12/07/16 - 11:11:11

SSP apresenta aplicativo do Disque Denúncia 181 (Foto Ascom SSP)

A Secretaria de Segurança Pública lançou na manhã desta terça-feira, 12, o aplicativo para celulares e tablets  Disque Denúncia 181. A tecnologia permite ao cidadão fazer denúncias de crimes de maneira  interativa, rápida e discreta, garantindo o anonimato e absoluto sigilo do informante. O aplicativo  pode ser baixado em lojas virtuais dos aparelhos com sistema Android e, em breve, na Apple Store,  a loja virtual para Iphones.

De acordo com os analistas de sistema da Diretoria de Tecnologia da Informação da (DTI/SSP), assim que o aplicativo for baixado, o usuário precisa  fazer um cadastro básico, cujos itens obrigatórios são apenas email e senha. Os dados cadastrais  podem ser baseados em informação que não exijam a real identificação do denunciante.

Segundo o secretário de Segurança Pública, João Batista dos Santos Júnior, a ideia é aproximar o cidadão da polícia e inseri-lo na luta contra o crime, já que a nova tecnologia  vai garantir o anonimato. “A pessoa que passa a informação não se compromete em ter que comparecer à delegacia ou ao fórum para prestar esclarecimentos, mas torna-se uma parceira indispensável da segurança pública”, disse.

O aplicativo Disque Denúncia 181 terá recursos fundamentais no processo  de investigação, cujas ferramentas poderão gerar fotos, vídeos (por exemplo, de uma casa onde há  um intenso comércio de tráfico de drogas) e até mesmo inserir o endereço da pessoa denunciada.  O endereço do denunciado pode ser digitado em um campo, onde o exato local será apontado em  um mapa. Após o cadastro, o usuário é levado à próxima tela para escolher o tipo de denúncia que  deseja fazer. Uma lista de crimes é mostrada e ao clicar sobre o nome uma tela aparece para que o usuário  descreva o crime e, se desejar, pode incluir as fotos, vídeos ou mapas.

Feitos esses procedimentos, um resumo de  tudo que foi feito pelo denunciante aparece  para conferência. As informações são  encaminhadas diretamente para a sede do  Disque Denúncia 181, para serem  investigadas pela equipe de policiais da  Divisão de Inteligência e Planejamento  Policial (Dipol) ou das demais delegacias  da Polícia Civil.

“O aplicativo é autossugestivo, a pessoa não encontrará dificuldades em manuseá-lo.  Se a pessoa preferir ainda pode continuar fazendo denúncias pelo telefone 181, que estará ativo”, disse o diretor da Divisão de Inteligência (Dipol) e gestor do Disque Denúncia 181, delegado Cristiano Barreto.

Nenhum registro do celular do denunciante fica armazenado no sistema 181 e o sigilo  permanece garantido. Uma comodidade do  aplicativo permite, ainda, que o usuário  acompanhe o seu histórico de denúncias.  As próximas versões do aplicativo poderão  ter ajustes para aperfeiçoar a utilização dos recursos pelos usuários.  A SSP acredita que a tecnologia ampliará o combate ao crime em todo o Estado, pois  aumentará o poder de vigilância da  sociedade.

O delegado geral da Polícia Civil, Alessandro Vieira, ressaltou que o Disque Denúncia 181 é uma das principais ferramentas de investigação à disposição da polícia. “A polícia não pode estar em todo lugar e é o cidadão que sabe quais os locais de crime de sua região. Agora, ele tem um canal moderno de comunicação com a polícia”, destacou.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcony Sobral, informou que embora o Disque Denúncia 181 não seja ligado diretamente à Polícia Militar ajuda no trabalho policial uma vez que contribui para a prevenção de crimes. “Estamos fazendo a nossa parte no combate a criminalidade, criando mecanismos de proteção social e aproximando cada vez mais o cidadão da segurança pública”.

 

Parceria

A Cooperativa de Transporte de Sergipe (Coopertalse) será aliada da SSP  na divulgação do Disque Denúncia. O presidente da Coopertalse, Valdenis Ferreira, informou que a empresa  produziu 150 mil panfletos, 300  adesivos e 30 busdoors para serem colocados   estrategicamente em veículos que fazem o  transporte intermunicipal de passageiros.

A Cooperativa também investiu cerca de R$ 100 mil em câmeras de alta definição, o que ajudou nas investigações e identificação de criminosos. A Coopertalse estima que houve uma diminuição de  65% dos roubos em ônibus da Cooperativa comparando o primeiro semestre de 2015 com o de  2016.

Fonte e foto: Ascom SSP