10/08/16 - 18:26:47

Já virou rotina. Se tem 200m medley em Olimpíada, tem Michael Phelps, Ryan Lochte e Thiago Pereira na piscina. É assim desde Atenas 2004

Já virou rotina. Se tem 200m medley em Olimpíada, tem Michael Phelps, Ryan Lochte e Thiago Pereira na piscina. É assim desde Atenas 2004. E na tarde desta quarta-feira, no Estádio Aquático da Barra da Tijuca, os três veteranos iniciaram a disputa da prova juntos pela última vez. Em busca de um inédito tetracampeonato olímpico, Phelps caiu na água pouco mais de 14 horas depois dos dois mais recentes ouros de sua histórica coleção de 25 medalhas. Evitando se desgastar, nadou em um ritmo relativamente leve e avançou às semifinais na terceira colocação (1m58s41). Nadando exatamente ao lado do americano, Thiago Pereira fez boa prova, manteve a mesma toada e ficou com o quinto tempo (1m58s63). Ao fim, os dois conhecidos de longa data trocaram algumas palavras e, segundo o brasileiro, Michael está impressionado com o público na Rio 2016.

– Foi boa a prova. Primeira caída na água. Dá aquela ansiedade. Nunca nadei com a casa tão cheia. Agora é descansar e focar nessa semifinal. Tivemos uma conversa normal de depois de prova (ele e Phelps). Comentou da arquibancada, de estar perto por causa do barulho, da torcida. Acho que ele também vem sentindo isso em cada prova. Acho que a gente vão estar junto na semifinal de novo. Eu, ele e o Ryan (Ryan Lochte). Mais uma Olimpíada com os três juntos. Já é a quarta. É bem legal estar com eles disputando essa prova – afirmou Thiago Pereira.

Michael Phelps, que deixou o Estádio Aquático mais de 1h da madrugada desta quarta, após levar os ouros dos 200m borboleta e 4x200m livre, admitiu que não está sendo fácil enfrentar a maratona de provas aos 31 anos. Mas saiu satisfeito com o terceiro tempo da eliminatória.

– Definitivamente, cansa um pouco. Mas meu nado não foi tão ruim. Meu corpo doeu um pouquinho, mas acho que um bom descanso agora à tarde e vai ficar tudo bem – disse o mito americano.

Henrique Rodrigues, que também fez boa prova e terminou logo à frente de Thiago Pereira, com o quarto melhor tempo da fase de classificação 1m58s56. Eles voltam à piscina ainda na noite desta quarta, a partir das 22h (de Brasília), quando serão definidos os oito finalistas da prova.

Posicionados nas raias 4 e 5 da última bateria, Michael Phelps e Thiago Pereira levantaram a torcida na arena. Com uma boa largada, o brasileiro virou os primeiros 50m do nado borboleta em primeiro. Phelps, que teve o segundo pior de tempo de reação na saída do bloco, acordou a partir do segundo estilo, costas, e colou em Pereira. O nadador de Volta Redonda ainda conseguiu manter a ponta no nado peito, mas viu o maior atleta olímpico de todos os tempos assumir a frente para vencer a bateria, com Thiago chegando logo na sequência, para delírio do público na arena.

Nadando na série mais forte da eliminatória, Henrique Rodrigues chegou a liderar metade da bateria. No entanto, foi ultrapassado por Ryan Lochte e pelo alemão Philip Heintz, que anotaram os dois melhores tempos. A marca do brasileiro, no entanto, foi suficiente para ficar com a quarta colocação, se posicionando entre Michael Phelps (3º) e Thiago Pereira (5º) na classificação geral.

– Prova muito boa, controlada. Nadando bem, nadando fácil. Previsão é isso mesmo. Ainda meio dormindo, ideia mais tarde é nadar melhor. Esta todo mundo equilibrado, à noite melhora, a prova semifinal vai ser muito boa. Se tudo ocorrer bem, vai ser minha primeira final olímpica. Treinei bastante para isso, treinei bastante para estar aqui. Agora é relaxar a cabeça e nadar feliz – avaliou Henrique.

Phelps em busca de feito inédito

Com a aposentadoria marcada para o fim da Rio 2016, o maior atleta olímpico de todos os tempos segue aumentando seu repertório de marcas históricas. Campeão dos 200m medley em Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012, Michael Phelps tem a oportunidade nos 200m medley de se tornar o primeiro nadador com quatro ouros em uma mesma prova individual.

Um dos principais candidatos a atrapalhar os planos é justamente o compatriota Ryan Lochte, que também sempre esteve no pódio nas três ocasiões: duas pratas e um bronze. Presente com Phelps e Lochte nas três últimas finais olímpicas, o brasileiro Thiago Pereira tenta quebrar o jejum na prova após dois quartos lugares (2008 e 2012) e um quinto (2004).

Fonte: globo.com