15/07/17 - 3:03:45

DEFESA CIVIL NÃO VÊ RISCO DE DESABAMENTO DO HOTEL PÁLACE

No final da tarde de sexta-feira (14) ocorreu de entidades ligadas ao turismo e edificações públcas para esclarecer à população acerca das vistorias realizadas no decorrer dos anos no prédio do Hotel Palace, localizado na Praça General Valadão, no Centro de Aracaju, o qual, segundo informações veiculadas nas redes sociais de quinta-feira (13), havia iminente risco de desabamento.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, tenente-coronel Matheus, não há risco de desabamento, mas há vários riscos de menor importância que estão sendo trabalhados pela Defesa Civil do Município e outros órgãos, a fim de evitar a decisão mais drástica de interdição. “Há infiltrações graves no prédio, descolamento de pastilhas, risco de queda das vidraças, todos esses itens já foram pontuados em reunião com o Ministério Público, para que o poder público possa sanar os problemas”, destaca.

O Estado se preocupa com a segurança das pessoas que trabalham e transitam pelo prédio, tanto que o Secretário Estadual de Turismo, Fábio Henrique, informou que na última terça-feira, 11, houve uma reunião no MP, provocada pelo Governo, justamente para ajustar as medidas necessárias para que não haja risco. “A torre pertence ao Estado e há mais sete salas que também pertencem ao Estado. Ali também existe um andar inteiro que pertence à União e existem várias salas que pertencem a particulares. Isso, de uma certa forma, dificulta a tomada de qualquer iniciativa porque você tem que envolver, e o Ministério Público está fazendo isso, chamando todos os interessados, inclusive os proprietários das salas ali do antigo Hotel Palace ”

O Estado solicitou junto ao CBM e ao Crea a produção de relatório de inspeção que foi realizado nessa quinta-feira, 13, a partir da qual serão realizadas novas inspeções para coleta e análises laboratoriais que permitirão um diagnóstico mais preciso da gravidade estrutural da edificação. O prazo para conclusão do relatório é de 60 dias.

Como medida preventiva, o comandante do CBM, coronel Erivaldo Mendes, relatou que outros órgãos foram acionados. “O município de Aracaju também participará do processo, por meio da Empresa de Serviços Urbanos (Emsurb), a qual realizará o trabalho de retirada dos ambulantes que ali ficam na via pública, objetivando a redução dos riscos. Junto ao Governo Estadual, por meio da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop) será solicitada a colocação de uma tela para que eventuais objetos que se desloquem, a exemplo de pastilhas ou vidro, caiam diretamente sobre o chão”, conclui.