29/09/17 - 13:54:13

SE TEM ORÇAMENTO DE R$ 665 MILHÕES DO FUNDO DO NORDESTE

A previsão do Banco do Nordeste para 2018 é aplicar R$ 665 milhões nos setores produtivos, o que corresponde ao dobro dos investimentos que estão sendo feitos em 2017.

O secretários de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrária e da Pesca, Esmeraldo Leal, representou o governador Jackson Barreto na solenidade do Banco do Nordeste (BNB) que debateu a aplicação em Sergipe do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O evento aconteceu, dia 27, no auditório da Federação das Indústrias de Sergipe. A previsão para 2018 é aplicar R$ 665 milhões nos setores produtivos como agropecuária, indústria, agroindústria e comércio, o que corresponde ao dobro dos investimentos que estão sendo feitos em 2017.

Esmeraldo Leal disse que a ação do BNB vai além da disponibilizar recursos. “Trago aqui o abraço e o agradecimento do Governador Jackson Barreto para esse importante parceiro do Estado que é o Banco do Nordeste.  A postura do Banco não é só disponibilizar recursos, mas está próximo dialogando e contribuindo efetivamente com os setores produtivos, a exemplo da agropecuária que tem importante peso na balança comercial. Setor do qual faço parte e tenho testemunhado o trabalho dos gerente e superintendente em todo o estado”, destacou Esmeraldo.

Segundo o superintendente estadual do Banco do Nordeste, Saumíneo Nascimento, “em 2017 está sendo aplicado um montante superior a R$ 360 milhões, o que mostra que há demanda por parte do setor produtivo de Sergipe e isto irá contibuir para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado”.

A expectativa do Banco do Nordeste é dobrar os investimento em 2018. “Os setores econômicos serão beneficiados com, no mínimo, R$ 665 milhões em recursos do FNE. Todos os gerentes das nossas 17 agências possuem metas de aplicação em todos os seguimentos. A indústria tem um peso especial, pelo poder de geração que possui, mas financiamos projetos de agropecuária, comércio, serviços, turismo infraestrutura, ou seja, todas as atividades”, declarou Saumíneo.

Segundo o superintendente de políticas de desenvolvimento do Banco do Nordeste, José Danilo do Nascimento, o método democrático para definição da programação anual do FNE resultou, em Sergipe, em grande envolvimento dos participantes. “A gente percebe já um entusiasmo do empresariado local. Teremos um volume maior de aplicação de recursos do FNE e, consequentemente, mais desenvolvimento econômico e maior geração de emprego e renda”, pontuou José Danilo.

O que é FNE

Criado em 1988 (artigo 159, inciso I, alínea “c” da Constituição da República Federativa do Brasil e artigo 34 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias) e regulamentado em 1989 (Lei nº 7.827, de 27/09/1989), o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) é um instrumento de política pública federal operado pelo Banco do Nordeste que objetiva contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Nordeste, através da execução de programas de financiamento aos setores produtivos, em consonância com o plano regional de desenvolvimento, possibilitando, assim, a redução da pobreza e das desigualdades.

Provido de recursos federais, o FNE financia investimentos de longo prazo e, complementarmente, capital de giro ou custeio. Além dos setores agropecuário, industrial e agroindustrial, também são contemplados com financiamentos os setores de turismo, comércio, serviços, cultural e  infraestrutura.

Seagri com dados do BNB