16/07/17 - 14:09:02

Dr. Emerson vê na política erros e vícios dos que se alternam no poder

Por Diógenes Brayner

Dr. Emerson (Rede), que surpreendeu nas divulgadas na sexta-feira (14), disse ao Faxaju On-line, na tarde deste sábado (15), que sente nas ruas, por onde anda, a reação da população em relação ao seu nome para renovação política.

Os 30% de intenções de voto que teria recebido em Aracaju, constata o crescimento que Dr. Emerson percebe desde quando foi candidato a prefeito da Capital, no pleito de 2016, porque a atitude do PV em se desligar da coligação passou a ideia de que “a gente utiliza de prática política diferente”.

Segundo ainda Dr. Emerson, percebia-se esse crescimento em relação ao seu nome, “porque as pessoas faziam uma leitura de um formato político diferente do que se tem praticado em Sergipe”.

– Na política que se praticamente atualmente há trocas de cadeiras, com os erros e vícios dos que se alternam no poder, disse.

Sempre os mesmos – Revelando um visão que tende para as mudanças que o País clama, Dr. Emerson diz ainda que nas eleições se percebe que “são os mesmos financiadores, os coligados pragmáticos, baseado exclusivamente no loteamento de cargos públicos”.

Dr. Emerson diz ainda que a relação entre o Executivo e o Legislativo “é sustentado à base do toma lá dá cá”. O que se torna em critério político priorizado pela colocação de cargos políticos: “com isso são formadas ilhas de incompetências”, considerou.

– O que acontece no Brasil neste momento, permite que a população entenda o que acontece dentro de ‘caixinhas’ onde se dá essa disputa política, disse.

Segundo Dr. Emerson, que já faz política há alguns anos e exerceu mandato de vereador em Aracaju, o seu partido – a Rede Sustentabilidade – tem pactuado que se o povo de Sergipe continuar mostrando essa vontade com a sigla, tem que ser levado adiante seus objetivos.

Emerson diz que será candidato em 2018 a mandato ainda não definido se para proporcional ou majoritário. Se for mantida essa leitura que demonstra as pesquisas será discutida em convenção o caminho que o partido deve seguir, porque “representamos o novo de práticas e idéias”.

– É inadimissível que o povo brasileiro não mude essa relação com a política. Temos que trazê-la para fora do ‘aquário’ porque lá dentro ela acontece para destruir toda a sociedade, concluiu.