23/03/17 - 17:00:19

ÁGUAS RESIDUAIS É TEMA DE DISCURSO DO DEPUTADO ADELSON

Durante pronunciamento realizado nesta quinta-feira, 23, no plenário da Câmara Federal, o deputado Adelson Barreto (PR), discursou sobre o Dia Mundial da Água, data esta celebrada mundialmente no dia 22 de março que neste ano tem como temática: águas residuais.

No plenário, o parlamentar destacou que no Brasil a lei que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico entrou em vigor há dez anos com a promessa de garantir a coleta de esgoto e o abastecimento de água a todos os cidadãos.

“Apesar dos avanços, os objetivos estabelecidos na lei não se concretizaram plenamente e quase metade da população brasileira não tem acesso aos serviços referente ao abastecimento de água e esgotamento sanitário”, disse Adelson, ressaltando que, atualmente em todo o mundo cerca de um bilhão de pessoas não têm água potável e tratamento de esgoto.

O deputado federal apresentou dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), divulgados em janeiro deste ano, mostrando que apenas 50,3% dos brasileiros têm acesso à coleta de esgoto. “Isso significa que mais de 100 milhões de pessoas utilizam medidas alternativas para lidar com os dejetos sejam eles através de uma fossa ou, jogando o esgoto diretamente em rios”.

“Além do alto índice de casas sem esgotamento sanitário, o Brasil convive com outra realidade desafiante que é a desigualdade social. Estados mais carentes e subdesenvolvidos apresentam menos acesso ao saneamento básico frente aos estados com mais recursos”, observou o parlamentar ao comentar que, na região Norte do país “essa situação é ainda mais grave”.

Adelson finalizou seu discurso falando que nos últimos cinco anos Sergipe foi um dos estados que mais evoluiu na questão dos serviços de saneamento básico, ponderando que já foram investidos mais de R$ 1 bilhão na Grande Aracaju e nos municípios do interior. “Essas obras vêm garantindo melhorias nas condições de vida da população sergipana, no que diz respeito aos serviços de abastecimento de água potável, o manejo de água pluvial, a coleta e tratamento de esgoto”, disse o deputado afirmando que, no País a falta de saneamento adequado traz não apenas problemas ambientais e financeiros, mas principalmente na área da saúde.

Por Valéria Lima