01/01/17 - 19:15:57

Edvaldo faz perfil dramático da situação caótica em que assume prefeitura

Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Eliane Aquino (PT) foram empossados neste domingo (01/01/2017. A transmissão foi feita pelo agora ex-vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB), que substituiu ao ex-governador João Alves Filho (DEM), que não compareceu à solenidade, realizada no auditório do Tribunal de Justiça.

Edvaldo Nogueira, ao ser empossado, agradeceu presença de José Carlos Machado e disse que “a política é feita de gestos. A eleição passou. O trabalho agora é reconstruir a cidade”, afirmou Edvaldo, que, neste momento, faz seu primeiro discurso como prefeito empossado de Aracaju

Em sua fala, Edvaldo disse que era com uma alegria “indescritível que compareço aqui hoje (01/01), com a imensa responsabilidade de corresponder às esperanças e anseios não apenas dos 146.271 eleitores que decidiram confiar a mim, mais uma vez, o destino de Aracaju nos próximos quatro anos, mas de todos os cidadãos aracajuanos, sem distinção, que terão em mim o seu prefeito, o guardião dos deveres municipais e o zelador mais esforçado e apaixonado para servir ao povo desta bela e moderna cidade de Aracaju”

Segundo ainda Edvaldo, “aalta aos olhos a eleição de uma chapa como a que compomos, eu e Eliane Aquino, aqui em Aracaju, que representa uma vitória em contraste com a onda conservadora que varreu o país nas últimas eleições, quando as forças progressistas sofreram um duro revés. Na contramão de um adverso cenário nacional, Aracaju mais uma vez dá provas de autonomia e vanguardismo ao resto do país e se ergue, ao lado do Rio Branco, como a única capital a eleger um prefeito e uma vice-prefeita situados no campo político da esquerda.”

Continuando seu discurso, Edvaldo diz que “não é segredo para ninguém que a situação da Prefeitura de Aracaju hoje é o retrato do caos. Não aquele caos como categoria filosófica que encerra em si uma ordem ainda por desvendar-se, um nexo ainda por entender-se, mas o caos na sua concepção semântica mais absoluto, aquele que descreve o desgoverno, a desorganização, a bagunça, o desmantelamento de qualquer ordem ou método”.

– Nos últimos quatro anos, as conquistas que nossa capital veio acumulando como legado de administrações operosas e transformadoras, como foram as de Jackson Barreto, Wellington Paixão, Almeida Lima, João Augusto Gama, Marcelo Déda e a minha, foram desmontadas, uma a uma. A cidade que dava orgulho a todos os sergipanos e chegou a merecer o título de Capital Brasileira da Qualidade de Vida, despertando a admiração de todo o país e servindo de inspiração e modelo para dezenas de prefeituras, parou no tempo e regrediu, disse Edvaldo.

Para Edvaldo, “recuperar o patamar de qualidade na prestação dos serviços municipais que nossa cidade já havia alcançado vai exigir, sem sombra de dúvida, um gigantesco esforço”

Edvaldo Nogueira antecipou que “os próximos meses serão muito difíceis para a Prefeitura. Temos pela frente uma série de desafios. Os primeiros, e mais urgentes, são a regularização do pagamento dos servidores e a normalização dos serviços prestados pela rede municipal de saúde. Não são desafios simples. Assumo a Prefeitura sem que os funcionários tenham recebido o salário de dezembro e o décimo terceiro, e enfrentando ainda uma folha inchada, que triplicou de tamanho em quatro anos”.

E mais: “Tudo isso é agravado ainda mais pelo fato de que a situação de descalabro financeiro do município praticamente inviabiliza novos investimentos imediatos. O quadro de desmantelamento de políticas públicas indispensáveis que nossa equipe de transição encontrou no precário atendimento que obtivemos nas secretarias dão conta do enorme esforço que será necessário para reconstruir tais serviços. ”

Prestigiaram a solenidade de posse de Edvaldo Nogueira,  o governador Jackson Barreto, o deputado federal Fábio Mitidieri, vereadores e secretários municipais. A presidente nacional do PCdoB, deputada federal Luciana Santos, prestigiaaram a posse. A solenidade foi concluida com o prefeito Edvaldo Nogueira e a vice-prefeita Eliane Aquino passando a revista à tropa.

(Com informações de Valter Lima)