10/08/16 - 10:15:59

HU aprimora segurança do paciente com novo protocolo (Foto assessoria)

Os Medicamentos de Alta Vigilância (MAVs) são aqueles que apresentam um maior risco de provocar danos significativos aos pacientes, especialmente por falhas no processo de utilização. Para evitar esse tipo de consequência, o Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS) implantou neste mês o Protocolo dos Medicamentos de Alta Vigilância (MAVs), que leva em conta os remédios considerados mais críticos e que são consumidos pelos usuários do HU.

De acordo com a farmacêutica do HU-UFS, Michelle Menezes, o protocolo foi elaborado por uma equipe multiprofissional. “Todos são importantes nesse processo, que vai desde a prescrição do medicamento até a sua distribuição, passando por médico, equipe de enfermagem e farmacêutico. Nosso maior objetivo com a implantação do protocolo é prezar pela segurança do paciente”, destaca.

Ela explica que o Hospital Universitário de Sergipe trabalha com estratégias   para   minimizar   a   ocorrência   de   erros, a exemplo da padronização das prescrições, do armazenamento adequado, da dispensação do preparo e da administração desses medicamentos.

Inovação

Michelle informa ainda que a instituição faz a unitarização de medicamentos de forma automatizada, o que otimiza a distribuição e evita desperdícios. “Cada paciente recebe o seu medicamento devidamente fracionado. Na mesma máquina que faz a unitarização criamos um layout para indicar os Medicamentos de Alta Vigilância. Esse layout foi uma inovação, inclusive passamos isso para o fabricante da máquina, que já está replicando a ideia para outros hospitais”, destaca, afirmando que o HU de Sergipe passou a servir como referência nesse processo.

“É importante destacar que, mesmo sendo utilizado de forma correta, um medicamento pode causar depressão respiratória, taquicardia, sangramento, uma lesão incapacitante e até mesmo a morte. Por isso que temos o cuidado e o compromisso de seguir o Protocolo dos Medicamentos de Alta Vigilância (MAVs), minimizando a possível ocorrência de erros”, comenta a farmacêutica.

Por: Andreza Azevedo