06/09/17 - 07:38:49

Seminários do Mão Amiga chegam a Divina Pastora e Santa Rosa de Lima

Seminários servem como pré-requisito para a concessão do benefício aos 5 mil trabalhadores rurais inscritos no Programa desenvolvido pelo governo do Estado, por meio da secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude (Seidh)

No penúltimo dia de agenda dos seminários de qualificação do Programa Mão Amiga Cana de Açúcar, o vice-governador Belivaldo Chagas esteve nesta terça-feira, 05, nos municípios de Divina Pastora e Santa Rosa de Lima. Os seminários, que tiveram início na semana passada e já passaram por 18 cidades, servem como pré-requisito para a concessão do benefício aos 5 mil trabalhadores rurais inscritos no Programa desenvolvido pelo governo do Estado, por meio da secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude (Seidh).

Por meio do Programa Mão Amiga, os trabalhadores rurais recebem um benefício no valor de R$ 760 dividido em quatro parcelas de R$ 190 cada, durante os quatro meses da entressafra. “É uma ajuda importante que o governo do Estado está oferecendo aos trabalhadores da cana de açúcar, que estão enfrentando agora o período da entressafra. A terceira parcela do benefício já foi creditada em conta e a quarta parcela também está garantida para o final de deste mês de setembro ou começo de outubro. É um projeto de alcance social muito grande e jamais poderíamos deixar de dar nosso total apoio”, enfatizou Belivaldo Chagas.

Nos eventos desta terça, o secretário de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude (Seidh), José Sobral, alertou a todos os participantes que o valor da parcela deve ser recebido de forma integral, sem nenhum tipo de desconto. “Assim como o Bolsa Família, o Mão Amiga é um Programa Social e, nesses casos, a lei assegura o pagamento integral de cada parcela. O banco não pode efetuar nenhum desconto, mesmo que o trabalhador tenha algum débito com a instituição financeira. Caso o banco tenha feito algum desconto, o trabalhador deve ir até lá conversar com o gerente e pedir a restituição dos valores”.

Antônio Marcos dos Santos, produtor rural em Divina Pastora, ficou feliz em saber que o dinheiro descontado pelo banco vai ser devolvido. “O banco descontou R$ 80 nessa última parcela que recebi, mas depois de ouvir essas explicações, vou até lá para pegar esse dinheiro de volta. O auxílio do Mão Amiga é muito importante pra mim e com ele consigo pagar algumas contas em casa e também colocar comida na mesa”, comemorou.

Cidades Contempladas

No município de Divina Pastora, o Programa Mão Amiga beneficia atualmente 114 agricultores de cinco povoados: Maniçoba, Flor do Mucuri, Bonfim, Ponto Chique e Sertãozinho. O investimento referente às duas primeiras parcelas de 2017 foi de R$ 43 mil. E o valor final previsto para este ano é de R$ 86 mil. De 2015 a 2017, foram investidos na cidade R$ 164 mil, beneficiando 273 agricultores. E desde 2010, já foram investidos no Programa R$ 328 mil, num total de 489 beneficiários .

Para a vice-prefeita de Divina Pastora, Jaqueline Silva, esse auxílio é fundamental para a manutenção da agricultura do município, além de desempenhar uma função social muito importante. “Mesmo diante de um cenário de crise, o governo tem feito todo o esforço para ajudar os produtores rurais. Aqui no município, o programa contemplava entre 70 e 80 pessoas, e este ano alcançamos mais de cem. É um aumento significativo e estamos muito gratos por essa parceria”.

Para a produtora rural Edenilde Mendonça Santos, o dinheiro do Mão Amiga chegou numa boa hora. Morando sozinha e dependendo do trabalho na lavoura de cana, que está parado nesses últimos meses por causa da entressafra, o benefício é a garantia de seu sustento. “É com esse dinheiro que vou comprar umas coisinhas que estão faltando em casa e também comprar comida para abastecer minha dispensa. Moro sozinha, não tenho ninguém para me ajudar, então esse benefício é fundamental pra minha sobrevivência”.

Já em Santa Rosa de Lima, o Mão Amiga beneficia 81 agricultores dos povoados Cana Brava, Lagoa do Carão, Areias, Rio Escuro e Cuba. O investimento nas duas primeiras parcelas de 2017 foi de R$ 30 mil e o valor final previsto para as quatro parcelas é de R$ 61 mil. De 2015 a 2017, foram investidos no município R$ 156 mil, contemplando 246 agricultores. Desde 2010, já foram investidos no Programa Mão Amiga, em Santa Rosa, cerca de R$ 448 mil,  alcançando um número de 626 agricultores beneficiados.

“É muito dinheiro investido pelo governo do Estado para atender aos agricultores do nosso município, então eu peço que cada um de vocês cuide bem desse dinheiro e façam um bom proveito dele, contribuindo também para a economia da nossa cidade. O que vocês puderem gastar desse dinheiro aqui em Santa Rosa de Lima, gastem, porque assim nós também conseguimos movimentar o comércio local”, declarou o prefeito Luiz Roberto Azevedo Júnior.

Sobre o Programa Mão Amiga

Criado em 2009, o Programa Mão Amiga é custeado com recursos do governo do Estado, através do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Funcep) e tem o limite legal de beneficiar 5 mil  trabalhadores da cana e 5 mil da laranja, totalizando 10 mil  trabalhadores ao ano.

Desde sua criação, já investiu R$ 45 milhões nas entressafras da Cana e da Laranja pagando 61.615 benefícios. O Programa, que promove a transferência de renda, atende 14 municípios sergipanos da citricultura e 20 municípios da cultura da cana de açúcar.

Foto: Jorge Henrique

ASN