10/08/16 - 13:23:33

Especialistas alertam: muito cuidado na hora de se maquiar (Foto divulgação)

Especialistas alertam para os cuidados necessários com o uso de cosméticos

O uso de maquiagem é um dos costumes mais antigos das civilizações, pesquisas apontam que seu surgimento se deu no Egito Antigo e se espalhou para outras sociedades.  A maquiagem ganhou força a partir do século XV, quando a Itália e a França se tornaram os principais fabricantes de produtos de beleza.

Nessa época, o uso de maquiagem era privilégio de reis, cortesãos e aristocratas, que apreciavam principalmente o pó-de-arroz e pomadas coloridas que serviam para pintar os lábios. Somente no século XVIII é que tais artefatos começaram a se popularizar, mesmo não sendo bem aceitos em todos os países. Mas nem só para embelezamento dos corpos serviu a maquiagem, também foi muito utilizada em táticas de guerra para disfarçar e confundir os inimigos.

Esse artefato que se popularizou no mundo inteiro, ganhando adeptos e adoradores, responsável por embelezar homens e mulheres, quando não usado de forma correta pode causar alguns problemas de saúde. Sabemos que seu uso se dá na pele, e a pele é um órgão do corpo humano dos mais complexos. Exerce a função principal de revestimento, protegendo o corpo contra agressões do meio ambiente e funções sensoriais, além de ter o seu importante papel na regulação térmica, defesa orgânica e controle do fluxo sanguíneo. Entretanto, algumas pessoas desenvolvem alergia ao uso de produtos de beleza, por isso é importante estar atento.

O uso de cosméticos que já perderam a validade, por exemplo, pode trazer riscos à saúde, sim. Segundo a dermatologista Danielle de Brito Silva, do Hapvida Saúde, quando a validade de um produto — sejam produtos de cabelo, cremes para a pele ou maquiagens — vence, significa que os ativos da fórmula e os conservantes adicionados a ela perderam a função. “Não só o produto deixa de fazer efeito, mas também a chance de contaminação fica muito maior. Cosméticos, por si só, já são um ótimo meio de cultura para fungos e bactérias. Os conservantes são colocados na fórmula para evitar isso, por isso é importante respeitar a validade”, diz a médica.

A validade tem que ser levada a sério, embora exista uma margem de segurança de duas semanas, em média, para o seu desuso. Um cosmético já vencido, seja creme ou maquiagem, não oferece garantia da eficácia dos ingredientes empregados. Ele pode sofrer oxidação, o que acarretaria problemas como alergias, coceiras, vermelhidão, inchaço, descamações e até bolhas e queimaduras. No couro cabeludo e nos cabelos, podem ocorrer irritações, piora da caspa, aumento da oleosidade e ressecamento dos fios. No caso de produtos usados nos olhos, como rímel e lápis de olho, o perigo é ainda maior: existe risco de conjuntivite e até infecção na córnea.

Se não houver cuidado, a alergia pode evoluir para algo mais sério, infecionando a lesão e necessitando de tratamento com antibióticos. Além disso, a empresa fabricante não dará garantia ou suporte caso haja alguma reação. O contato com o oxigênio do ar, a temperatura e a luminosidade são fatores degradantes que se intensificam com o passar do tempo. Se o produto em questão estiver sendo utilizado em algum tratamento, como cremes clareadores de manchas, ao invés de ajudar, pode agravar a condição clínica (escurecendo a pele, por exemplo), devido à sensibilização dermatológica. “A recomendação é sempre procurar um médico, e a partir daí se descobrirá o porquê da irritação para poder tratar”, salienta Danielle.

É preciso prestar atenção ainda, que mesmo cosméticos dentro da validade podem estragar. Isso ocorre porque, às vezes, a embalagem não é bem fechada, é guardada em lugar inadequado ou ainda porque houve a contaminação por bactérias que passam das mãos para o produto. Por isso, é importante ficar atento à aparência, consistência, cor e cheiro.

Com uma oferta cada vez maior desses produtos, aumenta também o número de substâncias diferentes em contato com a pele e, consequentemente, a possibilidade de alguma alergia ser desencadeada. A estudante Ingrid Andressa sofria com descamações, coceira e vermelhidão nos dedos das mãos e demorou para descobrir a causa. “Depois de muito tempo com o acompanhamento de dermatologistas e um alergista, recentemente descobri a que tinha alergia através de um teste de contato. Era à substância thimerosal. Para as reações alérgicas sumirem, tenho que passar pelo menos três meses sem pegar nela, que está presente em muita coisa, de cosméticos a medicamentos. Estou aprendendo maneiras de como evitar o seu uso ou substituir os produtos que eu antes utilizava”, conta.

Raramente alguém descobre uma alergia antes, o comum é que descubram no momento do contato. No entanto, é possível se prevenir. A orientação é que ao utilizar um produto novo, deve-se colocar uma pequena quantidade no antebraço e aguardar por algumas horas. Repita por mais dois dias e, se não aparecer nenhum sinal de irritação, é sinal de que se pode usá-lo normalmente.

O importante é estar atento aos sinais, os cuidados com a beleza devem estar atrelados aos cuidados com a saúde. Atualmente o mercado de cosméticos já dispõe de uma gama de produtos de beleza para quem tem alergia, são produtos hipoalergênicos e antialérgicos, indicados no combate irritação e outros problemas cutâneos.

D COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA