia parte do nosso calendário de eventos e que alguns critérios poderiam ser alterados, ajustados. Talvez tenha faltado diálogo, talvez não houve boa vontade com a Família Augustu’s, que tem uma história de décadas em Sergipe na realização de grandes eventos.

Visionários, os organizadores rapidamente preencheram essa “lacuna” com o “Fest Verão”, que é um evento de natureza privada, que aquece a economia e amplia o faturamento de setores como hotelaria e os taxistas, por exemplo. Mas o Pré-Caju tinha maior amplitude. Turistas do Brasil inteiro, e até do exterior, vinham para Sergipe, conheciam e participavam do evento, e na maioria das vezes voltavam no ano seguinte. Já estava consagrado no calendário nacional. Mas em Sergipe tem a velha história da “picuinha”, de “olhar o quintal alheio”. Quem perdeu foi o povão que brincava de graça, todos os dias, na “pipoca”, foram os vendedores ambulantes e outros segmentos que conseguiam uma renda extra com a prévia.

Os “inimigos do Pré-Caju” voltaram a fazer barulho novamente, Agora estão focados no Forró  Caju. Outro evento de dimensão nacional, que valoriza bastante os artistas locais, mas que abre janelas para as estrelas nacionais. Sergipe já carregou o título de “País do Forró” e muito disse se deve ao Forró Caju, independente de quem venha a ser o prefeito da capital. Movimenta o turismo da mesma forma que a prévia carnavalesca. Já se consolidou por todo o Brasil, mas que está sendo atacado covardemente pela politicagem. Em tempos de crise financeira, a Prefeitura de Aracaju adotou a modalidade do “chamamento público”, para que as empresas interessadas concorressem na licitação e organizassem o evento, junto ao setor privado, com o município dando sua contrapartida, inclusive para garantir a gratuidade do evento.

E o Forró Caju continua sendo aberto ao público, mas com alguns setores sendo explorados pelo setor privado até para se levantar recursos e garantir a realização do evento. O empresário Téo Santana, juntamente com a PMA, passou a ser questionado, com insinuações grosseiras e descabidas, até por quem sempre realizou o evento, até por um de seus idealizadores, tudo por conta da politicagem, do ano eleitoral. Nisso, logo espalharam um boato falso dando conta que o Forró Caju não seria mais realizado, que, inclusive, o Ministério Público e o Tribunal de Contas já tinham decidido por não autorizar a festa. Isso gerou muita polêmica nas redes sociais.

Em síntese, quem trabalhou pelo fim do Pré-Caju, quem fragilizou nosso turismo, agora trabalha em silêncio, sigilosamente, para também dar um fim ao Forró Caju. Outro evento de raízes populares e extremamente culturais. É preciso ler e entender como a situação se constrói “nas entrelinhas”. É preciso que as “máscaras” sejam derrubadas e que a população faça sua avaliação crítica, que não deixe ser manobrada. Será que algum dos pré-candidatos a prefeito viria a público para anunciar que, se eleito for, vai acabar com o Forró Caju? Certamente não! Mas há quem critique apenas apostando em algum benefício eleitoral. Pobre do nosso Turismo, pobre da nossa Cultura, pobre da nossa gente…

Veja essa!

Durante um debate acalorado na Assembleia Legislativa, ontem, o deputado Zezinho Guimarães (PMDB) saiu com essa: “A vida se anda para frente. A Fundação (Hospitalar de Saúde) tem uma dívida antiga e vai ficar devendo!”

E essa!

Em seguida, o deputado disse que “a dívida existe. Se tiver dinheiro, você paga! Se não tiver dinheiro, você não paga! E vamos para frente. Não existe bom pagador sem dinheiro. Agora a oposição fica aí falando porque tem dívida!”.

Antônio dos Santos

De pronto, o também deputado Antônio dos Santos (PSC) emendou: “é extremamente preocupante essa declaração porque o ente público, que contratou o serviço, tem obrigação e o dever de pagar. Ninguem compra sem poder pagar! Se o empresário quebra por causa da crise, tudo bem, mas ele ir à falência por que não recebe? O Estado tem obrigações legais e deve sim responder por isso”.

Almoço com Negócios

Nessa sexta-feira (17), a partir do meio dia, a Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), realiza a 2ª edição do tradicional Almoço com Negócios, que acontece mensalmente no Hotel Radisson e conta com a participação de empresários associados, gestores públicos, imprensa e convidados. Desta vez, o tema será “Empreendedorismo como catalizador de Desenvolvimento de Negócios em Sergipe” e terá como palestrante o empresário Manoel Messias Peixoto.

PTdoB de Socorro

No último sábado (11), no Centro Comercial Gracieli, o Diretório do PTdoB de Socorro, através do presidente, pastor Jose Carlos Vieira, organizou uma grande reunião quando lançou vários pré-candidatos a vereador e quando se decidiu que o partido não vai abrir mão de participar de uma das chapas majoritárias no município.

Evangélicos

Durante o encontro do PTdoB de Socorro foi apresentado um levantamento de que 35,7% dos moradores em Socorro são evangélicos. “Quem quiser ganhar as eleições vai pensar duas vezes em ter ou não um evangélico em sua chapa. Podemos, inclusive, lançar uma chapa majoritária e ser a diferença que o povo tanto clama”.

Ainda repercute

O levantamento feito por este colunista sobre a implantação do PCCV ainda está repercutindo. Diferente dos outros anos, ao enumerar as despesas não computadas, consta no relatório do próprio Executivo o Imposto de Renda Retido na Fonte, numa despesa da ordem R$ 260.143.613,11, que pode ter sido decisiva para o governo sair de um percentual de 47,82% (em dezembro passado) para 46,16% de gastos com pessoal no 1º quadrimestre (Janeiro a Abril) de 2016, abaixo do limite prudencial (46,55%) da LRF.

Não é despesa

Ao revisar o Manual de Demonstrativos Fiscais aplicado à União e aos Estados, Distrito Federal e Municípios, da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), válido a partir do exercício financeiro de 2015, é fácil constatar no item que trata das Despesas deduzidas da Despesa Bruta com Pessoal para cálculo da Despesa Total com Pessoal, constam que não pode ser deduzido o Imposto de Renda Retido na Fonte, que segundo o Manuel “não é despesa, mas receita tributária.

Conclusão

Conclui-se que, para atender os limites estabelecidos pela LRF, o Governo baseou-se em uma decisão do Pleno do TCE de 2008, mas pode ter desobedecido a nova determinação da Secretaria do Tesouro Nacional, o que é ainda mais grave.

Convite

Durante o Forró da Construtora Celi, na última sexta (10), em meio a uma roda de políticos e na presidente do empresário Luciano Barreto, o deputado federal André Moura (PSC) convidou o atual vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado (PSDB) para compor uma chapa com Eduardo Amorim (PSC) como vice. A fonte, presente no evento, disse que o tucano ouviu tudo, mas não emitiu qualquer manifestação…

Forró Caju I

Em audiência no Ministério Público Estadual (MPE), na tarde de hoje (15), o empresário Téo Santana, responsável pela realização do Forró Caju 2016, em parceria com a Prefeitura de Aracaju, atendeu o pleito dos vendedores ambulantes e vai permitir que muitos deles sejam beneficiados na festa. A informação do assessor Rubens Filho é que, se a medida não contempla a todos, ao menos já supera a expectativa da presidente da associação.

Forró Caju II

Já havia um entendimento para que 84 ambulantes pudessem comercializar no espaço do evento. Téo Santana confirmou que mais 75 serão contratados pela empresa para atuarem na festa vendendo, como também, ele autorizou que dois ambulantes trabalhem com barracas de capeta dentro do espaço e outros dois serão sorteados para atuarem na área interna com isopor comercializando bebidas.

CREA

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE) realiza nos dias 21 e 22 deste mês de junho, o 7º Congresso Estadual dos Profissionais das diversas modalidades da Engenharia e áreas técnicas.

CREA II

O evento abre espaço para profissionais e acadêmicos manifestarem e também proporem alterações na legislação vigente que regulamenta o exercício da profissão. A programação será aberta às 8h30 no auditório da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE).

Inscrições

As inscrições podem ser feitas no site do Crea (http://www.crea-se.org.br/inscricoes-7o-cep/). As propostas apresentadas na etapa estadual serão apreciadas e submetidas à aprovação no Congresso Nacional que vai ocorrer de 1 a 3 de setembro de 2016, em Foz do Iguaçu (PR).

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com