27/12/16 - 08:54:57

Programa Estadual IST/Aids realiza ação social e educativa (Foto ascom)

Durante a ação, os moradores receberam informações sobre doenças sexualmente transmissíveis, em especial a sífilis congênita

Encerrando as atividades de 2016, o Programa Estadual de IST/Aids participou na última sexta-feira, 23, de uma ação social e educativa em uma das regiões mais carentes e isoladas de Aracaju, a comunidade Aloque, localizada atrás do Conjunto Santa Lúcia. A atividade foi realizada em parceria com o Projeto Crer/SER, formado por professores e estudantes da capital, e que acompanha de perto as dificuldades dos moradores daquela localidade.

Crianças, jovens e adultos receberam comidas, roupas, brinquedos, material escolar, cestas básicas, participaram de brincadeiras e, acima de tudo, tiveram uma tarde de muito amor e diversão. Utilizando a figura do Papai Noel, o gerente do Programa Estadual de IST/Aids promoveu o momento educativo, com um bate-papo a cerca da sífilis, em especial a do tipo congênita. “Conversamos com mães e gestantes com o intuito de orientar e esclarecer sobre a infecção e as consequências dela, bem como a importância da prevenção”, ressaltou o médico sanitarista, Almir Santana.

Segundo ele, até o momento, o Estado registrou 251 casos de sífilis em crianças (congênita) e 262 em gestantes. Em Aracaju se concentra cerca de 23% destes casos: são 61 em crianças e 56 em mulheres grávidas. “A incidência desta infecção sexualmente transmissível continua grande e enfrentá-la é um desafio. Desde 2010, atuamos com capacitações dos profissionais de saúde, implantação do teste rápido, campanhas educativas e ações com esta, que envolve um grupo de pessoas e multiplica a informação”, esclarece o gestor.

Para uma das coordenadoras do projeto, Isis Bianca, ter nas ações sociais momentos como o que Almir Santana conduziu, é de extrema importância. “Essa comunidade é muita esquecida, não possui informação e assistência. Muitas crianças da região nasceram com sífilis, além de outras doenças que não são sexualmente transmissíveis, mas que são recorrentes devido à precariedade do local. Por isso, o que pudermos trazer de conhecimento para eles, faz toda diferença”, avaliou, agradecendo a participação do Programa Estadual na ação.

Crer/SER

O projeto social Crer/SER nasceu em 2015 e conta com o trabalho voluntário de 21 pessoas. “Juntas, nós tentamos mudar um pouco a realidade do Aloque, uma comunidade onde a perspectiva de vida é pequena e toda ajuda é bem-vinda”, enfatiza Isis Bianca. O grupo procura organizar eventos em datas significativas, como São João, Dia das Crianças e Natal.

“Em 2017 queremos muito mais. Pensamos em fazer oficinas semanais de reforço, dança e artes, por exemplo. Ainda precisamos de um local apropriado para isso, mas temos como incentivo a vontade daquelas pessoas em aprender e a confiança em nós. Quando informamos que haverá ação, todos ficam esperando ansiosos”, diz, orgulhosa.

ASN