23/02/18 - 00:01:23

CHAPAS AINDA INDEFINIDAS

DIÓGENES BRAYNERplenario@faxaju.com.br

As chapas majoritárias ainda não estão definidas. Alguns ajustes para que se chegue a passos seguros. A base aliada já sabe que Belivaldo Chagas (MDB) é o pré-candidato, vai assumir o Governo e disputar a reeleição. Não há qualquer risco que consiga mudar esse rumo. Aliás, Belivaldo hoje é um nome que não dá para discutir, em razão da unanimidade em torno de sua candidatura.

A chapa também já tem certo o nome do governador Jackson Barreto (MDB) ao Senado e, da mesma forma, não se discute. Quer dizer: a situação está decidida em relação aos dois. A escolha do vice geralmente é feita no decorrer do processo de composições e serve para atrair novas legendas para integrar o bloco.

Já o segundo nome ao Senado será aquele que tiver consciência da possibilidade de não ser eleito. É quase regra: cada chapa elege um senador. Difícil fazer os dois. A chapa da situação tem um segundo candidato ao Senado: Rogério Carvalho (PT) que já está em pré-campanha. Tem também Heleno Silva (PRB) que fecha questão sobre isso.

Já a oposição ainda está confusa em relação à formação da chapa majoritária. Certo tem Eduardo Amorim (PSDB) e André Moura (PSC). Ambos afirmam que estão unidos e até que só disputarão o Governo se o outro não quiser. Amorim, entretanto, não esconde o seu desejo de tentar a sucessão estadual. André também a quer, mas não discute e até deixar transparecer que topa o Senado.

Uma coisa, entretanto, atrita os dois: Eduardo Amorim quer a companhia de Valadares Filho (PSB) a vice. André não demonstra interesse. Já o senador Valadares (PSB) também veta nome do filho na chapa majoritária. A acomodação será difícil, porque o bloco da oposição não deseja que o PSB chegue impondo alguma coisa. Além disso, o pessoal acha que dentro do grupo tem nomes fortes para completar a chapa.

A oposição está unânime na divergência sobre os nomes que não sejam André e Amorim. Isso remete a um período turbulento para o bloco, na disputa pelas eleições de outubro.

ENCONTRO FOI COINCIDÊNCIA

Foi mera coincidência o encontro de André Moura (PSC) com o presidente nacional do PHS, Marcelo Aro (MG), na quarta-feira, no restaurante Francisco, em Brasília.

No momento André almoçava com Breno Silveira, genro de Almeida Lima.

A QUESTÃO DA PRESIDÊNCIA

Para iniciar uma conversa que durou apenas cinco minutos, Aro perguntou a André se o deputado Augusto Bezerra havia falado com ele para ser o presidente do PHS.

E continuou: “Ele [Augusto] só fica presidente se você [André] indicar”.

APRESENTAÇÃO DE BRENO

André Moura apresentou Breno Silveira a Marcelo Aro e foi o próprio Breno que se insinuou: “Se André quiser eu vou para o PHS”.

Também foi Breno que pediu a um garçom para tirar foto dos três.

NÃO HOUVE INDICAÇÃO

Em nenhum momento Breno Silveira foi indicado para presidente do PHS e André terá uma conversa com Augusto Bezerra para tratar do assunto.

As conversas em Brasília foram em tom de brincadeira.

REPERCUSSÃO PROVÁVEL

Toda essa refrega em torno da ação de Breno, em pré-campanha para disputar vaga na Assembléia, agita deputados da base aliada que querem a saída de Almeida Lima.

Mesmo que Breno esteja diretamente vinculado a André Moura.

MARCIO DISCUTE CONJUNTURA

Marcio Macedo discutiu ontem, em reunião da executiva nacional do PT, a conjuntura e novos passos no combate ao golpe, na defesa da democracia.

Também no direito de Lula ser candidato a presidente.

BRENO NÃO TEM INTERESSE

Breno Silveira disse ontem à coluna que jamais teve interesse em comandar o PHS em Sergipe ou qualquer outro partido no Estado.

– Minha preocupação é trabalhar a pré-campanha a deputado estadual.

ESTEVE EM OUTROS GABINETES

Breno Silveira esteve em Brasília e visitou gabinetes dos deputados Valadares Filho (PSB) e Fábio Mitidieri (PSD). Ambos o convidaram a ingressar na sigla.

E mais: na terça-feira almoçou com o deputado Jéferson Andrade (PSD).

BLOCO DA OPOSIÇÃO CHIA

O bloco da oposição está começando a chiar porque quer participar das discussões sobre a chapa majoritária: “ninguém pode montar chapa sem nos consultar”, disse um deles.

Também condena a ‘obsessão’ do senador Amorim para ter Valadares Filho como vice.

OUTROS NOMES NA CHAPA

O grupo oposicionista quer André Moura como candidato a governador, mesmo achando que Eduardo Amorim (PSDB) é um líder ‘muito bom’.

Um deles brincou: “mas não estamos votando para o Vaticano”.

ENCONTROS QUASE DIÁRIOS

Os oposicionistas se encontram quase diariamente e conversam na formação da chapa. Parte deles acha que o melhor seria André ao Governo e Amorim à reeleição.

E mais: Fábio Henrique como vice e Heleno Silva também ao Senado.

DIFICULDADE NESSA FORMAÇÃO

Há dificuldade nessa formação de chapa oposicionista, porque Fábio Henrique deixa claro que é candidato a deputado federal e apóia Belivaldo Chagas ao Governo.

Heleno insiste em disputar o Senado e buscará caminhos para isso.

JULGAMENTO DIA 8 DE MARÇO

Segundo informa Mariana Muniz, da revista Jota, o TSE deve pautar para 8 de março o processo que pode cassa 11 deputados de Sergipe.

A informação foi confirmada pela assessoria do ministro Luiz Fux.

EVITOU FALAR SOBRE À VICE

Valadares Filho (PSB) evitou falar ontem sobre a procura de Eduardo Amorim para que ele seja candidato à vice em sua chapa, o que contraria o senador Valadares.

– A política é dinâmica e vamos esperar mais à frente.

DEPUTADOS AMEAÇAM TROCA

Pelo menos dois deputados estaduais do MDB ameaçam trocar de partido, para disputar a reeleição em alguma chapinha, caso não se resolva situação de candidatos secretários.

– Não temos como disputar com quem também o faz com cargo no Governo.

REUNIÃO PARA TRATAR DO ASSUNTO

Um desses deputados emedebistas já marcou reunião para próxima semana, com objetivo de se encontrar uma solução imediata para o problema.

Chegaram a citar nomes e acusar um deles de praticar “espertezas”.

MACHADO AINDA ESTÁ NA ESPERA

José Carlos Machado (PSDB) ainda está na espera de uma decisão da chapa majoritária da oposição para agilizar sua pré-candidatura e tomar posições.

Acha que há demora grande para tomar uma decisão.

GERÊNCIA DO BNDES EM SERGIPE

O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, em reunião com prefeitos, autorizou a abertura de uma gerência do banco em Sergipe.

Ficará na seda da CEF, através de convênio.

Notas

Maia no caminho de Temer – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ensaia candidatura a presidente. Ele defende a redução do número de ministérios em vez do aumento ou criação de impostos para gerar receita orçamentária. Rodrigo Maia defendeu a retomada de uma pauta de contenção dos gastos obrigatórios do governo.

0x0

Decepção nos municípios – Deputado Fábio Mitidieri detalha os R$ 500 milhões do BNDES: 10% juros ao ano, abatidos diretamente do FPM, carência de quatro anos (engessa o próximo gestor), tem que estar no limite prudencial e não pode estar no CAUC. Resultado: decepção! A maioria dos municípios não tem condições.

0x0

Doutrinação ideológica – Em entrevista a O Antagonista, Miguel Nagib, fundador do movimento Escola Sem Partido, falou das provas de doutrinação ideológica no sistema de ensino brasileiro e das reações dos partidos ao projeto de lei contra ela. Até o momento ainda não se legalizou o doutrinamento partidário/ideológico nas escolas.

0x0

Exército Sem recursos – O Antagonista apurou que Rodrigo Maia esteve com o comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, que parece apreensivo com a falta de recursos federais. O Antagonista sugere ao general que peça a Temer uma fatia do bolo que está sendo gasto com o marketing político de Elsinho Mouco.

0x0

Toffoli engaveta – O Antagonista apurou que Dias Toffoli engavetou pedido do delegado Hiroshi Ishida para ouvir a senadora Gleisi Hoffmann no inquérito do caso “Consist”. Gleisi e o marido Paulo Bernardo são investigados por recebimento de propina de contratos da empresa com o Ministério do Planejamento.

0x0

Sistema partidário forte – Gaudêncio Torquato lembra Maurice Duverger, o renomado estudioso francês dos sistemas políticos: “o Brasil só será uma grande potência no dia em que for uma grande democracia. E só será uma grande democracia no dia em que tiver partidos e um sistema partidário forte e estruturado”.

Conversando

Partido não aceita – Deputado Valadares Filho (PSB) não tira da cabeça o convite para ser companheiro de chapa de Eduardo Amorim (PSDB), mas o seu partido não aceita.

Também não – Membros da oposição também não aceitam a participação de dois integrantes do PSB na chapa majoritária. Acham que tem de abrir para outras legendas.

Mobiliza candidatos – Março ainda não chegou, está às vésperas, mas a movimentação interna entre partidos já cresceu o suficiente para mobilizar futuros candidatos.

Viaja ao interior – O governador Jackson Barreto está viajando a cidades do interior para entregar obras e dar ordens de serviços. Prepara a sua desincompatibilização.

Juízes em greve – A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) convoca greve nacional com “atos em defesa da valorização da magistratura” em todo o país.

Auxílio moradia – Entre os atos de defesa da valorização da magistratura, os juizes vão defende o salário moradia, mesmo que residiam nas cidades em que trabalham.

Pensa na Câmara – Eliane Aquino silencia sobre uma possível candidatura a vice-governadora. Ela pensa na Câmara Federal em razão dos laços familiares em Brasília.

Marginalidade manda – Subtenente Edgard diz que “essa intervenção vai acabar comprovando que nesse país quem manda é a marginalidade, infelizmente!”

Posição cruel – De qualquer forma percebeu-se que parte da oposição estava a favor da violência no Rio, porque ela desestabilizava o Governo.