12/01/18 - 16:01:27

Pediatria do Huse encerra o ano com 28.217 atendimentos e projetos de melhorias

A Unidade Pediátrica Doutor José Machado de Souza, que funciona em anexo ao Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), realizou 28.217 atendimentos aos pequenos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no período de janeiro a dezembro de 2017. Desse total, 3.595 pacientes ficaram internados para outros procedimentos e exames. A unidade funciona 24 horas por dia e dispõe de recursos científicos, técnicos, equipamentos e materiais específicos à assistência integral a crianças de zero a 12 anos.

A Pediatria do Huse é a única de Sergipe referência nos atendimentos de alta complexidade. O setor trabalha no regime de porta aberta de acordo com o que preconiza o Ministério da Saúde e oferta especialidades médicas como: nefrologia pediátrica, cardiologia pediátrica, gastroenterologia pediátrica, entre outros.

O serviço conta com 30 leitos na Área Azul infantil que muitas vezes superlota com pacientes de baixa complexidade, quando deveriam estar nas Unidades de Pronto Atendimento e acabam sendo atendidos no Huse. São oito leitos na Área Amarela, cinco leitos na Área Vermelha, além de 15 leitos na Área Verde. Já o internamento pediátrico conta com 44 leitos distribuídos entre as enfermarias Carinho, Felicidade, Paz, Esperança e Alegria, além de 10 leitos para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A recepcionista Manoela Silva, 28, estava acompanhando o pequeno M.A.S, 2, internado há três dias para tratar de uma infecção abdominal. Ela elogia o tratamento recebido no hospital pelos profissionais e diz que é o melhor local para tratar a saúde de uma criança. “Ele vomitava muito e tinha diarreia, eu já não sabia mais o que fazer. Levei primeiro para o posto de saúde e ele foi medicado, mas continuou vomitando. Minha vizinha disse que aqui seria melhor e realmente, ele já se recupera bem, sem vomitar e já começa a se alimentar novamente depois das medicações e dos exames. Aqui é muito bom e o melhor lugar para tratar nossos filhos”, afirmou a jovem.

A pequena L.S, 1 ano e seis meses, está internada há cinco dias na enfermaria da unidade. O médico ainda investiga um caroço que se formou no pescoço da criança que estava com a avó como acompanhante. “Ela está tomando antibiótico e vai fazer uma ultrassonografia para saber o que há. Já recebeu sangue, porque ela estava com anemia, e tenho fé em Deus de ela ficar logo recuperada depois dos medicamentos e de não ser nada grave”, declarou a avó.

Classificação de Risco

O Hospital Pediátrico trabalha com a estratégia de acolhimento e classificação de risco, baseada no Protocolo de Manchester, que prioriza o atendimento de acordo com o risco do quadro clínico do paciente. A classificação está dividida em: nível vermelho (prioridade máxima), nível laranja (prioridade 1), nível amarelo (prioridade 2), nível verde (prioridade 3) e nível azul (prioridade 4).

A coordenadora da Pediatria do Huse, Cristiane Barreto, explica que uma equipe multidisciplinar atua na unidade e os casos mais comuns diagnosticados pelos profissionais são de infecções respiratórias, viroses e traumas. “Nós somos um hospital de alta complexidade, mediante equipe formada por especialistas pediátricos entre eles cardiologista, neurocirurgia, ortopedia, pneumologista, cirurgião, hematologista, gastroenterologista, nefrologista, oncologista e endocrinologista”, explicou a coordenadora.

Atualmente, a Unidade Pediátrica do Huse conta com uma equipe composta por cerca de 400 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, entre outros. Eles se empenham para garantirem atendimento de forma rápida e dinâmica, beneficiando os pacientes.

A coordenadora ressalta ainda as melhorias que aconteceram em 2017 e o que espera para 2018. “O ano passado foi um ano bom, com algumas reformas que estávamos precisando e algumas aquisições também. Para 2018 esperamos aumento do número de leitos de UTI infantil e do Pronto Socorro. O projeto já existe e o secretário está muito empolgado em realizá-lo, enquanto os profissionais estão torcendo e anciosos para que realmente aconteça”, disse Cristiane Barreto.

Quem mais demanda pacientes infantis para o Huse é Aracaju, seguido do município de Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.