27/01/17 - 05:41:23

JB “adota” Laércio e descarta outros aliados para o Senado!

Nem Fábio Mitidieri (PSD), nem Heleno Silva (PRB) e muito menos Fábio Henrique (PDT) ou Rogério Carvalho (PT). O governador Jackson Barreto (PMDB) acenou nessa quinta-feira (26) para a Indústria e para o Comércio e “bateu o martelo”: o deputado federal Laércio Oliveira (SDD) é o nome para formar, junto com ele, a chapa para o Senado da República em 2018. E, mesmo que JB decida cumprir sua palavra e se aposentar da vida pública, até lá os demais já estarão comprometidos e, talvez, fragilizados para disputar com um dos nomes da oposição, que pode vir com Eduardo Amorim (PSC) OU André Moura (PSC), líder do governo de Michel Temer (PMDB).

Nos bastidores do mundo político, por ser detentor da gestão estadual, há quem aposte que Jackson Barreto será sim candidato a senador e que já estaria se articulando politicamente neste sentido. Para este colunista, seria ilusão acreditar que, dificilmente, se for candidato, que uma das duas vagas em disputa não será dele. A outra vaga naturalmente será da oposição, a menos que o governo monte uma estratégia agressiva e desenvolva um projeto de alto custo no sentido de eleger dois senadores. E o primeiro “passo” para este “projeto” certamente está na adesão de Laércio Oliveira.

Para o eleitor, a política é bastante subjetiva, do ponto de vista das emoções e paixões, mas para os políticos é comum a gente se deparar com outra realidade, com mais praticidade, objetividade. Muitos deles só enxergam limites naquilo que é normatizado pela Justiça Eleitoral. Quem mais critica o empresário Edivan Amorim, por exemplo, é o governador Jackson Barreto. O mesmo JB que recebeu, de braços abertos e cedendo espaços na gestão, para o também empresário Laércio Oliveira. Este é o tradicional jogo da política, onde só sobrevivem os profissionais, aqueles que têm “estômago forte”.

Mas voltando ao Senado Federal para 2018, Jackson já fez a leitura que, dentro do seu agrupamento, ele deve ter os votos necessários para conseguir uma das vagas; para vetar o projeto da oposição, ele precisaria ir além de uma segunda alternativa para o grupo: associou o útil ao agradável e trouxe Laércio Oliveira da oposição, que tem interesses comerciais com a Prefeitura de Aracaju e com o próprio Governo do Estado, dentro da sua realidade empresarial, mas que também conta com o prestígio de dois setores fundamentais para a nossa economia: a indústria e o comércio.

Mas não é apenas a estrutura financeira que pode ajudar um projeto de Laércio Oliveira que interessa a JB: o governador está de olho em um nome competitivo e que reúna condições de tirar votos de seus principais opositores, fortalecendo as chances de eleger dois senadores. Desde o princípio que Laércio manifestava o desejo de ser senador e de concorrer ao cargo em 2018. Ele não conseguiu e, talvez não tenha se esforçado tanto, para conseguir galgar este espaço junto à oposição. Há quem diga que, do ponto de vista dos recursos, até sua reeleição estaria em risco caso não se aproximasse do governo.

Mas este colunista vai mais além com um dado que toda a oposição não conseguiu enxergar: quando JB decide “adotar” uma candidatura de Laércio para o Senado, automaticamente ele está rifando os sonhos de amigos mais tradicionais, como os já citados no início do comentário e que, pelo visto, terão que ou recuar em seus projetos pessoais e concorrer a outros cargos ou, em caso mais extremo, abandonar o governo e trilhar com independência na oposição. É algo improvável para os dias de hoje, mas política movimenta os interesses onde tudo pode acontecer. E como 2018 é logo ali, não custa nada ficar “espiando”…

Veja essa!

Há um imbróglio formado dentro da Igreja Universal: o deputado federal Jony Marcos (PRB) está determinado em buscar sua reeleição em 2018. Para tanto é o maior defensor que Heleno Silva (PRB) seja indicado como postulante ao Senado ou à vice-governadoria.

E essa!

Por sua vez, a informação é que onde chega, Heleno Silva se impõe como pré-candidato a federal. Nesse caso, Jony sobraria para ser candidato a deputado estadual. Heleno já tem meio caminho andado: acaba de assumir a direção do escritório de Sergipe na capital federal…

Deve evoluir

A oposição em Sergipe acusou mais um duro golpe: perder Laércio Oliveira e seu grupo para JB, certamente não estava nos planos. O discurso do senador Eduardo Amorim (PSC), de “amor a Sergipe” quanto à posição política é fraco e não convence. É preciso pensar de uma maneira mais abrangente. Essa falta de liderança pode custar caro…

 Desculpa

Um bom exemplo para a oposição: o discurso de Laércio, de que foi para JB para fazer mais por Sergipe não é convincente. O governador está com o pires nas mãos pedindo ajuda em BSB e no Rio de Janeiro. O deputado ganhou uma secretaria com estrutura e cargos. Sem contar os interesses empresariais em jogo. Com todo respeito, ajudaria os sergipanos apontando os problemas e apresentando soluções…

Polêmica I

Este colunista fez uma observação sobre as recentes disputas entre o governador Jackson Barreto e o senador Valadares sobre quem tem mais prestígio em BSB. Os dois, em suas funções são importantes, independente do lado político em que atuem.

Polêmica II

O mais recente embate se deu por conta de um convite do senador, em audiência, convidou o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional), que decidiu vir a Sergipe na segunda (30) para anunciar investimentos no combate à seca. No mesmo dia, JB encaminhou nota à imprensa dizendo que ele havia convidado o auxiliar do presidente da República e que o mesmo era do PMDB, seu partido.

Não vem mais

Valadares depois surpreendeu anunciando que, segundo ele, por intransigência do governador, o ministro havia desistido de vir a Sergipe. Segundo o senador, JB vetou que o ministro promovesse o anúncio da sede da Codevasf, no Estado. Se o dinheiro não vier, se a ajuda não chegar, é lamentável. Sobretudo para quem realmente precisa.

Valadares I

Em respeito à coluna, o senador Valadares entrou em contato e fez questão de esclarecer. “Leitor assíduo de sua prestigiosa Coluna, gostaria de assegurar a você que não disputo prestígio com JB. Apenas procuro exercer o papel que me cabe como senador pelo Estado de Sergipe. Neste contexto é do meu dever fazer o que faço sem impedimento político, constitucional ou legal. Por outro lado, não faço qualquer restrição a que o governador possa atuar dentro de seus deveres”.

Valadares II

Em seguida, o senador explica ainda que “apenas o que exijo é que ele respeite o meu trabalho, assim como o dos demais senadores e deputados da oposição, os quais são desqualificados publicamente toda vez que atuam em benefício do Estado. Para esse trabalho não existe exclusivismo, nem monopólio. Se cada um fizer a sua parte, Sergipe agradece”. Feito o registro. A coluna também está aberta para o governador Jackson Barreto.

A quem interessa?

Vem à tona a história de que os advogados Alcivan Menezes, Alcivan Menezes Filho e Richard Leon Freitas Silveira, que estão em prisão domiciliar, podem ir para o Presídio Militar. Aparentemente, eles não promovem nenhum risco à sociedade. Já um vereador no interior, suspeito de fornecer dinamites para quadrilhas de assaltos à bancos, aguarda o julgamento em casa. É mole?

Investigações

Alcivan e seus filhos já estão pagando um preço caro e, se forem culpados, terão que responder sim por seus atos. Mas antes mesmo do julgamento do processo, eles já estão sendo condenados por uma parcela da sociedade. Resta saber a quem interessa essa ida ao Presmil…

E os demais?

Como perguntar não ofende nunca, se Alcivan e os filhos precisam usar tornozeleira eletrônica, por que os demais envolvidos não usam? Será que os políticos investigados também serão encaminhados para o Presmil? A coisa parece ser direcionada aos advogados. Só parece…

Relembre

Existe uma investigação em andamento, da Polícia Civil e do Ministério Público, sobre a aplicação das verbas indenizatórias da Câmara Municipal de Aracaju. Os advogados são suspeitos de serem “partes” de um esquema. A coluna não protege, mas questiona certas incoerências…

Exclusiva!

Essa semana este colunista perguntou: como andam as investigações sobre a Operação Venal que desencadeou uma suposta quadrilha que deixou um rombo da ordem de R$ 17 milhões saqueados da PMA? Perguntou-se também se a Secretaria de Estado da Segurança Pública já chegou ao volume total desviado?

Bomba!

A novidade é que na Operação existe um novo membro indiciado pela Polícia Civil e denunciado pelo Ministério Público. O assunto não vazou ainda, mas sabe-se que o indiciado possui uma relação afetiva com um dos suspeitos e que atua em um órgão público tradicional do Estado. Até onde se tem conhecimento, o jovem rapaz seria o operador do esquema…

60 dias?

O novo secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, deixou este colunista intrigado: disse que, quando senador, conseguiu para o Hospital Cirurgia, recursos para o acelerador linear e ressonância magnética, e que vai colocar para funcionar a unidade em 60 dias. E por que o Dr. Gilberto não fez isso esses anos todos no hospital?

Posses I

Além de Almeida na Saúde, o ex-prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique assume a Secretaria de Estado de Turismo. Já Zezinho Sobral vai comandar a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social, substituindo Marta Leão. O ex-reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Josué dos Passos Sobrinho, é conduzido para a Secretaria de Estado da Fazenda, em substituição a Jeferson Passos.

Posses II

A Secretaria de Estado de Esporte terá Antônio Hora no comando. Por sua vez, Francisco Dantas deixa a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia de Sergipe (Sedetec) para assumir a Adema, em substituição a Almeida Lima, e a Sedetec ficará sob o comando do empresário José Augusto Pereira, que chega através de uma indicação do deputado Laércio Oliveira.

Luciano Bispo

O deputado Luciano Bispo parabenizou o governador ressaltando que a mudança era necessária. “Temos que reconhecer a ação do governo de oxigenar a máquina. Algumas mudanças eram necessárias e acho que ele escolheu o momento certo para mudar. Que os novos nomes venham para ajudar o governador tirar o Estado deste momento de dificuldade e superar esta crise”.

Maria Mendonça

A deputada Maria Mendonça (PP) prestigiou ato que culminou com a assinatura de Ordens de Serviços para a realização de diversas obras. Com investimentos da ordem de R$ 10 milhões, as obras serão executadas com recursos de emendas parlamentares apresentadas pelos senadores Maria do Carmo Alves e Eduardo Amorim, além dos deputados federais André Moura e Valadares Filho.

Gratidão

“Como itabaianense, sou extremamente grata ao gesto dos nobres parlamentares que disponibilizaram recursos para obras que são essenciais e que trazem importante impacto social para a população do nosso município”, enfatizou Maria, ressaltando a boa gestão do prefeito Valmir de Francisquinho que tem, a despeito de toda a crise, conseguido realizar obras importantes e manter o município em plena ordem.

Carmópolis

O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe aprovou, por unanimidade, a data para a realização da eleição suplementar no Município de Carmópolis, oportunidade em que serão escolhidos o novo prefeito e vice-prefeito. A data para a realização do novo pleito (2 de abril de 2017) foi escolhida entre as disponíveis no calendário pré-estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Campo do Brito

O senador Eduardo Amorim visitou o município de Campo do Brito e conversou com o prefeito eleito, Marcell Souza sobre a ruim situação que o prefeito encontrou a administração da cidade, principalmente, nas áreas da Educação e Saúde. O senador garantiu a priorização de emendas parlamentares para o município.

Edvaldo Nogueira I

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, participou da segunda edição do programa “Agora Aracaju vai ficar limpa”, que desenvolve ações de limpeza na cidade. Os bairros Bugio, Jardim Centenário, São Carlos e áreas adjacentes foram os beneficiados pela iniciativa. A previsão da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), responsável pelo projeto, é recolher 150 toneladas de lixo nas três localidades.

Edvaldo Nogueira II

“Fiz questão de vir acompanhar a segunda fase do projeto, cujo objetivo é realizar mutirões de limpeza na cidade como forma de recolher todo o lixo que tomou conta da cidade no ano passado, devido a greves e todas aquelas questões que toda a população acompanhou. Iniciamos a nossa gestão com lixo acumulado de, pelo menos, três meses, sobretudo em algumas áreas, como o bairro Santa Maria e regiões próximas, por onde iniciamos o programa, recolhendo 250 toneladas de lixo. Ao lado desta ação, trabalhamos pela regularização da coleta doméstica do lixo”, afirmou o prefeito.

Zezinho do Bugio

O vereador de Aracaju, Zezinho do Bugio (PTB), acompanhou o lançamento do programa em seu bairro e espera que o prefeito possa ampliar a cobertura dos serviços para a sua comunidade. “Nesse primeiro contato, estamos percebendo que há boa vontade do prefeito com o Bugio. E é isso que nós que moramos na comunidade esperamos dele”.

Banese

O Banco do Estado de Sergipe (Banese) deu início à implantação de caixas eletrônicos recicladores, equipamentos de última geração que permitem que o cliente realize depósitos em dinheiro sem envelope, com crédito imediato na conta, e que o dinheiro dos depósitos seja reaproveitado para saques, além de conterem todas as demais funcionalidades que os terminais de autoatendimento comuns possuem.

Pioneirismo

Segundo a gerente de Suporte em exercício da Área de Canais Convencionais do Banese, Tatiana Brasil Moreto, a iniciativa é pioneira em Sergipe e faz parte dos investimentos que o banco vem fazendo na modernização dos seus canais de autoatendimento.

Apresentação

A “Caravana Teatral, da Amazônia ao Nordeste, de Juazeiro a Juazeiro”, da Companhia Visse e Versa de Ação Cênica do Estado do Acre, chegou a Sergipe e fará a apresentação do seu espetáculo “Comédia Del Acre”, ao meio-dia dessa sexta-feira (27), na unidade Sesc Centro.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com