07/07/16 - 05:00:30

Museu da Gente apresenta espetáculo ‘Histórias de Flavinha’ (Foto ascom)

Próximo sábado, 09, acontece a última encenação desse espetáculo. Porém, a temporada 2016 do Teatro no Museu continuará no sábado seguinte, 16, com o espetáculo ‘Menina Miúda’.

A temporada 2016 do Teatro no Museu, promovido pelo Museu da Gente Sergipana Gov. Marcelo Déda, com o apoio do Instituto Banese, teve início com o espetáculo ‘Histórias de Flavinha’, que desde maio, todos os sábados, às 16h, realiza o encontro da divertida boneca de pano Flavinha com um variado público de crianças, adolescentes e adultos. E no próximo sábado, 09, ela fará sua última contação de história, encerrando a participação nessa temporada, que continuará no sábado seguinte, 16, com o espetáculo Menina Miúda.

Com a direção do contador de histórias Luciano Góis e sonoplastia de Paulinho Araújo, o espetáculo consiste na contação de histórias pela Flavinha, uma boneca de pano que através de um diálogo espontâneo interage com o seu manipulador, convidando o público a participar da narrativa. Entre diálogos e efeitos sonoros, ‘Histórias de Flavinha’ leva até a plateia uma sequência de contos populares, despertando a imaginação e sensibilidade.

O objetivo do Teatro no Museu é abrir espaço para projetos de artes cênicas direcionados ao público infantil e infanto-juvenil, fomentar a produção artística local e a formação de plateia. A Temporada 2016 teve início no dia 21 de maio e seguirá até 26 de novembro, levando ao átrio do museu além de ‘Histórias de Flavinha’, outros três espetáculos de companhias de teatro sergipanas: ‘Menina Miúda’, do grupo A Tua Lona; ‘Faz de Conta’, da Cia. Ponto de Teatro, e ‘Fantasia’, da Cia. dos Sonhos.

Os ingressos para os espetáculos estarão à venda no local antes de cada apresentação no valor de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), sendo que adulto acompanhado de uma criança paga meia. O Museu da Gente Sergipana está localizado na avenida Ivo do Prado, 398, Centro, em Aracaju. Para ter acesso a mais informações, basta entrar em contato através do telefone (79) 3218-1551.

Luciano Góis – Licenciado em Teatro e Letras, Luciano Góis é ator, professor, contador de histórias e palhaço. Possui vasta experiência em contação de histórias, já participou do Simpósio Internacional de Contadores de História – Rio de Janeiro; do curso Um conto atrás do outro – NUFOPES (SESC-AL); e do projeto Rondon-Maranhão, na capacitação de educadores e gestores, além de atuar como contador de histórias da BiblioSesc. Como ator, diretor e sonoplasta, Luciano já fez diversas participações em espetáculos e eventos de teatro, a exemplo dos espetáculos “Leia em voz alta para seu estimado cachorro” (Cia.Stultífera Navis  – 2005); ‘Tanta Tinta’ (Teatro Infantil – UFS), “Quando dois palhaços se encontram” (Espaços alternativos – desde 2008), além da II Mostra de Teatro da UFS – Trapiche – 2010). O diretor de ‘Histórias de Flavinha’ também já ministrou aulas de Noções de Musicalização para escolas, bibliotecas, eventos e companhias de teatro.

Paulinho Araújo – Autodidata e apaixonado pela percussão, acompanha bandas e músicos em bares, shows e festivais. Gravou dois CDs e dois jingles com a contadora de histórias Coracy Schueler, um CD ao vivo com o grupo Florilegium, um EP com o grupo de samba Coletivo Bailinho, e participou da coletânea do CD SESCANÇÃO 2013. Dirigiu com mais dois músicos a trilha sonora de dois documentários produzidos em Sergipe: do Hospital São Lucas e da Nossa Escola. Participou da sonoplastia do grupo de teatro Ato Espontâneo. Como cantor e compositor foi contemplado em 2013 pelo Festival Sescanção e pelo V festival Aperipê de música. Em 2014 foi indicado pelo SESC/SE a concorrer ao festival nacional de música, o FEMUCIC, com a música ‘o que falta compor?’, cujo clipe foi gravado na Bélgica. Em 2015 foi contemplado pelo festival ‘Um banquinho uma canção’, realizado pelo Instituto Banese. Em 2016, pretende lançar o seu primeiro CD de música autoral intitulado VIBRAMUNDO, que encontra-se em processo de finalização. Tem como diretor musical o maestro James Bertisch.

da assessoria