13/01/18 - 00:01:09

O BARCO PODE AFUNDAR

DIÓGENES BRAYNER – plenario@faxaju.com.br

O noticiário gira em torno do tiroteio intenso entre membros da oposição. Antes esse tipo de divergência ocorria para formação de uma chapa da situação. Os tempos mudam quando um cenário de crise parece influenciar nas decisões. As conversas para se chegar a um entendimento já acontecem entre lideranças do bloco que se opõe ao Governo, mas não demonstra que a solução saia antes de um estrago maior.

Para que se vislumbre a paz, há necessidade do senador Antônio Carlos Valadares, que tem a voz mais grossa no PSB, e do deputado federal André Barros, que expõe maior musculatura na oposição, recuem dos seus objetivos. O PSB quer divulgar chapa majoritária em abril. O PSC&Cia decidiu que vai lançá-la ainda em janeiro.

Está criado o impasse, mesmo que as duas siglas tenham legitimidade para fazer o que quiserem. Mas podem chegar a um consenso, para que o anúncio aconteça logo após o carnaval, evitando que uma ou outra saia vencedora nesse embate sem futuro. Vaidades e caprichos geralmente prejudicam um projeto, que começa a atingir as bases e a desacreditar nos seus objetivos.

Esse incêndio que se alastrou entre os dois partidos – supostamente integrantes de um bloco – deixará marcas. A questão real não é a data em que a chapa será lançada, mas o desejo de que a sua montagem gratifique aos líderes. E de prioridade nenhum deles abre mão, o que vai dificultar todas as tentativas de entendimento possíveis. O problema são o senador Valadares (PSB) e o deputado André Moura (PSC), não há espaço para os dois em uma mesma chapa.

Não se trata de rejeição pessoal, mas de ocupação da área. Tanto André, quanto Eduardo Amorim e o senador Valadares não podem disputar o mesmo mandato – como o do Senado – porque um deles será derrotado, podendo ainda perder o Governo. Aí sim, a oposição afunda…

PREOCUPAÇÃO NA OPOSIÇÃO

“Bombeiros” da oposição começam a ficar preocupados e a se desanimar para apagar o incêndio entre o senador Valadares (PSB) e o deputado André Moura (PSC).

Tudo indica que não há mais a menor condição de debelar.

OS DOIS NÃO SE ACEITAM

Com as “chamas” atingindo o limite, o grupo de André Moura na oposição não vota em Valadares a qualquer mandato que ele disputar: reeleição ou Governo.

O PSB nem de longe vota em André Moura.

PROCURA OUTRA LEGENDA

O senador Valadares (PSB) já está conversando com outros partidos para formação de coligação, em que ele pode ser candidato ao Governo ou à reeleição.

PPS está esperando apenas um aceno de Valadares.

COMEÇA A SOLTAR FOGOS

O Governo mantém o mais absoluto silêncio sobre esse “incêndio”, mas já começa a soltar fogos pela profundidade da crise política que envolve a oposição.

Se titubearem a situação põe gasolina para alimentar as chamas.

ROGÉRIO VAI AO SERTÃO

O pré-candidato ao Senado, Rogério Carvalho (PT), tomou um farto café da manhã com o prefeito de Glória, Chico dos Correios (PT) e lideranças da região.

Se a eleição fosse naquele momento, Rogério ganharia por WO. Aconteceu ontem.

OPOSIÇÃO BUSCA SIGLAS

Segundo informa um deputado federal (pediu off) a oposição trabalha para que algumas siglas deixem a base aliada ao Governo, para dar musculatura ao bloco.

Nesse caso seria o PRB e o PDT.

ESTÁ SEM ORGANIZAÇÃO

Segundo o parlamentar, que trabalha intensamente sua reeleição, partidos da oposição desejam ampliar o bloco “mas não se organizam para isso”.

– Fica difícil desembarcar em um grupo que não se entende, disse.

ACREDITA NA CONVERGÊNCIA

Ainda da mesma fonte: a oposição vai convergir e resolver seus problemas. Disse que o “deputado André Moura tem juízo e será candidato à reeleição”.

– É melhor ser cabeça de Lambari do que rabo de Tubarão, comparou.

NÃO SE RECUSA DIALOGAR

Sobre o PDT, o presidente regional do partido, Fábio Henrique, disse que não conversou com ninguém da oposição nos últimos dias.

Mas lembrou: “hoje, por exemplo, estarei em Japaratuba a convite de André Moura”.

BOA RELAÇÃO COM BELIVALDO

Fabio Henrique disse que tem boa relação com Belivaldo Chagas, porém “precisamos conversar de forma aprofundada sobre espaços políticos na disputa eleitoral”.

– Na política tudo é possível, mas hoje temos compromisso com Belivaldo.

SOBRE DEIXAR SECRETARIA

Secretário do Turismo, Fabio Henrique diz que deixará o cargo quando o governador Jackson Barreto determinar: “o cargo é dele”.

Acha que sair ou ficar não muda nada, “mas se a determinação é deixar, deixaremos”.

JACKSON FALA NO SENADO

Governador Jackson Barreto, em entrevista ontem em Dores, já admitiu sua candidatura ao Senado. Ele participava de visita a obras na região.

JB já não deixa dúvidas sobre isso…

QUER QUE ANTECIPE SAÍDA

Políticos da base aliada, com algumas exceções, defendem que, em sendo candidato ao Senado, Jackson Barreto (MDB) se desincompatibilize logo após o carnaval.

Mas JB pretende sair no final de março.

ANSEIOS DE LIDERANÇAS

Lideranças da oposição no interior manifestaram ontem, durante almoço, que tem muita gente do bloco angustiada, por falta de decisão da chapa majoritária.

O pessoal admite que já é hora de ter posição em relação às candidaturas.

LEITORA OPINA SOBRE NOTÍCIA

Leitora comentou ontem matéria sobre a conversa de Eduardo Amorim com senador Valadares: “Ainda tenho a sensação de que esses dois vão ficar sozinhos”.

– Mas eu não entendo de política. Aguardar para ver, disse.

CONVERSA PELA CONCILIAÇÃO

Os senadores Valadares e Eduardo Amorim conversaram por telefone na quinta-feira e trataram sobre ampliação do diálogo para unificação da oposição.

Amorim acha que a oposição pode tilintar taças já, já.

CONVERSAS DO NOVENTA

Valdevan Noventa, pré-candidato a deputado federal, usa a tática [talvez infalível], de não divulgar o partido que pretende se filiar para disputar o pleito.

Valdevan vem conversando com algumas lideranças para tomar a decisão.

TV OU REDES SOCIAIS?

O marketing dos candidatos vai se empenhar nas redes sociais. É mais barata, mais vista, mais participativa e até devastadora quando inteligentes.

Mais ainda é na TV que os candidatos sentem maior credibilidade.

Notas

Bolsonaro contra reforma – O deputado Jair Bolsonaro disse ontem a Boris Casoy, que é contra o modelo de reforma da Previdência proposto pelo governo Michel Temer: disse que a reforma “Não será aprovada, não contará com meu apoio e ainda vai dar munição para a esquerda crescer nas eleições”.

0x0

Ainda tentam Cristiane – A AGU protocolou ontem um novo recurso no TRF-2, para garantir a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho. É o terceiro recurso da AGU ao TRF-2 para tentar reverter a decisão de um juiz da 4ª Vara Federal de Niterói que suspendeu a posse da deputada indicada pelo PTB.

0x0

Carmem se reúne com Flores – A agenda de Cármen Lúcia prevê reunião na segunda-feira, às 10h, com Carlos Eduardo Thompson Flores, o presidente do TRF-4. A assessoria do tribunal sediado em Porto Alegre confirmou que um dos assuntos da audiência da presidente do STF será o julgamento de Lula.

0x0

PT está arrecadando fundos – Falta dinheiro no caixa petista para manter a onda de manifestações em defesa do ex-presidente Lula. Para garantir as ações, que o PT pretende tornar “quase permanentes”, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, pediu o empenho de líderes e militantes, na arrecadação de fundos.

0x0

Transexualidade nas Forças Armadas – MPF no Rio de Janeiro recomendou aos comandos do Exército, Marinha e Aeronáutica que a transexualidade não seja motivo para incapacidade da atividade militar. O ato foi baseado em inquérito civil instaurado para verificar se houve violação dos direitos humanos pelas Forças Militares.

0x0

Autenticidade dos recibos de alugueis – O MPF entregou, na sexta-feira, suas alegações finais do processo aberto exclusivamente para definir a autenticidade dos recibos do pagamento de aluguéis, pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e sua família, de um apartamento em São Bernardo do Campo.

Conversando

Não ganhar – O ex-prefeito Manuel Sukita acha que se André Moura for candidato ao Governo, será muito difícil ele não ganhar.

Deixar cargos – A luta dos deputados deve ser grande, mas os secretários que serão candidatos só deixam o cargo depois do carnaval se o governador demiti-los.

Críticas pesadas – Mulher faz críticas pesadas à prefeita de Gararu, acusando-a de ter abandonado uma das escolas municipais.

Subtenente Edgard – Gestor público que se auto valoriza por sobrar em sua pasta dinheiro público, não entende que na verdade ele foi incompetente,

Recursos do Finisa – Projetos de obras que serão construídos com dinheiro do Finisa já estão em fase de conclusão pela Secretaria da Infraestrutura.

Muito procurado – O senador Valadares permanece em Brasília e fala o mínimo possível sobre política, apesar de muito procurado.

Posto à mesa – O jogo das candidaturas está posto à mesa pela situação, o que não há razão para que a oposição adie sua chapa majoritária.

Muita agonia – Há agonia de alguns políticos para assumir cargos de secretários e diretores no Governo, com a saída daqueles que são candidatos.

Chapinhas e chapões – Partidos se dividem entre “chapinhas” e “chapões” nas composições políticas. Pode ter briga feia sobre isso.