24/08/16 - 15:21:27

“Espero que esse jogo de espelhos que é a ficção possa religar o público, pelo olhar trágico, a valores positivos”, ela revela e fala

Papéis fortes, dramáticos, vilãs odiadas e protagonistas idolatradas: após a repercussão positiva de seus últimos trabalhos na TV, principalmente em Império e Verdades Secretas, Drica Moraes agora interpreta uma mulher desequilibrada e emocionalmente frágil. “É alguém pedindo socorro, que vive no limite das emoções. Abandonada pelos seus supostos afetos e por si mesma”, explica a atriz.

Na pele de Vânia, em Justiça, Drica trará à tona a questão dos maus tratos contra as mulheres, já que sua personagem terá um relacionamento conturbado com o marido Antenor (Antonio Calloni), um empresário sem escrúpulos.

Levar esse assunto aos telespectadores é, segundo a atriz, uma forma de tentar conscientizá-los da melhor maneira possível: “Espero que esse jogo de espelhos que é a ficção possa religar o público, pelo olhar trágico, a valores positivos”, ela revela e fala, ainda, sobre as dificuldades de interpretar um papel tão intenso. “É bem exaustivo passar o dia vibrando nesse lugar do abandono e da violência. Meu maior desafio é acolher a personagem sem ir aos meus limites”. Na trama, Vânia tem problemas com bebidas e se sente frustrada por ter jogado fora o sonho de ser cantora para ficar em um casamento infeliz. Apesar de toda a dramaticidade, o passado musical da personagem trouxe uma alegria à sua intérprete: voltar a praticar o canto. “Estou felicíssima de fazer as aulas”.

 

Novo formato

A minissérie escrita por Manuela Dias contará quatro tramas independentes que se intercalam, e o público vai desvendando os acontecimentos para ir montando, aos poucos, um instigante quebra-cabeça. Drica elogia o formato desse ‘texto enxuto e preciso’, segundo suas próprias palavras, e destaca um fato curioso dos bastidores: “Como fico meio isolada na minha trama com Calloni e Cauã – os dois atores com quem ela se envolverá na história – tem sido um processo extremamente solitário. Sinto falta das coxias das novelas, aquele bando de mulher fofocando no camarim”.

Fonte/Foto: globo.com