06/02/17 - 13:28:56

PL INCLUI PESQUISA DE PREDISPOSIÇÃO GENÉTICA

PL de Maria inclui pesquisa de predisposição genética e de biomarcadores entre as ações do SUS para detectar cânceres

Em consonância com os alertas feitos pelas entidades médicas, a senadora Maria do Carmo do Alves (DEM) destacou nesta segunda-feira (6), a importância das campanhas que visam conscientizar a população para o diagnósticoprecoce do câncer. “É importante que estejamos atentos a qualquer sinal de anormalidade”, afirmou a democrata, lembrando que o câncer continua matando milhares de pessoas a cada ano.

“Em muitos casos, se houvesse um diagnóstico logo no início da doença, o final poderia ser diferente”, disse a senadora, que é autora de um Projeto de Lei que determina a inclusão da pesquisa de predisposição genética e de biomarcadores entre as ações do Sistema Único de Saúde (SUS), destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama e do trato genital feminino. “Os biomarcadorespermitem avaliar o risco de desenvolver a doença, diagnosticá-la ainda em estágio inicial, avaliar o prognóstico, selecionar o tratamento mais adequado e monitorar o andamento”, explicou Maria.

Para ela, incluí-los entre os procedimentos que devem ser assegurados pelos SUS garantirá que grande número de mulheres predispostas, que têm registros de casos na família ou que estejam em faixa etária de risco, possam se prevenir ou serem diagnosticadas precocemente, a tempo de tornar mais efetivo o controle da enfermidade e sua recuperação. “Infelizmente, o câncer é uma doença muito nociva e deve ser identificado bem cedo para que haja sucesso no tratamento. Lamentavelmente, nem sempre as pessoas afetadas conseguem ter o tratamento de forma imediata”, frisou Maria.

Estimativas desoladoras –  A senadora destacou que, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 400 mil novos casos de câncer devem ser registrados no Brasil, este ano.Os mais frequentes são os de pele não melanoma; próstata, útero e mama. Para ela, além de observar possíveis alterações clínicas, os cidadãos precisam adotar algumas ações no seu dia-a-dia que podem ajudar a diminuir o risco de ser afetado pela doença.

De acordo com a democrata, a incidência do câncer vem aumentando nas últimas décadas e se tornou um problema de saúde pública mundial. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, em 2030, 27 milhões de casos incidentes de câncer serão registrados, 17 milhões de mortes ocorrerão e 75 milhões de pessoas vivas, conviverãoanualmente, com a doença.

A senadora citou a campanha mundial da União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), que traz como temática “Eu Posso”,“Nós Podemos” e estimula a ocorrência de ações individuais e coletivas com o intuito de reduzir as chances de ter câncer.Dentre essas ações, observou a parlamentar por Sergipe,estãoa alimentação saudável, o não uso de cigarros e álcool, além de uma atividade física regular.

Da assessoria