07/07/16 - 05:24:21

Governo autoriza execução de serviços em Centro Profissionalizante (Foto ascom)

Obras complementares de reestruturação, como complementação do sistema de tratamento de esgoto e execução de rede de climatização, irão proporcionar melhorias significativas na estrutura física da unidade de ensino

Em atendimento às demandas de alunos e equipe de servidores do Centro Estadual de Educação Profissionalizante Dom José Brandão de Castro, o Governo do Estado autorizou a contratação da empresa que vai realizar obras complementares de reestruturação, como a complementação do sistema de tratamento de esgoto e execução de rede de climatização. Localizada no povoado rural Queimada Grande, no município sertanejo de Poço Redondo, a unidade de ensino oferta atualmente cursos técnicos em Agropecuária e Agroindústria, e passa por série de obras de reforma e ampliação de sua estrutura física, como a construção da sede própria da unidade.

Com investimento de R$ 711.958,85, o centro agrícola de ensino terá sua estrutura de fixação de forro em PVC complementada, assim como a iluminação da área externa da escola, que será também revisada. O projeto de obras complementares do Dom Brandão contempla, ainda, a execução do sistema de prevenção contra descargas atmosféricas e uma revisão total das instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias.

Compromisso

O governador Jackson Barreto amplia cada vez mais o diálogo com estudantes e servidores do Centro Estadual de Educação Profissional. Em reuniões realizadas em março deste ano, assumiu compromisso para promover alguns encaminhamentos solicitados, a exemplo da contratação de novos professores e finalização de reparos estruturais da escola, que já foram autorizados e que serão iniciados ainda nesse semestre.

“Acho que esse encontro com os alunos da Dom José Brandão de Castro foi muito importante. Eles fizeram reivindicações de problemas que verdadeiramente existem, e o governador recebeu de forma democrática e sensata, fazendo com que o governo assuma seu papel e responsabilidade na solução dos problemas apresentados”, relatou Jackson Barreto na audiência que teve com os estudantes no Palácio dos Despachos.

O secretário Jorge Carvalho explica que as demandas da escola agrícola já estavam sendo discutidas anteriormente e estão sendo atendidas para que a população do Sertão sergipano disponha de acesso ao ensino público técnico profissionalizante de qualidade. “Essa é uma escola diferente, que tem como modelo a pedagogia da alternância, e possibilita que os alunos, por serem do campo, tenham um período estudando e outro trabalhando na terra”, declarou.

Mais melhorias

Também pensando na melhoria das condições de permanência dos estudantes na escola, o Governo do Estado investiu outros R$ 704.699,61 para finalizar a construção do prédio do alojamento para estudantes do Centro Profissionalizante Dom José Brandão de Castro.

Concluído no último mês de junho, o alojamento tem 16 quartos coletivos, vestiários com cinco chuveiros e quatro sanitários, uma sala de estudo, corredor e área de circulação, além de lavanderia com tanques e varais.

Complementando a estrutura do espaço, também foi concebido um projeto paisagístico na área de circulação do alojamento. Assim como todo o prédio do centro profissionalizante, o espaço conta com banheiros adaptados às normas técnicas de acessibilidade.

Paralelo a isso, o governo cumpriu outro ponto acordado com os estudantes e publicou edital de processo seletivo para contratação de novos professores, não apenas para o Dom Brandão, mas também para os demais centros profissionalizantes da rede estadual.

Cursos

Os cursos ofertados nesta unidade de ensino têm duração de três anos e são aplicados pelo regime pedagógico de alternância, que consiste na formação do técnico utilizando espaços e tempos diferentes, divididos entre o meio sócio-profissional e o meio escolar, guiado por uma proposta que visa à formação integral do educando e ao desenvolvimento do meio em que está inserido.

Das vagas ofertadas, 90% são reservadas aos filhos dos assentados, acampados, agricultores familiares, posseiros, indígenas, quilombolas e ribeirinhos. Os 10% restantes são destinados aos demais municípios sergipanos e estados vizinhos.

Ascom Seed