13/01/17 - 09:31:27

Atenção para Incêndios em Aracaju: o perigo vem de cima!

Aracaju é uma das capitais mais simpáticas do Brasil, seja pelo seu povo acolhedor, seja pelas belezas naturais ou até por sua extensão territorial, o que facilita as pessoas se conhecerem com mais intensidade e facilidade. É bem verdade que ao longo de décadas, o município cresceu, se desenvolveu. Tanto que, seu sistema de trânsito, por exemplo, projetado para 30 anos atrás, já não suporta a quantidade de veículos. Aracaju está se expandindo, mas de uma maneira desordenada. Sobretudo, com muitas invasões e descasos com o meio ambiente.

Já foi um dos pontos mais seguros do País para se viver e, ao longo do tempo, tronou-se uma das regiões mais violentas, com muito “sangue derramado”. Tentaram, inclusive, convencer as pessoas com um título que já era verdade: que éramos a “Capital da Qualidade de Vida”. Isso não é real! É bem verdade que a cidade tem tido boas gestões públicas, mas cada uma delas com suas particularidades, com seus problemas e equívocos. O final da gestão de João Alves Filho (DEM), por exemplo, foi desastroso, é verdade, mas ao longo de quatro anos, também muito foi feito.

Talvez pelo ano de 2016 muito ruim, sua gestão tenha ficado marcada pela ineficiência, pelos compromissos não cumpridos, pela falta de eficiência na aplicação dos recursos públicos, muitas vezes bem conquistados. Mas não é de agora que Aracaju conviva com problemas no transporte coletivo, no lixo, com a falta de mobilidade urbana, com a superlotação de hospitais e sem políticas sociais mais eficientes. João Alves enfrentou as mesmas dificuldades dos demais, mas errou feio quando perdeu o controle sobre os salários dos servidores e sobre a regularidade dos serviços públicos básicos.

Mas esses não são os únicos problemas de Aracaju. Nossa “princesinha” tem sido esquecida pelos governos federais no quesito: grandes investimentos. Aí alguém vai dizer que os recursos chegam sim, mas e não tinham que chegar? O aracajuano, assim como qualquer outro cidadão, costuma pagar seus impostos e é parte da Federação. A ajuda do governo federal tem que vir, proporcionalmente, na mesma intensidade que vem para as outras capitais. Foram oito anos do governo Lula (PT), mais de cinco de Dilma Rousseff (PT) e já temos quase um ano de Michel Temer (PMDB).

A grande verdade é que o acesso da cidade pela BR-101, por exemplo, é desprezível, sem iluminação, sem um grande pórtico, sem, sobretudo, a expectativa do que é Aracaju para quem chega! Temos um aeroporto “internacional” que é sofrível, se comparado com outras cidades; dois terminais rodoviários praticamente esquecidos; um hospital de urgência, e uma Maternidade Pública (que deveria ser para partos de alto risco) que há anos têm que suportar a demanda; praias sem a devida sinalização e carentes de investimentos, sobretudo no turismo que mal explorado; um Centro de Criatividade abandonado e um Centro de Convenções, cuja obra não tem exatamente prazo de conclusão.

Ainda assim Aracaju é rica em potencialidades, mas isso apenas não garante qualidade de vida para quem vive e nem deixa boa impressão para quem vem conhecer. Essa semana, a loja de uma grande rede de supermercados pegou fogo na capital sergipana. O Corpo de Bombeiros, completamente desestruturado, só faltou buscar apoio do mar ou do céu, para controlar as chamas. Foi sim um incêndio de grandes proporções, mas sempre na horizontal. E se o problema fosse registrado em um ou mais edifícios em uma zona mais central da cidade? Será que o CB teria condições de resolver?

Para concluir, a intenção deste colunista, no comentário, é mostrar não apenas o quanto Aracaju é desprestigiada junto ao governo federal. Talvez, inclusive, por falhas em sua bancada no Congresso Nacional. Temos um Hospital Universitário, por exemplo, cuja obra se arrasta há anos! As coisas demoram a acontecer por aqui e, pelo visto, só quem ganha dinheiro, de verdade, são construtores civis e concessionários de veículos. As torres dos prédios mudaram o cenário da capital, existem construções em todos os cantos, algumas irregulares, inclusive, com uma especulação imobiliária forte, mas sem a devida atenção para a segurança. O incêndio no supermercado foi um duro aviso. Não para os bombeiros, mas para os governantes. É bom lembrar que, agora, o perigo vem de cima…

Bombeiros

Para conter o incêndio da rede de supermercados, essa semana, foram acionados quase todos os pelotões dos bombeiros no Estado. O Governo do Estado precisa ter mais zelo com a Corporação. E não apenas na questão salarial. O problema principal está na falta de estrutura.

Concurso

Este colunista recebeu a informação que Sergipe já poderia contar com 1,2 mil homens no Corpo de Bombeiros, mas que atualmente tem apenas 580, mas atender a mais de dois milhões de habitantes. A categoria tem cobrado com insistência ao governador a realização de um concurso público para ontem…

Veja essa!

Depois que a tragédia ocorreu nos presídios do País, as autoridades, sobretudo do Poder Judiciário, decidiram montar uma espécie de “mutirão” para aceleram os julgamentos de presos, que não cometeram crimes de grande proporção, mas que estão esquecidos no Sistema Penitenciário.

E essa!

Ao invés de ficarem brigando, publicamente, sobre quem conseguiu isso ou aquilo, nossos governantes e congressistas deveriam usar o bom senso, descer do palanque e montar uma espécie de mobilização para tentar resolver os problemas de Aracaju e de Sergipe junto ao governo federal.

Mesquinhez

Os sergipanos estão cansados de acompanhar os noticiários e verificar tanta mesquinhez e tantos discursos desnecessários. Se no Brasil as instituições estão falidas, em Sergipe ao que parece, a coisa consegue ser ainda pior. Quem governa, quem legisla e quem deveria promover a Justiça, pelo visto, dormem em “berço esplêndido”.

Desinteresse I

Há nas ruas um profundo desinteresse da sociedade em geral com a política. As pessoas não se motivam mais em apostar no sucesso de determinada administração. O povo decidiu colocar a classe política “no mesmo cesto”; a prova é o desânimo de muitos para votar, algo que só aumenta.

Desinteresse II

Sem contar que muita gente também não está demonstrando mais interesse em candidatar-se. É bem verdade que o crescimento das investigações tem afastado algumas pessoas da política. Hoje, quem tem sua formação ou sua atividade empresarial, pensa duas vezes antes de se filiar em uma legenda.

Exclusiva!

Eleitos sob as graças do governador Jackson Barreto, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e o prefeito de Socorro, Padre Inaldo (PCdoB), sofrem muito com a falta de grupo! Estamos chegando à metade do primeiro da gestão, e na capital, por exemplo, Edvaldo não conseguiu montar todo seu secretariado. A informação é que muita gente foi convidada e algumas pessoas não tiveram interesse…

Socorro

Por sua vez, o Padre Inaldo já gera insatisfação entre os defensores de sua candidatura. A Prefeitura está sendo completamente loteada. Dos 21 vereadores eleitos, 19 já fazem parte da administração e querem seus espaços. Como não há vaga para todo mundo, teve gente que apoiou o religioso e ficou de fora…

Repercutiu

Deu o que falar a nota publicada na coluna anterior sobre o “gelo” que o Padre Inaldo deu em Rogério Carvalho, se esquivando de atender o presidente estadual do PT. Já há quem diga que o prefeito de Socorro esteja sendo orientado a jogar os petistas para “escanteio”. Como muda a política…

Lixo

O grande “presente” do presidente da Adema, Almeida Lima, para os aracajuanos: seu bloqueio súbito, do aterro sanitário da Estre, acumulou o lixo da Grande Aracaju e agora, mesmo com a decisão judicial autorizando o recebimento, a capital está “coberta” de lixo por todos os cantos. É Edvaldo, quem tem um aliado desses, não precisa de inimigo…

Lagarto

Por sua vez, quem dá um bom exemplo é Valmir Monteiro (PSC), prefeito de Lagarto. Em poucos dias de administração, o gestor tem intensificado a coleta do lixo e a limpeza da cidade, sobretudo nos povoados. A prefeitura deixou de ser um “negócio” e voltou a ser encarada como gestão…

Intensivo

Se o suplente de deputado estadual Daniel Fortes (PEN) fez um “intensivão” para conseguir o diploma e assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa, com o afastamento de Tijoy Barreto (PR), a também suplente Rozangela de Zé Américo (PSL) já fez a matrícula no “curso” do advogado Bruno Santiago e já está de olho nas vagas de Augusto Bezerra e Paulinho Filho, que estão afastados da Casa.

 Fábio Henrique

Em viagem de férias, o ex-prefeito de Socorro, Fábio Henrique (PDT), vai assumir a Secretaria de Estado do Turismo, mas até onde se tem conhecimento, depois do desmembramento por parte do governador, do Esporte, FH queria manter a estrutura do Turismo no Batistão. Até onde se tem conhecimento foi voto vencido. Deu a lógica e o Esporte seguirá por lá…

Falando nele

Fábio Henrique, especulado para deputado federal, talvez concentre suas energias em 2018 na reeleição da esposa e deputada estadual Silvia Fontes (PDT). Fora da prefeitura de Socorro e em uma secretaria sem muita estrutura, o pedetista terá que trabalhar muito para manter as lideranças no interior que votaram em Silvia na eleição de 2014.

Deputado federal

Sem contar que há um consenso entre a classe política que entre 12 e 14 nomes “competitivos” estarão brigando por oito vagas de deputado federal em 2018. Esta talvez seja a disputa mais acirrada da próxima eleição.

Funai

Articulada pelo líder do governo Temer, deputado André Moura, a Funai (Fundação Nacional do Índio) ficará sob a gestão do PSC. Resta saber quem será a indicação do sergipano para o cargo.

Audiência

O defensor público geral, Jesus Jairo Lacerda e o subdefensor geral, Leó Neto receberam, na sede da Defensoria Pública do Estado de Sergipe, o secretário de Estado da Justiça, Cristiano Barreto. O objetivo foi tratar sobre melhorias nas unidades prisionais.

Defensoria

O membro da Defensoria Pública destacou a importância da reunião e ressaltou que a instituição busca sempre soluções para reduzir os problemas nos presídios. “Foi uma reunião importante e produtiva na busca de soluções, onde discutimos a saúde dos presos, superlotação, presos em situação de risco, visitas, entre outras questões. O secretário mostrou-se aberto ao diálogo e se comprometeu a colocar uma pessoa à disposição da instituição. Estamos dispostos a cooperar por meio de mutirões de atendimento e tudo que for preciso”, disse Jesus Jairo.

Cultura

Ao receber o governador Jackson Barreto em seu gabinete na capital federal, para tratar de recursos para o fomento da cultura popular e a reforma do Teatro Tobias Barreto, o ministro da Cultura, Roberto Freire (PPS), fez questão de autografar seu livro “Esquerda sem Dogma”. Lembraram de muitas histórias juntos na luta pela democratização do Brasil.

Vem pra caixa!

O prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, e com os vice-presidentes da instituição bancaria, em Brasília. No encontro, o gestor municipal solicitou a retomada de recursos para obras que estão paralisadas em Aracaju e discutiu linhas de crédito e financiamentos para execução de novos projetos na cidade.

Apelos

Três temas foram discutidos na reunião: a retomada de R$ 130 milhões do projeto de mobilidade urbana de Aracaju, as linhas de crédito e financiamento para contrapartidas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a recomposição das verbas para o retorno das obras que estão paralisadas na capital sergipana.

Exposição

Neste sábado (14), na Orla da Atalaia, das 15 às 21 horas, acontece mais uma edição da Exposição de Veículos Antigos, um evento aberto ao público. Fica no estacionamento do Oceanário e vale muito a pena conferir.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com