19/08/16 - 10:11:19

O que alunos e pais pensam sobre o ensino da Língua Portuguesa (Foto ascom)

A curiosidade sobre como os pais e alunos do Colégio Estadual 28 de Janeiro veem o ensino da Língua Portuguesa, se eles acham que é preso ao tradicionalismo ou se existe uma inovação desse ensino, levou o professor Carlos Alexandre Nascimento Aragão a criar um projeto junto com alunos do ensino médio.

O projeto foi desenvolvido com base teórica, onde os alunos junto com o professor, Carlos, discutiram a literatura. Depois colheram as entrevistas gravadas, que foram divididas em dois questionamentos: “Como os pais e alunos concebem o ensino de Língua Portuguesa no espaço escolar?” e “Qual a importância da língua portuguesa na sua vida social e profissional?”. Por fim, foram feitas as transcrições e a partir disso, analisou-se as falas dos sujeitos à luz da teoria estudada em busca dos resultados.

Para a escolha dos bolsistas, o professor divulgou o projeto na escola com o intuito de incentivar a participação dos estudantes. Os alunos interessados fizeram uma prova, onde foram selecionados 3 bolsistas: Calyne Porto de Oliveira, José Thiago Dantas Costa e Luciene de Oliveira. Além dos bolsistas, existe a participação como co-orientadora da professora Soraya de Souza Carvalho.

Resultados

Os dados mostraram que o caminho para o ensino da língua desprendido da gramática é longo. Afinal, as pessoas envolvidas no processo de ensino (professores, pais e estudantes) exigem do espaço escolar o modo tradicional de ensinar a Língua Portuguesa.

“Cabe aos envolvidos, em especial aos professores, iniciarem as transformações necessárias, fazendo do ensino de língua um momento dinâmico e desprovido de normas.”, destaca Carlos Alexandre.

Um breve recorte da pesquisa foi apresentado no Congresso Internacional de Argumentação e Discurso no final de maio na UFS e o resultado final será apresentado na Feira Estadual de Ciências, Tecnologia e Artes de Sergipe 2016 (Cienart). O desejo é a publicação em uma revista científica.

PIBICJr

O professor falou sobre o valor da pesquisa para os alunos. “Traz uma nova perspectiva para a escola pública. É a segunda pesquisa que eu desenvolvo. Observo que os alunos bolsistas levam para o seu cotidiano, refletindo na sua aprendizagem no colégio. É um grande preparo para o futuro universitário. Eu vejo o PIBICJr como um espaço de oportunidades, boas perspectivas para os alunos da escola pública”.

Assessoria de Comunicação

Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe – Fapitec/SE