02/08/16 - 14:09:39

17 municípios recebem a visita da Brigada Itinerante (Foro Alan Carvalho)

Por Ítalo Duarte

A programação de combate ao Aedes aegypti para o mês de agosto já foi iniciada pela Brigada Itinerante, a força-tarefa do Governo de Sergipe gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Fundação Estadual de Saúde (Funesa). Nesta segunda-feira, dia 01, a equipe foi o município de Nossa Senhora de Lourdes, distante 152 km da capital. Mais 16 municípios fazem parte da agenda deste mês.

Para a primeira semana de agosto, os brigadistas realizam ações de tratamento e eliminação de focos do mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika em Pedrinhas, na terça e quarta-feira (2 e 3 de agosto), Cedro de São João, na quinta-feira (4), e Japaratuba, na sexta (5).

Para o restante do mês, já estão programados Nossa Senhora da Glória, Boquim, Malhador, Nossa Senhora Aparecida, Pinhão, Santa Rosa de Lima, Campo do Brito, Muribeca, Tomar do Geru, Riachão do Dantas, Ribeirópolis, São Miguel do Aleixo e Neópolis.

Adriel Alcântara, diretor-geral da Funesa, informa que alguns municípios estão recebendo pela segunda vez a visita da Brigada este ano, como é o caso de Cedro de São João. “Estivemos lá em maio, há três meses, realizando ação. Mas sabemos o quanto é necessário intensificar o trabalho em municípios que apresentam índices elevados de infestação do mosquito”, explicou.

Segundo o resultado do Levantamento Rápido de Índices de Infestação para Aedes aegypti (LIRAa) do mês de julho em Sergipe, Cedro de São João, com um índice de 6,4, faz parte dos sete municípios sergipanos que apresentaram números acima de 3,9, representando uma alta classificação de risco para ocorrência de epidemias e surtos. Os outros foram: Aquidabã (5,9), Carira (8,2), Itabaiana (6,7), Nossa Senhora Aparecida (4,8), Porto da Folha (5,0) e Simão Dias (7,7).

“O LIRAa foi realizado em 53 municípios no período pré-agendado pela coordenação do Núcleo de Endemias. A SES continua realizando ações junto aos municípios e com a população para que os índices e riscos diminuam. É fundamental que cada um fortaleça estratégias preventivas, estando atentos ao saneamento básico, fontes, praças, piscinas públicas, cemitérios, terrenos baldios etc. Se tem água parada e limpa, as chances de proliferação do mosquito são enormes”, alertou Sidney Sá, gerente do Núcleo de Endemias da SES.

Além dos sete com o alto índice de infestação do Aedes aegypti, mais 33 municípios foram classificados com médio risco: Areia Branca (1,4), Barra dos Coqueiros (1,1), Boquim (3,1), Campo do Brito (2,52), Capela (1,5), Carmópolis (2,7), Estância (1,6), Feira Nova (2,4), Frei Paulo (2,9), Itabaianinha (2,3), Itaporanga D’Ajuda (1,2), Japaratuba (2,5), Lagarto (1,9), Laranjeiras (2,3), Maruim (2,4), Monte Alegre de Sergipe (3,4), Neópolis (2,2), Nossa Senhora da Glória (3,7), Nossa Senhora das Dores (2,8), Pedrinhas (3,6), Pinhão (2,2), Poço Verde (1,5), Propriá (1,5), Riachuelo (1,4), Ribeirópolis (1,1), Rosário do Catete (1,8), Santo Amaro das Brotas (1,4), São Cristóvão (2,9), São Domingos (3,7), Siriri (1,3), Tobias Barreto (1,3) e Tomar do Geru (2,9). Aracaju encontra-se com índice 1,6 (até o dia 15 de julho).

Já 13 municípios apresentaram resultados abaixo de 1%, cuja classificação é de baixo risco. Foram eles: Arauá (0), Canindé do São Francisco (0,3), Cristinápolis (0,9), Indiaroba (0,9), Japoatã (0,9), Malhador (0,9), Moita Bonita (0), Nossa Senhora do Socorro (0,8), Pirambu (0,9), Poço Redondo (0,8), Salgado (0,4), Santana do São Francisco (0,6), Umbaúba (0,7).