01/08/16 - 09:04:02

Fórum debaterá destino do lixo eletroeletrônico em Sergipe (Foto assessoria)

Evento mostrará alternativas de descarte e coleta de resíduos tecnológicos nos municípios sergipanos

Grande parte da população desconhece a maneira correta de descartar os resíduos sólidos especiais, que oferecem riscos à saúde pública e ao meio ambiente se eliminados de forma incorreta. Entre esses resíduos estão pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes, telefones celulares, equipamentos eletroeletrônicos, pneus e medicamentos vencidos.

No dia 9 de agosto, especialistas estarão debatendo essa problemática no I Fórum de Resíduos Sólidos Especiais, que está sendo organizado pelos estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Saneamento Ambiental do Instituto Federal de Sergipe – Campus Aracaju.

Entre os debatedores estarão o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), Olivier Chagas e o secretário do Meio Ambiente de Aracaju, Eduardo Matos. O evento será aberto às 19h, na sala 1S do IFS Campus Aracaju, e terá duração de duas horas.

O objetivo é discutir o cenário atual no município de Aracaju e no estado de Sergipe da gestão dos resíduos tecnológicos.  De acordo com a professora Kelma Vitorino, o fórum contribuirá para a implantação do sistema de logística reversa destes resíduos conforme previsto na Lei Federal 12.305/2010, possibilitando a análise da situação atual no país e sugestões de propostas.

O público-alvo são os estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Saneamento Ambiental, professores e convidados dos segmentos envolvidos.

O fórum é uma atividade da disciplina de Tópicos Especiais em Saneamento, ministrada pela professora Kelma Nobre Vitorino, que trata do tema Resíduos Sólidos Especiais com o intuito de conhecer e discutir os aspectos legais e técnicos que norteiam a gestão e o gerenciamento destes resíduos no Brasil e em outros países.

Segundo Kelma, serão propostas alternativas de descarte e coleta de resíduos sólidos especiais nos municípios sergipanos considerando a necessidade da população descartar adequadamente resíduos especiais que não podem ser entregues à coleta pública domiciliar: eletroeletrônicos, pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes, pneus e medicamentos vencidos ou estragados.

Marineide Bonfim

Ascom IFS – Campus Aracaju