21/01/17 - 05:06:55

SES: PARALISAÇÃO DO CIRURGIA ESTÁ CAUSANDO IMPACTOS

Com o objetivo de contribuir na resolução da paralisação do Hospital Cirurgia, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) antecipou o pagamento à  Secretaria Municipal da Saúde de Aracaju (SMS) referente ao cofinanciamento estadual da unidade hospitalar na ordem de R$ 1.589.186,87 do mês de janeiro.

Preocupada com o impasse entre a SMS e o Hospital Cirurgia, a SES vem dialogando diariamente com os dois entes e espera que encontrem um entendimento para que o serviço seja restabelecido o mais breve possível e a Rede Estadual de Saúde não entre em colapso.

A paralisação do Cirurgia está causando impactos em diversos serviços oferecidos pelo Huse:

  1. Ortopedia: o Hospital Cirurgia deve ser porta aberta para monotraumas e, também, deve atender os pacientes de alta complexidade (fraturas de fêmur, quadril, pacientes idosos). Sem a assistência no Cirurgia, esses pacientes vão se acumulando no Huse.
  2. Vascular: com paralisação do Hospital Cirurgia, o Huse está com grande volume de pacientes clínicos que deveriam ser redirecionados para a unidade filantrópica. Sem esse atendimento, os pacientes apresentam piora do quadro, tendo, em muitos casos, a necessidade da amputação de membros.
  3. Neurocirurgia: a referência do estado para as cirurgias de coluna é o Hospital Cirurgia, cujo o número de pacientes vêm se acumulando no Huse. Também são transferidos os que possuem tumor cerebral, que não podem esperar muito tempo, tendo em vista a rápida progressão desse tipo de patologia.
  4. Cardíacos: esses pacientes têm profundo impacto no Huse, pois são infartos que necessitam de cirurgia cardíaca e os clínicos (insuficiência cardíaca). Já são sete pacientes nessa condição, com quadro muito grave, que precisam realizar cateterismo no Hospital Cirurgia o mais rápido possível, sob o risco de óbito.

Além do adiantamento do pagamento, a SES,  junto com a FHS, também aportou medicamentos e insumos para auxiliar o Hospital Cirurgia a admitir os pacientes que se acumulam no Huse.

A Secretaria de Estado da Saúde entende que o paciente deve estar em primeiro lugar e compreende as dificuldades enfrentadas pela Secretaria Municipal da Saúde. Porém, as partes devem chegar a um  consenso com a maior brevidade para não comprometer a assistência do SUS em Sergipe.

SES/FHS