02/07/16 - 08:00:27

Vigilância Sanitária e Programa Estadual de IST/Aids revelam resultados (Foto Ascom)

Ambas as ações foram bem sucedidas e contaram com apoio do público

A Diretoria Estadual de Vigilância Sanitária (Divisa) registrou, durante os últimos dias do II Encontro Nordestino de Cultura – Arraiá do Povo 2016, algumas ocorrências caracterizadas como de baixo risco, sob a ótica sanitária. Dentre os casos, está o entupimento da rede de alguns bares.

O diretor da Divisa, Antônio de Pádua Pombo, revela que os problemas foram corrigidos e as não conformidades serão objetos de relatório que será entregue aos organizadores do evento.

“Também foram identificadas falhas com o recolhimento de resíduos sólidos de alguns bares, além de vazamento de água da chuva, resistência por parte de alguns ambulantes em utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), pias e lavatórios com problemas na instalação e algumas irregularidades quanto ao uso de luvas no recolhimento dos resíduos”, esclarece o diretor.

De maneira preventiva, a Divisa atuou através de ações que abrangeram não apenas a fiscalização, mas especialmente a orientação aos ambulantes e demais prestadores de serviços. Antes mesmo do início da programação, que ocorreu no dia 16, os técnicos das áreas de Vigilância de Alimentos e Vigilância em saúde Ambiental realizaram vistorias nos locais onde foram instalados banheiros químicos, bares e ambulantes.

No stand da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em todos os dias de evento, a Divisa promoveu ações de Informação, Educação e Comunicação. Foram realizadas exposições e distribuição de material educativo, com abordagem sobre as boas práticas em serviços de alimentação.

O espaço também foi utilizado de maneira estratégica para divulgar as atividades da vigilância sanitária e sua função de proteção à saúde. O público teve acesso a conteúdos sobre o controle sanitário de produtos e serviços regulados pela Vigilância, em conformidade com a Missão do órgão e com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Avaliamos como de grande relevância a realização do evento, não somente sob o aspecto cultural, mas também pela oportunidade da Vigilância Sanitária exercer seu ofício, sobretudo as ações de educação, informação e comunicação, orientando e empoderando comerciantes e população em geral sobre a importância da vigilância sanitária na proteção à saúde e à vida do cidadão”, reforça o diretor da Divisa.

IST/Aids

Para os festejos juninos 2016 a Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Programa Estadual de IST/Aids, desenvolveu a  campanha de prevenção que teve como slogan : “HIV,  Sífilis e Hepatites Virais – Não deixe esse trio fazer sucesso no seu arraial”. O objetivo foi divulgar informações básicas sobre as 3 infecções, incentivar o uso da camisinha e incentivar a procura pelos testes rápidos.

Foram produzidos materiais educativos distribuídos pelos municípios e outros parceiros. Já no stand instalado na praça de eventos da Orla de Atalaia, durante a programação do Arraiá do Povo, foram disponibilizados porta camisinhas, folders, e uma média diária de 7 mil preservativos masculinos e femininos, além de gel lubrificante. Ainda durante o II Encontro Nordestino de Cultura, foram disponibilizados testes rápidos através da Unidade Móvel Fique Sabendo.

“No Arraiá do Povo, 225 pessoas fizeram os testes para cada uma das patologias, totalizando 900 exames. O resultado somou 7 testes reagentes para Sífilis, 2 para HIV e 1 para Hepatite B”, revela o gerente do Programa estadual de IST/Aids, Almir Santana.

Somente na quarta-feira, 29, foram realizados 132 testes rápidos, sendo 33 para cada uma das patologias. Nenhum dos exames apresentou resultado reagente.

Segundo a avaliação do médico, Almir Santana, os resultados podem indicar uma baixa vulnerabilidade do público presente no evento. “Nas conversas individuais com as pessoas durante a campanha observamos que, uma parte da população continua fazendo a escolha perigosa de não usar camisinha nas relações sexuais”, avalia Almir Santana.

A preocupação se deve a grande quantidade de casos registrados, referente as três infecções. De acordo com os dados epidemiológicos, desde 1987, já foram registrados 4999 casos de Hiv/Aids,  já os casos notificados entre 2014 e 2016 apontam  798 casos de Sífilis em gestantes; 849 casos de Sífilis em crianças;  348 casos notificados de Hepatite e 162 casos de Hepatite C.

Sobre o diferencial da campanha em 2016, Almir Santana revela a prevenção combinada. “Essa é uma nova estratégia que surge para fortalecer o enfrentamento à epidemia de HIV e consiste no uso do Tratamento como prevenção (TCP), a Profilaxia Pós-exposição (PEP) e a Profilaxia Pré-exposição (PrEP), além do essencial uso da camisinha”, informa o gerente do Programa Estadual IST/Aids.

Fonte: SES