16/07/16 - 07:04:35

ESTUDO DO HEMOSE TRAÇARÁ PERFIL DE PACIENTES

 

Objetivo é melhorar os indicadores relativos às pessoas com doenças hematológicas

Melhorar os indicadores relativos aos pacientes portadores de doenças hematológicas. Com esse objetivo, o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) segue com o trabalho para realização do perfil epidemiológico e clínico de pacientes portadores de coagulopatias (alteração na coagulação do sangue) hereditárias como: hemofilia (tipos A e B), distúrbio de Von Willebrand.

O Hemocentro de Sergipe é a unidade referenciada pelo Ministério da Saúde (MS) para o tratamento de pacientes portadores de coagulopatias e as hemoglobinopatias (doença genética do sangue com alteração na hemoglobina), cuja denominação mais comum é Anemia Falciforme.

Realizado pelos graduandos em Biomedicina Camila Alves Santos e Alef Nascimento Menezes, da Universidade Tiradentes (Unit), o levantamento de dados iniciou com os pacientes portadores de hemofilia, entre crianças e adultos. O trabalho consiste em uma pesquisa documental, nos prontuários médicos dos atendimentos feitos no ambulatório do Hemocentro de Sergipe.

Atualmente, o Hemocentro de Sergipe possui um cadastro composto por cerca de 140 pacientes portadores de hemofilia, além de outras coagulopatias. Destes, 72 procuram a unidade regularmente para fazer consultas e acompanhamentos com os profissionais. O serviço cumpre protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, com indicações para reposição de fatores 8 e 9, destinado aos pacientes hemofílicos, dentre outras profilaxias.

Para esse fim, o Hemose conta com uma equipe multidisciplinar composta por médicos hematologistas, clínicos, pediatras, dentista, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, assistente social, farmacêutico e equipe de apoio.

De acordo com o gerente do setor, Weber Teles, a partir da tabulação das informações será possível elaborar o perfil dos pacientes hemofílicos do Estado. “Os pesquisadores analisam as pastas com todo o histórico da assistência prestada a esses usuários, desde a consulta com o médico, o dentista, até a prescrição do medicamento que já utilizou ou faz uso atualmente. A pesquisa contribuirá para melhoria de indicadores e dos serviços”, detalhou.

Weber destacou ainda que o trabalho será utilizado para produção de um resumo científico que será apresentado no Congresso Brasileiro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular – Hemo 2016, promovido pela Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (ABHH). O evento acontece com a participação de profissionais da área e ocorre anualmente no mês de novembro.

Serviço

Para ter acesso aos serviços, os usuários devem procurar o Hemose com documento de identidade e o encaminhamento do médico que realizou o diagnóstico de algumas das coagulopatias e/ou hemoglobinopatias. O serviço ambulatorial do Hemose funciona de segunda a sexta-feira, no horário das 7h30 às 17h. Mais informações através dos telefones (79) 3225-8000 e 3225-8046.

Fonte SES