05/02/18 - 07:56:27

Crime de lesa-pátria

 Passado o Carnaval, este governo temerário fará a última tentativa de aprova a famigerada reforma da Previdência. Para tanto, segue distribuindo dinheiro público com os parlamentares que votarem neste verdadeiro crime de lesa-pátria. Não se nega que o atual modelo previdenciário precisa passar por profundas mudanças, contudo o atual Congresso, repleto de fichas sujas e corruptos, não tem autoridade moral para aprovar alterações tão complexas. Ora, se a tal reforma é tão boa, por que os militares e congressistas ficaram de fora dela? Desejasse mesmo acabar com o rombo previdenciário, o governo faria com que os recursos da assistência social fossem investidos unicamente no setor. Ademais, para além do corte de gastos, seria possível atuar do lado das receitas, recuperando a arrecadação, por exemplo, com a cobrança da dívida das empresas com o INSS, acabando com isenções fiscais e incentivando a formalização no mercado de trabalho.

Faça o que digo…

Segundo o tucano José Carlos Machado, o próximo governo e os políticos que o apoiarem “precisam recolocar Sergipe nos caminhos do desenvolvimento”. Não foi que ocorreu na última administração de Aracaju, onde Machadão era vice-prefeito. Aliás, o Ministério Público o acusa de ter feito vistas grossas às dezenas de servidores fantasmas aboletados na vice-prefeitura. Tocar viola de boca é muito fácil!

Nova eleição

E o prefeito de Laranjeiras, Paulo Hagenbeck (DEM), pode ser afastado do cargo a qualquer momento. Ele está nas mãos do Tribunal Superior Eleitoral, que deve julgar recurso contra a cassação do registro de candidato e do diploma de prefeito. O demista é ficha suja e só permanece no cargo graças a uma liminar. A provável cassação de Hagenbeck ensejará uma nova eleição em Laranjeiras.

Beija mão

Católico praticante, o governador Jackson Barreto (MDB) prestigiou a posse canônica de dom Vitor Agnaldo Menezes como bispo de Propriá. Vindo de Jequié (BA), o reverendo substituiu dom Mario Rino Sivieri, que ocupava o cargo há 20 anos. Jackson lembrou ao novo bispo que a Diocese de Propriá tem uma história de compromisso com os mais pobres. É vero!

Ficha suja

É cada vez maior o número de políticos desejosos em ver o deputado federal André Moura (PAC) disputando uma candidatura majoritária. O problema é livrá-lo, a tempo, dos vários processos que o tornaram ficha suja. Sem isso, André pode até conseguir uma liminar para registrar a candidatura ao governo ou ao Senado, porém não poderá fazer propaganda eleitoral no rádio e na televisão. Misericórdia!

Identidade digital

Será lançado nesta segunda-feira, o projeto piloto do Documento Nacional de Identidade (DNI), que poderá ser digitalmente gerado por meio de aplicativo gratuito em smartphones ou tablets. O documento poderá ser baixado uma única vez e em um só dispositivo móvel, por questão de segurança. O DNI digital trará o título de eleitor já acoplado e poderá, futuramente, receber outros documentos pessoais.

Desgoverno temerário

E o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) não perde uma oportunidade para tirar uma chinfra com o ainda presidente Michel Temer (MDB). Veja o que o parlamentar postou nas redes sociais: “Lá se vão dois anos do seu “governo” e tudo o que se viu foi aumento de preços, perda da qualidade de vida e queda na renda do trabalhador. A sorte é que já está acabando.”. Marminino!

Novo serviço

Já é possível aos cartórios dar início ao processo para que emitam carteira de identidade e passaportes. A prestação desse serviço requer convênios dos cartórios com a Secretaria da Segurança Pública e com a Polícia Federal. Nas duas situações, os acordos deverão passar por análise e homologação do Poder Judiciário. Então, tá!

Auxílio-vergonha

O auxílio-moradia pago aos magistrados é uma imoralidade pública. Sobre essa aberração jurídica, o frade dominicano Marcos Sassatelli tem indagações pertinentes: “Por que os juízes, mesmo possuindo casas, devem ter residência paga com dinheiro do povo? Os demais trabalhadores não cuidam da própria moradia com o seu salário? Por que tanta mordomia para os juízes? Não deveríamos ser todos iguais perante a lei?”. Com a palavra o senhor Judiciário!

Cadê o Rei?

Pelo andar da carruagem, Aracaju terá mais um Carnaval sem o tradicional e simpático Rei Momo. O último foi Abel Weley, que comandou a folia da capital sergipana em 2014. Certo estava o militar Altamiro Carvalho, falecido em 2014, que se intitulava o primeiro e único Rei Momo de Aracaju. Ele foi o monarca da folia aracajuana por longos 16 anos.

Recorte de jornal

7

Publicado no jornal O Maruinense, em 30 de agosto de 1891.

Resumo dos Jornais