11/10/17 - 14:02:43

Procon estimula o consumo consciente entre alunos de escolas municipais

A manhã foi de diversão, mas também de aprendizado para os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Sabino Ribeiro, localizada no bairro 18 do Forte. A turminha teve a oportunidade de ser ‘fiscal por um dia’, em um supermercado da capital. A ação educativa foi promovida pela Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), através do Procon Aracaju.

Os alunos atuaram em conjunto com técnicos do órgão. Eles observaram prazos de validade, aparência e especificações dos produtos, exposição de preços, entre outros itens. O objetivo era colocar em prática tudo o que aprenderam em sala de aula. “A ideia surgiu pelo Dia das Crianças e também para mostrar a importância do Procon e conscientizar as crianças sobre o direito do consumidor. Eles estavam bastante ansiosos”, afirmou a coordenadora pedagógica da Emef, Jamilly Menezes.

A iniciativa veio para reforçar o conhecimento de direitos e deveres, conscientizando o público infantil, para que ele seja desde cedo um consumidor consciente. “Eles aprenderam bastante, observaram os produtos com cuidado, olharam prazo de validade e fabricação. Essa visita foi muito positiva para eles e para nós. O intuito é fazer com que eles desde cedo saibam quais os direitos deles”, afirmou o coordenador de Educação e Pesquisa do Procon Aracaju, Aguinaldo Santana.

Para o secretário da Defesa Social e da Cidadania, Luis Fernando Almeida, começar a educação para o consumo na infância é fundamental para formar cidadãos conscientes. “Apesar de ser uma atividade lúdica, as crianças levaram a visita a sério, como se fossem adultos fiscalizando. Isso é muito gratificante. Esperamos estender essa ação para outras escolas. A meta é formar cidadãos mais preparados”, destacou o secretário da Defesa Social e da Cidadania, Luis Fernando Almeida.

Jênifer Almeida amou a experiência de ser ‘fiscal por um dia’. Ela disse que estava ansiosa para conferir os produtos no supermercado, como um fiscal de verdade. “Eu olhei várias datas de validade e vi se o preço que estava na plaquinha era o mesmo que estava no produto. Foi muito legal”, contou a aluna da Emef, que tem apenas 10 anos de idade.

Pedro Henrique de 9 anos de idade também ficou feliz com a visita ao supermercado. Ele estava atento aos ensinamentos e aos produtos disponíveis nas prateleiras. “Eu fiscalizei tudo. Quando chegar em casa, vou contar para os meus pais. O moço do Procon disse pra gente também que a nota do produto deve ser guardada se o cliente quiser trocar o produto depois”, falou.