30/06/16 - 06:30:57

Governo preserva e promove cultura popular sergipana no Arraiá do Povo (Foto Victor Ribeiro)

Governador Jackson Barreto assistiu à apresentação do Grupo Burundanga que, acompanhado de Dona Nadir da Mussuca, executou o autêntico samba de pareia, na noite desta terça-feira, 28, véspera de São Pedro, nos festejos na orla de Atalaia

“Viemos aqui aplaudir e prestigiar os nossos artistas, a nossa cultura popular, o nosso folclore, as nossas raízes”. A afirmação foi do governador Jackson Barreto, ao chegar na noite da última terça-feira, 28, véspera de São Pedro, ao Encontro Nordestino de Cultura – Arraiá do Povo, promovido pelo Governo de Sergipe, na orla da Atalaia. O governador assistiu à apresentação do Grupo Burundanga que, acompanhado de Dona Nadir da Mussuca, executou o autêntico samba de pareia, estilo de música bastante difundido durante o ciclo junino.

O govenador afirmou que a missão da Secretaria de Estado da Cultura, responsável pelo Encontro Nordestino, é exatamente promover e resgatar a cultura popular e o folclore sergipano e nordestino. “No ciclo junino temos que prestigiar a nossa música, o nosso forró, o nosso folclore. Nada contra os outros ritmos, mas nos festejos juninos temos que executar a nossa música e preservar as nossas raízes culturais”, enfatizou.

Para Jackson Barreto, a execução de ritmos, a exemplo do funk, rock, sertanejo e axé nas festas do período junino destoam da cultura popular sergipana e nordestina. “Não estou tecendo críticas aos que gostam dessas músicas, mas é preciso ter um pouco mais de cuidado quando se vai organizar a programação musical das festas juninas. Temos compromisso com as nossas raízes e com a nossa cultura popular”, enfatizou.

O governador percorreu toda a extensão da festa e recebeu cumprimentos e elogios pelos festejos juninos promovidos pelo governo. Como foi o caso do funcionário do Tribunal Regional do Trabalho, Marcelo Santana, que, acompanhado com a família, fez questão de elogiar o trabalho da Secult na promoção do Arraiá do Povo. “Esta festa é muito importante para divulgar a nossa cultura, o nosso folclore, mas é fundamental para incrementar o turismo. Nossos hotéis estão cheios e o governo está de parabéns por promover a nossa cultura e fomentar a economia do estado”, disse.

Dona Nadir da Mussuca, artista popular e folclorista, considera o Encontro Nordestino de Cultura um palco para os artistas sergipanos mostrarem a sua cultura, a sua arte, o seu folclore. “Me sinto prestigiada participando dessa festa dançando o samba de pareia que aprendi com meu pai, que, por sua vez, aprendeu com o pai dele. Eu sou feliz porque amo o que faço. Preservo a minha cultura e minha arte por amor”, afirmou.

A funcionária do Tribunal de Contas, Daiana Cunha, considerou a festa “perfeita”. Para ela, a festa deveria se estender por todo o mês de julho.

Cultura e Emprego

O secretário de Estado da Cultura, Irineu Fontes, disse que cerca de 20 mil pessoas visitam o Encontro Nordestino de Cultura Arraiá do Povo por noite, e nas vésperas de São João e São Pedro, o público ultrapassou de 40 mil. De acordo com Irineu, o que há de melhor da cultura sergipana e nordestina se apresentam na orla de Atalaia.

“São 123 artistas que se revezaram nos 15 dias de festa. Se inscreveram 368 atrações e 123 foram selecionadas para participarem do arraial, que teve início no último dia 16 de junho e se encerra nesta quarta-feira, 29, dia de São Pedro”, acentuou.

Conforme Irineu Fontes, além de fomentar a cultura sergipana e nordestina, o Arraiá do Povo gerou cerca de 3 mil empregos diretos e indiretos. “São dezenas de barracas vendendo comidas típicas e artesanato, seis bares e os ambulantes que circulam pela festa. Temos ainda uma ocupação de 100% dos hotéis. Tudo isso gera emprego e renda para a população”, revelou.

Ascom ASN