14/07/16 - 09:43:14

Vivo de uma forma muito intensa e minha vida nunca foi um fardo para mim. Acordar para trabalhar é maravilhoso

Fernanda Lima estará na capa da próxima edição da revista “Joyce Pascowitch”, que chegará às bancas na segunda-feira, dia 18. À publicação, a apresentadora falou sobre o “Amor & sexo”, um dos programas que comanda na Globo, sobre sexo, e ainda da forma como leva a vida.

– Vivo de uma forma muito intensa e minha vida nunca foi um fardo para mim. Acordar para trabalhar é maravilhoso, o fim de semana é maravilhoso, ter filhos é um espetáculo, eu já falei isso e repito: sinto muito, mas a minha vida realmente é maravilhosa – respondeu Fernanda, quando perguntada sobre a sua perfeição. – Acho engraçado esse pensamento.Talvez o que pareça ser é o que é – completou ela, que é casada com Rodrigo Hilbert e é mãe dos gêmeos João e Francisco, de 8 anos.

Fernanda falou ainda sobre a importância do “Amor & sexo”, programa que é assistido, segundo ela, por 15 milhões de espectadores por semana.

– Se pessoas bem informadas que assistem ao show podem se beneficiar, então imagine quem não tem informação nenhuma, como uma senhorinha que trabalhou na terra a vida inteira e não sabe o que é um transexual. Aí colocamos na tela da TV dela a explicação, falamos que aquela trans tem uma família, que sofreu, que só quer se entender e ser feliz. A gente dá um instrumento para aquela senhorinha pensar – filosova Fernanda, que diz ainda não ter nenhuma vontade de levar o deputado Jair Bolsonaro a seu programa: – Não tem motivo para eu poluir o programa com alguém com uma filosofia tão diferente da nossa. Pessoas com pensamentos retrógrados e fundamentalistas só fazem atrapalhar a sociedade, trazer negatividade, violência e repressão que estão dentro delas mesmas.

Ao ser perguntada se sexo é um assunto esgotável, Fernanda respondeu que sim.

– É algo banal, que se esgota num determinado número de posições – respondeu, defendendo, em seguida, a discussão sobre o comportamento sexual e tudo o que ele envolve. – Aí, sim, é um assunto inesgotável e acredito que, culturalmente falando, temos muito que discutir ainda.

Fonte: globo.com