05/02/18 - 18:54:29

“NO RENOVA BR TIVE A NOÇÃO EXATA DO NOSSO PAÍS, DIZ CEL ROCHA

O coronel da Polícia Militar de Sergipe, Henrique Rocha, 50 anos, foi um dos quatro sergipanos selecionados para participar do curso Renova BR, cujo objetivo é formar novas lideranças, em virtude do caos político que se encontra o Brasil. Esse projeto foi idealizado pelo executivo Eduardo Mufarej e ele quer, justamente, atrair novas pessoas para a política. O coronel Rocha ficou extremamente satisfeito com o curso que ainda terá prosseguimento, com aulas presenciais e à distância. Além de Henrique, os outros sergipanos participantes são os advogados Saulo Vieira e Milton Andrade, além do delegado da Polícia Civil, Alessandro Vieira. Veja agora, os principais pontos da entrevista com o coronel Rocha.

SÓ SERGIPE – Como aconteceu sua seleção o curso do Renova BR?

CORONEL ROCHA – Primeiro é importante registrar que o Renova Br não é um partido político. É um projeto que surgiu da sociedade para a sociedade com a missão de selecionar brasileiros dispostos a atuar na linha frente da renovação política do Brasil, proporcionando aos selecionados apoio para que se preparem para os desafios que terão pela frente. Tomei conhecimento pela internet do projeto Renova Br. Achei interessante a proposta deles, mas confesso que não possuía maiores informações sobre o projeto, pessoas envolvidas, quem patrocinava etc.

Decidi fazer minha pesquisa, afinal os 30 anos de policial militar, sendo os últimos quatro chefiando a inteligência da PM, serviriam para que eu descobrisse algo sobre o Renova Br (rsrs). E para minha surpresa os princípios que norteiam os idealizadores e o projeto, são os mesmos que me motivam entrar para a política. A vontade de servir a sociedade de forma ética, honesta, transparente, acreditando firmemente que a solução para todos os problemas que o nosso país enfrenta deverá ser construída dentro das regras democráticas.

SS – O que o senhor aprendeu lá e que pode ser usado na prática, durante a campanha, caso realmente seja candidato?

CL – Primeiro é importante registrar que os profissionais envolvidos neste projeto Renovam Br são pessoas altamente qualificadas. Os professores selecionados para a formação dos bolsistas possuem comprovada capacidade profissional. Dentre os temas abordados inicialmente podemos registrar Liderança, Funcionamento do Poder Legislativo, Teoria Geral do Estado, Responsabilidade Fiscal, Redes Sociais, Eficiência do Governo, Direito Eleitoral e Marketing Político. Esses conhecimentos nos faz ter uma noção mais real do nosso país, do papel do cargo a que nos dispusemos a nos pré candidatar, de como enfrentar uma “maratona” na campanha eleitoral que se aproxima, o que pode e o que não pode numa campanha, prestação de constas, marketing político, enfim tudo que envolve o processo eleitoral pelo lado do candidato.

SS – Qual é o diferencial que o curso oferece?

CR – O diferencial é a exclusividade, pois nunca foi feito algo de gênero no mundo, nos moldes que o Renova Br apresentou para o Brasil. Um projeto de formação e aceleração envolvendo novas lideranças de todas matizes, de esquerda, de direita, sem partido, filiado. No mundo, via de regra, a formação política para as novas lideranças é feita pelos partidos políticos e no Brasil os partidos não cumprem esse papel. Por isso o desafio. Acelerar novas lideranças com objetivo de renovar o congresso nacional. O Renova Br se concentra na convergência, construindo e restabelecendo o diálogo na política com foco nas soluções dos problemas.

SS – Você não era o único coronel PM no curso. Qual foi a reação dos seus colegas ao saberem que você é militar e pleiteia uma vaga na Câmara Federal?

CR – Entre os 100 bolsistas somos três policiais militares, um coronel de Sergipe, um coronel de Minas Gerais e um capitão de Goiás. A receptividade foi a melhor possível, pois o foco do programa é a convergência. Nos concentramos naquilo que temos em comum que é a ética, a melhoria de vida dos brasileiros através de uma melhor prestação de serviço público, com transparência e eficiência. Sinceramente, não me senti nem melhor nem pior dos que estavam ali, muito pelo contrário, senti foi a igualdade de sentimentos, pensamentos e ações com objetivo de renovar a política, para prestarmos um serviço público de melhor qualidade ao nosso povo tão sofrido. Com mais de 30 anos de serviço público já tive oportunidade de trabalhar com diversos segmentos de nossa sociedade. Desde a década de 90 sou instrutor de direitos humanos da PM sergipana, trabalhando de forma transversal a questão do respeito aos direitos humanos, em razão disso me unir num projeto grandioso como o Renova Br com ativistas das mais diversas áreas não é uma novidade.

SS – O que mais lhe chamou a atenção nesse curso?

CR – Foi sem sombra de dúvidas a qualidade das pessoas envolvidas no processo, tanto da administração do Renova Br, dos professores, dos apoiadores, mas principalmente do nível dos bolsistas selecionados. Não poderia citar os 100 selecionados nesta entrevista, pois com certeza seriam várias laudas para descrever as atividades e qualidades individuais de cada um. Imagine de uma centena, sendo assim sugiro aos seus leitores que acessem o site do renova www.renovabr.org e confirmem a qualidade de todos os envolvidos.

SS – E a seleção?

CR – Chamou-me atenção também o processo seletivo bastante rígido, que envolveu testes online, gravação de vídeos de apresentação pessoal, entrevistas online e entrevistas presenciais com uma bancada de especialistas em gestão pública e política. No final foram selecionados os primeiros 100 bolsistas, de todos os cantos do país com visões, ideologias e causas diversas, seguindo o princípio do diálogo, da diversidade e da convergência de ideias.

SS – Há um novo curso do Renova BR já marcado?

CR – A proposta inicial para 2018 era de realizar a formação de 150 novos líderes, todavia nesse primeiro curso restaram 100 bolsistas dentre os mais de 4 mil brasileiros inscritos. Em razão disso o Renova Br selecionará os próximos 50 novos lideres através de um processo de hunting, em todo país, incluindo os quatro estados que ficaram sem representantes nesse primeiro momento: Maranhão, Piauí, Tocantins e Paraíba.

SS – E agora, quais serão os próximos passos?

CR – O curso de formação tem duração de seis meses, de janeiro a junho de 2018, com encontros presenciais e na modalidade EAD. Continuaremos estudando para nos tornarmos um pré-candidato cada vez mais competitivo e mais qualificado, conversando com as pessoas, mostrando que é possível fazer política de uma forma diferente, com respeito ao cidadão, pois ele é o verdadeiro detentor do poder. Finalizo registrando que nesta caminhada de formação, deixo claro aos sergipanos que em nossos ideais estão sempre o combate irrestrito à corrupção, a priorização do cidadão em detrimento da máquina pública, políticas sociais que promovam a igualdade de acesso à educação básica, saúde e segurança de qualidade, respeitando sempre às liberdades individuais.

Fonte sosergipe.com.br

Leia matéria completa AQUI