16/02/18 - 08:12:51

Programa IST/Aids retoma Bloco da Prevenção e realiza ações educativas

No carnaval tem diversão, mas também tem prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da equipe do Programa IST/Aids, retomou este ano com o Bloco da Prevenção, que desfilou no Rasgadinho, na última segunda, 12, fazendo a distribuição de preservativos femininos e masculinos para os foliões que estavam curtindo a festa. Além disso, o Programa realizou diversas ações educativas em Aracaju e em municípios sergipanos.

“Retomamos com o Bloco da Prevenção e foi um sucesso. Uma multidão nos acompanhou e por onde passamos distribuímos preservativos e gel lubrificantes, e chamamos a atenção para a importância da prevenção contra as ISTs. A aceitação dos foliões foi excelente. Diversão também combina com prevenção”, ressalta Almir Santana, gerente do Programa IST/Aids da SES.

Ainda de acordo com ele, a SES pretende em 2019 colocar mais uma vez o bloco na rua, já que com ele é possível divulgar a prevenção às doenças de uma maneira criativa. “O bloco é de suma importância e ano que vem vamos trabalhar para levá-lo às ruas com uma estrutura ainda maior. Sergipe foi o primeiro Estado a ter o Bloco da Prevenção e, hoje, ele está presente também em vários locais do país. Com ele, a gente fala de prevenção de uma forma criativa”, disse.

Mais ações

Durante o período carnavalesco, a equipe do Programa IST/Aids fez também ações educativas em empresas, comunidades e em municípios sergipanos e alguns eles, inclusive, também desfilaram com o Bloco da Prevenção.

“Nove municípios pediram apoio a SES para sair com o Bloco da Prevenção e disponibilizamos materiais educativos e preservativos. Durante o período carnavalesco a equipe do programa fez ações em diversos locais, abordando a prevenção às IST e também questões relativas às conseqüências do abuso de bebidas alcoólicas”, conta Almir.

O que fazer?

Apesar de as campanhas sobre a importância do uso do preservativo serem uma constante, algumas pessoas ainda insistem em ter relações sexuais sem proteção. E o gerente do Programa IST/Aids explica que quem teve relações sem preservativo, em um tempo menor que 72 horas, pode utilizar a Profilaxia Pós-Exposição (PEP). Já quem passou deste período, tem que esperar 30 dias para realizar o teste rápido de HIV.

“As pessoas sabem dos riscos de uma relação sexual sem proteção, mas muitos ainda não usam o preservativo, principalmente, em festas como o carnaval. Quem teve relações sem proteção e isso tem menos de 72 horas pode ir à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Fernando Franco, no conjunto Augusto Franco, ou Nestor Piva, na avenida Maranhão, para tomar a PEP. Se passou disso, é preciso aguardar 30 dias para fazer o teste rápido que está disponível nas unidades básicas de saúde”, conclui o gerente.

Fonte e foto assessoria