05/08/16 - 11:18:14

Evento debate os caminhos da reforma agrária em Sergipe (Foto assessoria)

Dezenas de agricultores e lideranças sociais participaram nessa quinta-feira (04), em Aracaju, de um evento que discutiu a realidade e os caminhos da reforma agrária em Sergipe.

Promovido pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Sergipe (Fetase), o debate, inserido na programação do “Coletivo de Políticas: Agrícolas, Agrária e Meio Ambiente”, foi aberto com uma palestra ministrada pelo superintendente regional do Incra em Sergipe (INCRA/SE), Haroldo Araújo Filho.

Durante a conversa com os agricultores, o superintendente traçou um breve panorama histórico dos modelos de distribuição de terras adotados no país e falou sobre a necessidade de mudança nos conceitos que norteiam a atuação da autarquia federal. “Para superar esse modelo histórico de concentração fundiária é preciso trabalhar sob o conceito de governança agrária. O Brasil precisa conhecer suas terras e elaborar políticas de Estado efetivas, para atender às reais necessidades do seu meio rural”, afirmou.

Araujo Filho também falou sobre a importância da participação dos movimentos sociais e da consolidação de uma relação com o Incra baseada no respeito mútuo e na autonomia. “O papel de vocês na construção do futuro é indispensável, especialmente em um momento de tantas interrogações. O Incra precisa dessa participação, porque é essencial ouvir os pleitos e reconhecer a representatividade dos movimentos, construindo uma relação de respeito, mas também de autonomia, para melhor executar o papel de Estado que a autarquia possui”, explicou.

Após a palestra, além de responder aos questionamentos dos agricultores durante um debate, o superintendente elencou os principais desafios que o Incra deverá enfrentar para assegurar novos avanços para a reforma agrária em Sergipe. “Mesmo diante de um cenário de dificuldades econômicas, nós precisamos encontrar caminhos para promover o desenvolvimento dos nossos assentamentos. Para isso, precisamos encarar desafios como o da regularização da situação ocupacional dos lotes, da garantia da prestação de assistência técnica continuada nos assentamentos e da execução de políticas públicas que estimulem o desenvolvimento e melhorem a infraestrutura das áreas de reforma agrária”, afirmou.

Iniciado na última terça-feira (02), o “Coletivo de Políticas: Agrícolas, Agrária e Meio Ambiente” foi encerrado ontem, com debates que também tiveram como tema os créditos fundiários.

Daniel Pereira

Assessoria de Comunicação Social

INCRA/SE