06/12/17 - 10:48:13

MILITARISMO: CÂNCER NA SSP, ESCREVE UM POLICIAL MILITAR

Continua repercutindo de forma negativa a prisão do cabo M. Souza, ocorrida nesta terça-feira (05), quando o major Eduardo Brandão, logo após um suposto desentendimento entre os militares o prendeu acusando-o de insubordinação.

Desde a tarde de ontem que assunto vem sendo debatido nas redes sociais e nesta quarta-feira (06), um cabo da PM lamentou o ocorrido e classificou o militarismo como “câncer na SSP”. Segundo ele, “o câncer é o regimento militar que é adotado para resolver “conflitos administrativos internos”, desabafa o militar.

Decepcionado e revoltado com o sistema o policial diz que “fatos dessa natureza geram um sentimento de nojo nas mentes dos demais homens e mulheres que fazem a base da SSP”

Veja na íntegra o artigo escrito pelo cabo Isaías Silva:

E que a carapuça caia na cabeça de quem couber, mas fato é que o militarismo nada mais é que ferramenta de maldade para alguns seres humanos que, dotados de estrelas sobre os ombros, sentem-se humanamente superiores aos que se encontram abaixo da sua linha de hierarquia.

Hierarquia e Militarismo  são institutos absurdamente distintos, a ausência do segundo não extingue o primeiro.

O câncer é o regimento militar que é adotado para resolver “conflitos administrativos internos”, a exemplo do caso recente na PMSE, onde oficial superior da instituição, devido a um conflito de entendimento, resolve”prender” um CABO que acabara de “PRENDER” cidadãos infratores, os que realmente agridem a sociedade, e como consequência dessa ação louvável do praça, o mesmo foi solicitar a reposição de munição gasta na ação policial para retornar ao seu lar e devido a isso gerou um desentendimento com o Comandante da Unidade, ocasionando a PRISÃO do policial.

A prisão administrativa é um mal absurdamente aplicado, em plenos dias de democracia explícita, onde flagrantes ladrões, assaltantes e demais infratores do CP não permanecem mais que 24 hs numa unidade prisional, mas o profissional da segurança pública, homem de linha de frente no combate à criminalidade, é obrigado a explicar a seus filhos que ficou uma noite ausente dos seus carinhos por que um cidadão que, por ser superior hierárquico militar, interpretou que este deveria ser preso, embasado num Código Penal Militar, defasado, desmoralizado e ultrapassado, este abraçado com o Código Processual Penal que em tempos de guerra já soam demasiados, quiçá em tempos outros.

Fatos dessa natureza geram um sentimento de nojo nas mentes dos demais homens e mulheres que fazem a base da SSP, profissionais que atendem diretamente à sociedade sergipana. E a consequência natural dessa repugnante atitude é uma DESMOTIVAÇÃO GENERALIZADA nos corações de todos nós praças, sangrados diariamente na árdua tarefa de superar as deficiências do estado (salários atrasados, plano de saúde deficitário, ticket alimentação humilhante) para prestar um bom serviço à população e ainda ter que se submeter aos caprichos de mentes ultrapassadas, protegidas pelo arcaico Militarismo nas instituições ostensivas de segurança pública.

Sentimento de impotência é o que nós estamos sentindo.

Abaixo o militarismo, avante o profissionalismo!

*Isaías Silva é Cabo da PMSE, lotado no 2º BPM de Propriá.

Munir Darrage