13/08/16 - 00:01:02

O VENCEDOR É…

DIÓGENES BRAYNERplenario@faxaju.com.br

Se existe um vencedor, além do próprio Brasil, com o impeachment de Dilma Rousseff, é o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo. Na defesa da presidente afastada, ele brilhou como nunca antes em sua longa carreira de parlamentar petista. Na pasta que comandou, foi um tímido que aguentou – aqui e ali – os rompantes grosseiros da presidente.

A opinião, com o título acima, é do cientista político Murillo Aragão.

Cardozo saiu do processo derrotado mas vitorioso – em política e no direito, muitas derrotas podem significar vitórias. Derrotado, por não impedir o que era inevitável. Vitorioso, por ter aproveitado cada segundo de exposição para se exibir como um portento na tribuna e na retórica. E defensor de uma causa, ainda que rota, mas uma causa.

Cardozo não se importa de sair de cena como patrono do argumento bobo de “golpe”. Levará isso até o final da vida como uma medalha. Como sabemos, ele não é tonto. Sempre soube que sua linha de defesa era frágil e a cliente um horror.

Outro ponto a favor do ex-ministro é o fato de que ele está limpo das sequelas do petrolão. Nada de sério, até agora, o atingiu. Muito menos as extravagantes histórias de doações e cobranças que colocarão alguns petistas na cadeia.

Ao contrário do ex-ministro Aloizio Mercadante, Cardozo não se meteu em ações e iniciativas que poderiam ser consideradas obstrução da Justiça. Em meio ao naufrágio petista, salvou-se em um barquinho que rema para longe da confusão.

O que será de Cardozo quando o processo de impeachment chegar ao fim? Certamente, e com toda justiça, um advogado requisitado. Também deverá ser o advogado a lutar para que o PT não seja extinto pela Justiça Eleitoral. Aliás, poderá ser o único nome de ponta do partido a sobreviver limpo. O que o coloca, desde já, como um político com sobrevida em meio à chacina que a Operação Lava-Jato causará no partido.

BELIVALDO

O desembarque de Belivaldo Chagas no PMDB terá recepção vip. Será um ato com faixas saldando o novo filiado e a presença de lideranças do partido.

Peemedebistas acham que a decisão de Belivaldo é coerente.

MUDAR FOCO

Setores do PMDB acham que o candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) deve mudar o foco da campanha, atualmente direcionada só a João Alves Filho (DEM).

– João não é adversário único, admitem.

CORRER RISCO

O PMDB acha que o bloco não pode correr o risco de perder essa próxima eleição, porque isso afeta e contamina o Governo do Estado.

– Estamos nas preliminares de 2018, disse.

BOM CAFÉ

Edvaldo Nogueira tomou café da manhã, ontem, com o reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, ao lado do ex-reitor Eduardo Garcia e de professores.

Nas conversas, a lembrança do período de Edvaldo na Universidade.

VALADARES

O candidato a prefeito pelo PSB, Valadares Filho, está animado com conquistas que vem obtendo e se somam à sua candidatura.

Ontem ele recebeu apoio de vários pastores evangélicos.

PROGRAMA

No período da noite, Valadares tem se reunido com sua equipe para concluir o seu Plano de Governo, que pretende exibir nos programas de TV.

O pessoal deixou seu apartamento na madrugada de sexta-feira.

OPINIÃO

A opinião é de um candidato a vereador pela coligação que apoia Edvaldo Nogueira: “ele estava bem melhor do que depois de ter fechado a chapa”.

– É que hoje está em más companhias, disse em off, sem indicar quais.

TRÊS ‘S

O governador Jackson Barreto (PMDB) disse ontem em Tobias Barreto que a campanha a prefeito e a vereador será na base dos ‘três S’.

– Sola de sapato, santinhos e saliva.

FRANCISCANA

Para Jackson, será uma campanha absolutamente franciscana por várias circunstâncias: a crise e a legislação eleitoral, que regulamenta o processo eleitoral.

Lembrou que começou suas campanhas assim.

LAGARTO

Valmir Monteiro (PSC), candidato a prefeito de Lagarto, diz que a campanha está se iniciando em paz e fará o seu registro na segunda-feira.

Avisa que não teve problemas para tirar suas certidões.

JOÃO ALVES

Ontem o candidato à reeleição, João Alves Filho (DEM), e o vice, Jailton Santana (PSDB), tiraram fotos para a campanha

A senadora Maria do Carmo também estará nos cartazes.

JINGLE

Também já foi composto o jingle da campanha de João e o segredo que a coligação mantém a sete chaves é o nome do cantor que o interpreta.

Será um cantor muito conhecido. Será Wesley Safadão?

PARA PROVAR

O prefeito de Muribeca, Fernandinho, teve que comparecer ontem ao TCE para provar que pagou o mês de julho. Na relação do Tribunal ele não havia pago.

Cabe uma pergunta: quem é o culpado por tantos erros do TCE?

ASSEMBLEIA

As sessões na Assembleia Legislativa têm acontecido com frequência regular mas sem muito uso da tribuna. O momento é de campanha eleitoral.

Tem deputados candidatos e a maioria quer eleger prefeitos em suas cidades.

MUDANÇA

Chega a informação de que o líder do Governo, André Moura, pode trocar o PSC por uma legenda de maior peso político para o pleito de 2018.

Fala-se no PMDB, mas em Sergipe ele encontra obstáculos.

SALTOS ALTOS

Segundo um parlamentar da área federal, André Moura pretende saltos políticos bem mais altos a partir de 2017, mais o fato de integrar uma legenda pequena dificulta.

A discussão sobre um novo partido ficou para mais à frente.

2º TURNO

Assessores dos três principais candidatos – Edvaldo, João Alves e Valadares Filho – apostam que não há como se ganhar as eleições em primeiro turno.

Todos acham que quem defendem já está no páreo.

JOÃO ALVES

Há um mês Edvaldo Nogueira e Valadares Filho anunciavam que disputariam o 2º turno com João Alves Filho. Com o episódio recente do ‘sai não sai’ mudaram de ideia.

Admitem que a disputa final seja entre eles.

Notas

Requisito – O presidente regional do PPS, Clovis Silveira, acha que idade não é requisito primordial para ser um bom administrador. O que vale é a competência, que é uma grande aliada da experiência! O PPS integra o bloco de partidos que apóiam a reeleição do prefeito João Alves Filho, nas próximas eleições.

0x0

Risco – Sem dinheiro para campanha e mesmo com preço do marketing um pouco mais em conta, um prefeito da região sul de Sergipe fechou acordo de risco com agência de publicidade e marketing para pagar toda a estrutura e acompanhamento de campanha, e receber se ele eleger-se com recursos do município.

0x0

Licitação – A Ordem dos Advogados do Brasil ingressou com ação no Supremo Tribunal Federal pedindo que a corte declare constitucional a contratação de advogados pela Administração Pública sem a necessidade de licitação, conforme previsto nos artigos 13, inciso V e 25, inciso II, da Lei 8.666/93.

0x0

Covardia – Delação premiada “não deixa de ser um ato de covardia”, afirmou ontem o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio. Além disso, a confissão deve ser voluntária, e não pode ser forçada, apontou o magistrado em palestra no 7º Congresso Brasileiro de Sociedades de Advogados, realizado em São Paulo.

0x0

Cassação – O jornalista Kennedy Alencar informa em seu blog, que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) informou que pretende “ter mais de 400 deputados”, no plenário no dia 12 de setembro, data que marcou para votar a recomendação de cassação do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

0x0

Testemunhas – O advogado José Eduardo Cardozo apresentou ao Senado Federal as seis testemunhas que vão depor a favor de Dilma Rousseff no processo de impeachment da presidente afastada. Os nomes estão no documento com as argumentações finais da defesa entregue ontem à Secretaria-Geral da Mesa.

Conversando

Pokémon – Publicitários brasileiros criaram a versão do Pokémon Go à brasileira: o novo jogo caça “políticos corruptos”.

Lentidão – Polícia continua na operação lenta em Sergipe e todos ficaram vulneráveis a assaltos a qualquer hora do dia. É preciso cuidado.

Eleições – As cidades do interior não estão em ritmo de eleições municipais e nem os candidatos ainda se dispuseram em ir às ruas.

Renan – O senador Renan Calheiros se comprometeu a subir no palanque de candidatos a prefeitos de 75 dos 102 municípios de Alagoas.

Na luta – Capitão Samuel lembra que Policiais Militares lutam diariamente nas ruas do País contra a marginalidade, o reconhecimento por isso quase não acontece.

Vendas – Em entrevista, o senador Eduardo Amorim diz que este Governo é capaz de vender a Deso, vender a Sergás e vender o Banese.

Debate – Presidente da Adepol diz que Alese se omitiu do debate sobre a previdência e, por isso, categoria agora busca Judiciário para discutir parcelamento.

Preocupação – Clovis Barbosa fala sobre preocupação do TCE com nova decisão do Supremo, mas garante a casa continuará trabalhando.

Odebrecht – Rogério Carvalho (PT) questiona perseguição à Odebrecht. Lembra que empresa não foi das que mais doou e representa tecnologia de ponta do país.